Independiente vive drama dentro e fora de campo

- Saída de dirigentes e derrotas para times menores são os principais problemas do time de Avellaneda
Independiente

O Club Atlético Independiente é maior vencedor da Libertadores. Porém, vem passando por uma crise gigantesca em sua instituição. Dentro de campo, o clube perdeu para o Arsenal Sarandí e não tem mais chances de classificação para as finais do Campeonato Argentino.

Assim também é a situação fora de campo. O Rey de Copas viu oito de seus 25 dirigentes deixarem o time, transformando negativamente o cenário dos bastidores do clube. Além disso, a saída que mais balançou o clube foi a de Jorge Burruchaga, herói da final da Copa do Mundo de 1986 para a seleção argentina, e que há nove meses vinha desempenhando o papel de manager do Independiente.

Outra saída importante foi a de Jorge Damiani, diretor de futebol do clube vermelho de Avellaneda, que pediu afastamento do cargo por nove meses. Ao mesmo tempo, era ele que negociava uma possível permanência do meia Martín Benítez no Vasco até o final do Campeonato Brasileiro, que se complicou com sua saída.

Então, com todas essas situações, quem mais sofre é o técnico Lucas Pusineri, que vive na corda bamba. Com ameaças de ser demitido, Pusineri balançou mais após a derrota por 4 x 3 para o Arsenal Sarandí neste último domingo (3). Além disso, o comandante argentino já tinha um acordo verbal com a diretoria do Rey de Copas para a renovação por mais um ano. Mas após essa derrota, a eliminação no Argentino, e amargando uma vice lanterna do Grupo A, o treinador já não sabe se continua no Libertadores de América.

Foto Destaque: Reprodução/Alejandro Pagni/AFP

BetWarrior


Poliesportiva


João Victor Freire
João Victor Freire
Eu escolhi o jornalismo pois é o que eu sei fazer desde criança. Trabalhar com jornalismo esportivo é um sonho que se realiza a partir de agora.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo