Isabell Herlovsen

Isabell Herlovsen, de 32 anos, anunciou nesta quarta-feira (23), que irá se aposentar dos gramados. Em janeiro, a atleta havia retornado ao Valerenga, após ter sido emprestada ao Kolbotn, ambos os clubes do futebol norueguês. Mas, ela adoeceu e por este motivo não jogou nesta temporada.

CARREIRA

A norueguesa iniciou sua carreira em 2004, no Kolbotn. Mais adiante, mudou para o Lyon, da França. Logo depois, voltou ao seu país e jogou no LSK Kvinner. Em seguida, foi para o Lillestrom e ganhou a Liga Norueguesa de 2015 e 2016. Na sequência, foi até a China, onde atuou no Jiangsu Suning. Após, trocou pelo Valerenga e foi emprestada para o Kolbotn. Nesse ínterim, foi campeã da Algarve Cup de 2019, pela Seleção Norueguesa, em que é a artilheira, com 67 gols em 133 jogos. Por fim, voltou ao Valerenga em 2020.

Agora, com a decisão de encerrar o ciclo, Herlovsen disse: “Não me arrependo de nenhuma das escolhas que fiz na minha carreira. Eu terminei o conflito com o Valerenga. Quando voltei lá, era um novo treinador e um grande grupo de jogadoras, então isso não tem nada a ver com aquele conflito”. A saber, antes de ser emprestada, a estrela teve uma série de divergências com Monica Knudsen, a antiga técnica do Valerenga.

APOSENTADORIA

Os principais motivos para a aposentadoria de Isabell, são a falta de motivação e o desejo de passar mais tempo com o filho Henrik. Assim, ela contou sobre como a família pesou em sua escolha. Afinal, com problemas de saúde, ficou longe do futebol durante todo o ano e passou mais tempo com o filho. Agora, não quer se afastar. Desta forma, diz que não sente falta do futebol o suficiente.

“Já estou aqui há muito tempo e tem sido extremamente divertido. Tive uma perspectiva diferente quando tive filho e comecei a sentir que estava muito longe. Quero estar presente, pegando no jardim de infância, participando de diversas atividades e jantando com a família”, concluiu Isabell Herlovsen.

Foto Destaque: Reprodução/Terje Pedersen/NTB scanpix

Fernanda Gontijo
Sou estudante de jornalismo, na Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Sempre fui muito comunicativa, amo escrever e por também ser desinibida para falar em público, considero o curso a minha cara. Além disso, amo futebol e vou ao estádio sempre que possível. À vista disso, produzo textos para o FNV e também participo do podcast Rainhas da Bola, apresentando boletins semanais sobre o futebol feminino na Itália. Ademais, sou social media da maior torcida organizada do Brasil, os Gaviões da Fiel.

Artigos Relacionados