Jogadores do Famalicão lamentam não ida à Europa League

- Famalicenses perderam a vaga no último minuto contra o Marítimo
Jogadores do Famalicão lamentam não ida à Europa League (Foto: Reprodução / Homem de Gouveia / LUSA)

No último domingo (26), a edição 2019/2020 da Liga NOS teve seu fim com a oficialização do título nacional do Porto. Além disso, Benfica garantiu vaga à Champions League e Braga, de forma direta, Sporting e Rio Ave jogarão a Europa League. Já Portimonense e Aves foram rebaixados à Liga Pro, a segunda divisão portuguesa. No entanto, para o Famalicão, o desfecho foi frustrante.

Leia mais:

Inicialmente, as expectativas eram de, apenas, se manter na elite, após 25 anos fora da primeira divisão. No entanto, o Famalicão se tornou a sensação da Liga NOS ao fazer uma campanha competitiva desde o princípio. Assim, algo que foi alimentando as esperanças dos Famalicenses para uma classificação inédita e histórica para a Europa League. Apesar disso, o clube, que já chegou as divisões mais inferiores do futebol português, apontou para a última rodada dentro do G5.

Todavia, o empate em 3 x 3 diante do Marítimo, na Ilha do Madeira, somado a vitória do Rio Ave frente o Boavista, tirou qualquer chance de classificação. Dessa forma, o capitão Roderick demonstrou sua frustração ao sair do gramado ao final da partida:

Não merecíamos pelo que fizemos nesta época e pelo que fizemos neste jogo, merecíamos ter vencido com larga margem. Não foi este ano, mas o Famalicão será falado por muitos e bons motivos“, afirmou o capitão famalicense.

Outro que se manifestou, dessa vez em sua rede social, foi o principal jogador do Famalicão na temporada, o atacante Fábio Martins. Igualmente ao capitão, o jogador não escondeu a frustração e decepção por lutar tanto e não conseguir o que se tornou o objetivo principal do ano.

Aconteça o que acontecer, sentimos todos. Ontem, deu um nó na garganta ao entrar no balneário. Depois de uma caminhada enorme, depois de lutarmos e incomodarmos tanto, não conseguimos. Não há injustiças no futebol, mas sinto mesmo que o futebol voltou a não ser justo connosco. Aquilo que eu sei é que o futebol nem sempre nos dá aquilo que queremos e merecemos, quando queremos. Mas nunca falha. E os mesmos que ontem caíram, amanhã vão festejar coisas ainda maiores.

RECEPÇÃO DE CAMPEÃO AO FAMALICÃO

Apesar de não ter conseguido a classificação, o Famalicão foi recebido no Minho como se tivesse alcançado o objetivo da Europa League. Assim, com fogos de artifício, sinalizadores e cânticos, os torcedores famalicenses se reuniram em frente ao estádio à espera do ônibus da delegação. Logo, demonstraram o orgulho pela grande campanha realizada e em ter colocado a cidade em evidência no cenário nacional.

Foto Destaque: Reprodução / Homem de Gouveia / LUSA

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 607 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo