Jogar uma Copa do Mundo é o sonho de qualquer jogador. Todavia, as oportunidades de se destacar em seu país de origem são escassas. Devido as restrições de oportunidades, alguns jogadores desistem de tentar alavancar em seu país. Sendo assim, acabam optando por se naturalizarem em países em que seu futebol é destaque. Assim, alguns ídolos que vestiram a camisa da Seleção da Espanha não são de origem espanhola. 

JUAN PIZZI

Juan Antonio Pizzi Torroja nasceu em Santa Fé, na Argentina, em 7 de junho de 1968. Sua carreira no futebol começou no Rosario Central quando tinha 20 anos. Dois anos após sua imersão no mundo futebolístico, Pizzi foi transferido para o Toluca do México e posteriormente chegou à Espanha. Posteriormente jogou pelo Tenerife, Valencia e Barcelona. Pela primeira equipe, o jogador foi o artilheiro da Primeira Divisão Espanhola entre os anos de 1995/96 marcando 31 gols em 41 jogos. No Valencia não conseguiu muitos méritos, enquanto no Barcelona ganhou a Copa do Rei em 1998, uma Supercopa Europeia e uma Supercopa da Espanha.

Com tantas conquistas e jogando o seu melhor futebol, Juan Pizzi se naturalizou espanhol e foi convocado para vestir a camisa de La Furia pela primeira vez em 1988, onde jogou a Copa do Mundo daquele ano e marcou um gol. Por fim, encerrou sua carreira como jogador em 2002 no Villarreal. Logo em seguida passou a comandar tecnicamente alguns clubes e seleções, dos quais merecem destacar a Seleção do Chile e Arábia Saudita, time este que está atualmente no comando.

Juan Pizzi
Juan Pizzi como técnico da Seleção Chilena em 2016 (Foto: Punto Seguido)

LEIA MAIS:

Copa da Coroação: a primeira competição espanhola de futebol

Raúl González: a trajetória vitoriosa que marcou época no Real Madrid

Dérbi da Andaluzia: a rivalidade entre Sevilla e Real Betis

DI STÉFANO

Alfredo Stéfano Di Stéfano Laulhé, comumente chamado La Saeta Rubia, nasceu na Argentina, tinha origem italiana e se naturalizou espanhol. Dessa forma, com 19 anos começou na categoria principal do River Plate e dois anos após, em 1947, consagrou-se campeão e artilheiro da competição com 27 gols. Por conseguinte, no mesmo ano, foi convocado para a Seleção da Argentina, disputando o Campeonato Sul-Americano. Foi transferido para a Colômbia para jogar no Millionarios, clube que deu visibilidade ao seu futebol e que levou o Real Madrid a contratá-lo.

Pelo time madrilenho foi campeão cinco vezes da Copa da Europa, além de conquistar uma Copa Internacional, uma Copa da Espanha e oito títulos do Campeonato Espanhol. Di Stéfano foi considerado por muitos um dos maiores futebolistas da história. Além de ter jogado na Seleção Argentina, também jogou na Seleção Espanhola. Pela Espanha estreou em 1957 e fez seu último jogo em 1961, marcando 23 vezes nos 31 jogos que participou.

Di Stefano, ex-jogador da equipe madrilhena
Di Stefano com cinco taças da Liga dos Campeões (Foto: Campeões do Futebol)

DONATO

Donato Gama da Silva (Donato) nasceu no Rio de Janeiro e atuou profissionalmente no Brasil a partir de 1982, quando foi contratado pelo América Football Clube e por lá permaneceu até 1984, quando foi transferido para o Vasco da Gama. Em sua passagem, que durou somente quatro anos, Donato conquistou pelo Vasco dois títulos do Campeonato Carioca e logo foi acionado pelos dirigentes do Atlético de Madrid, por onde passou cinco temporadas.

Chegou em solo espanhol em 1988 para jogar na equipe tricolor e posteriormente foi transferido para o Deportivo de La Coruña, que jogou durante dez temporadas e conquistou o título do Campeonato Espanhol.  Em sua passagem pela Espanha, o volante foi aclamado por muitos como sendo um dos melhores médios-centro de La Liga. Devido a sua dupla nacionalidade e seu destaque no Campeonato Espanhol, o jogador foi convocado para a seleção espanhola em 1994, por onde jogou 12 vezes e marcou três gols. Donato possui um histórico profissional invejável. Ele já atuou em 443 jogos, feito nunca antes alcançado por um jogador estrangeiro na Primeira Divisão Espanhola.

Donato jogando defendendo a Espanha na Eurocopa de 1996
Donato em ação pela Fúria na Euro-1996 (Foto: Correio Braziliense)

SENNA

Um dos casos mais conhecidos de um jogador brasileiro que se naturalizou espanhol e teve a honra de usar a camisa da La Fúria foi, o agora ex-volante e aposentado, Marcos Senna da Silva. Nascido em São Paulo, Senna começou sua carreira no Rio Branco, aos 21 anos, mas ganhou notoriedade ao ser transferido para o Corinthians em 1998 e consequentemente ganhar o Campeonato Brasileiro e o Mundial de Clubes de 2000.

Nesse mesmo ano foi transferido para o Villarreal, time este que defendeu por 11 temporadas, marcou 31 gols e se eternizou ídolo ao conquistar duas Copas Intertolo e o vice-campeonato do espanhol em 2007-08. Em 2006 foi convocado para defender a camisa espanhola. Ainda pela Espanha, conquistou a Eurocopa de 2008, título que levou o jogador a se firmar como único brasileiro a garantir o campeonato europeu daquele ano.

Marcos Senna em ação pela Espanha
Marcos Senna defendendo a Espanha na Eurocopa de 2008 (Foto: O Gol)

DIEGO COSTA

Diego da Silva Costa, popularmente conhecido por Diego Costa, nasceu em Sergipe e começou seu sonho futebolístico pelo Barcelona Esportivo Capela em 2004, sendo transferido para o Sporting Braga em 2006 até chegar ao Atlético de Madrid em 2007. Conquistou a Supercopa UEFA de 2010 pelo clube e a Copa do Rei de 2013. Com o futebol em alta, foi convocado em 2013 pelo técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, mas no mesmo ano recebeu cidadania espanhola e declarou seu desejo de defender a Seleção da Espanha. Em 2014 foi transferido para o Chelsea e consagrou-se campeão da Liga Inglesa pelo clube em 2014-2015.

Por conseguinte, Vicente Del Bosque convocou Diego para participar da Copa do Mundo de 2014, mas o jogador acabou se lesionando e jogou apenas as duas primeiras partidas. Na Copa do Mundo da Rússia 2018, Diego Costa teve nova oportunidade sendo eliminado junto de sua equipe nas oitavas de final pelos anfitriões. Atualmente, além de defender a camisa da seleção, também atua pelo Atlético de Madrid, clube este que retornou em 2017.

Diego Costa em jogo entre Espanha x Portugal pela Copa do Mundo de 2018
Diego Costa em jogo contra Portugal na Copa da Rússia de 2018 (Foto: Site Uol)

THIAGO ALCÂNTARA

Filho do ex-futebolista brasileiro Mazinho (campeão da Copa do Mundo de 94), Thiago Alcântara do Nascimento nasceu em San Pietro Vernotico (Itália). Mesmo possuindo nacionalidade brasileira, Thiago pouco aproveitou sua passagem pelo Brasil, jogando apenas pelo time infantil do Flamengo aos cinco anos de idade. Ao tramitar entre Brasil e Espanha, ganhou a oportunidade de jogar nas categorias de base do Barcelona quando tinha apenas 14 anos. Pelo time catalão conseguiu o título da Copa Audi, sendo eleito o artilheiro da temporada 2010-11 e melhor jogador da competição.

Em 2013 foi contratado pelo Bayern de Munique e no mesmo ano conseguiu o feito de ser Campão Mundial de Clubes. Decidiu se naturalizar espanhol por conta das oportunidades dadas, passando a defender a camisa da La Roja desde a categoria sub-16. A estreia do meio campista ocorreu em 2011. Esteve presente na lista dos convocados para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, mas foi cortado por conta de uma lesão. Pela Espanha conquistou o título da Euro Sub-17 em 2008 e o Sub-21 em 2011 e 2013. Thiago fez 34 partidas com a camisa da Espanha e hoje continua a vestir a camisa do Bayern de Munique.

Thiago Alcântara jogando pela Seleção da Espanha
Thiago Alcântara defendendo a Espanha (Foto: Site Trivela)

RODRIGO MORENO

Rodrigo Moreno Machado nasceu no Rio de Janeiro em 1991, mas desde cedo foi morar na capital madrilenha, onde começou a jogar na categoria de base do Celta de Vigo. Logo sua carreira alavancou e chegou a jogar no Real Madrid, mas não conseguiu se firmar. Em 2010 assinou contrato com o Benfica e um mês após foi emprestado para o Bolton Wanderers. Retornou ao Benfica e conquistou o título do Campeonato Português em 2013, Taça de Portugal no mesmo ano e Taça da Liga nas temporadas 2011 e 2013.

Em 2014 foi anunciado pelo Valencia, onde joga até hoje e conquistou recentemente a Copa do Rei de 2018-19. O atacante foi convocado para a seleção espanhola e conseguiu o feito de ser campeão europeu sub-19. Sua estreia oficial vestindo a camisa espanhola aconteceu em 2014 a pedido de Vicente Del Bosque. Pela Seleção principal da Espanha jogou 22 vezes e marcou oito gols.

Rodrigo Moreno representando a Espanha
Rodrigo Moreno defendendo a Espanha (Foto: Site Goal)

Foto destaque: Divulgação/Redes Sociais

 

Avatar
Iara Alencar
Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Alagoas, apaixonada por esportes e com pretensão de alavancar na carreira de assessoria de comunicação ou imprensa, precisamente no âmbito esportivo (futebol de preferência). O objetivo é aperfeiçoar a construção dos textos, a fim de sair da zona de conforto dos gêneros que estou habituada a escrever (reportagens e artigos opinativos), além de abranger meus conhecimentos pessoais e profissionais. Tenho 23 anos, sou bastante comunicativa, perfeccionista em suas limitações e persistente em tudo o que faço.

Artigos Relacionados