Jair Ventura segue sem vencer no Comando da Chapecoense

A princípio, ainda sem vencer no Brasileirão, a Chapecoense, treinada por Jair Ventura, ocupa última colocação do campeonato. Por outro lado, o técnico diz que não pretende sair do cargo e completa que isso seria covardia. Definitivamente, a Chape vive pior sequência desde do rebaixamento em 2019, onde, até a 12ª rodada, já tinha ao menos duas vitórias.

Assim como, o Grêmio conquistou sua primeira vitória no campeonato no jogo contra o Fluminense, e o Cuiabá também conseguiu os três pontos na partida contra a Chapecoense. Bem como, a situação da equipe de Santa Catarina e as cobranças ao técnico aumentam cada vez mais.

A princípio, Jair Ventura se tornou técnico profissional em 2018, onde assumiu a esquadra do Botafogo no meio do campeonato. Bem como o gigante carioca, o treinador teve passagem por outros gigantes brasileiros, como, por exemplo, Corinthians e Santos, porém sem títulos ou atrativos maiores.

Em síntese, já são quase dois meses comandando da Chapecoense. Todavia, além de não conseguir vencer, a equipe está em uma sequência de cinco derrotas consecutivas.

Jair Ventura questionado sobre campanha da Chapecoense

Logo depois de mais um tropeço no Brasileirão, Jair Ventura foi bombardeado com uma série de perguntas a respeito do desempenho da Chapecoense no campeonato. Ainda mais, pelo fato de que habitualmente a Chape consegue abrir o placar, no entanto, sofre o revés e perde o jogo.

Por fim, diante do cenário do clube o treinador ressaltou, “terminando fora da zona de rebaixamento será um grande título”. Em conclusão, Jair Ventura finalizou:

“Nunca fui de entregar o chapéu, desistir não combina com o meu perfil. Acho que desistir é para os fracos, correr e se esconder debaixo da cama. Isso não é perfil de um líder, de um treinador”.

Enfim, o próximo desafio para a Chapecoense no Brasileirão é contra a equipe do Juventude, outro time em busca de fugir do Z4. Dessa forma, os Alviverdes se enfrentam na próxima segunda (26), às 18h (horário de Brasília), pela 13ª rodada do Brasileirão.

Foto Destaque: Divulgação/Márcio Cunha/ACF

Filipe de Mello
Me chamo Filipe Augusto do Nascimento de Mello, tenho 21 anos de idade, trabalho a 3 anos e meio como corretor de seguros (primeira experiência profissional). Escolhi ser jornalista em meados de 2014 e ingressei na faculdade em 2016, atualmente busco experiência na área, principalmente nos setores de redação, foto e cobertura de notícias.

Deixe uma resposta