Na última quarta-feira (3), o Barcelona venceu heroicamente o Sevilla por 3 x 0, avançando à final da Copa do Rei. Entretanto, quando os catalães ainda venciam por dois gols de diferença, os Sevillistas tiveram um pênalti a seu favor que poderia mudar o rumo da partida. Dessa maneira, após voltar de lesão e sofrer a penalidade, Ocampos parou em Ter Stegen. Ademais, o argentino se pronunciou em suas redes sociais, frisando tamanha decepção com o acontecimento.

Uma das noites mais tristes da minha carreira. Tínhamos a ilusão de chegar aquela final. Ver meus companheiros deixando a pele em cada jogo, minha vontade era de estar com eles. Eu tinha que voltar, mas não foi do jeito que imaginei nesse longo mês de tanto trabalho“, disse o atacante. “Mas agora só tenho que levantar a cabeça e olhar para o futuro, porque no futebol você se vinga rapidamente“, completou Ocampos.

Além disso, o argentino afirmou que a eliminação o abalou. Entretanto, garantiu que seguirá trabalhando para dar o melhor de si a cada partida.

Vou continuar trabalhando em conjunto com os meus companheiros para inverter esta situação. Posso afirmar que não há ninguém mais decepcionado do que eu por não poder jogar outra final com o Sevilla. Vou seguir trabalhando para crescer com esta camisa. Obrigado a todos“, finalizou Ocampos.

Após a eliminação, o Sevilla volta a campo no próximo sábado (6), diante do Elche, fora de casa. Assim, a partida é válida pela 26ª rodada da La Liga. Na 4ª posição do torneio, a equipe comandada por Julen Lopetegui almeja encostar nos líderes.

Foto Destaque: Divulgação/Barcelona

Bruno Reis
Bruno Reis
Prazer! Sou Bruno Reis, de Santo André, ABC paulista. Desde 2001 vivo, choro e sorrio por futebol. Costumo dizer que este esporte nunca será qualquer um, ele muda e transforma vidas, como fez com a minha. Próximo do término do ensino médio, me senti perdido, me perguntava qual seria meu rumo a partir dali. Apesar de não ter dado certo dentro de campo, percebi que tinha chegado a hora de viver do futebol fora dos gramados, como jornalista. Hoje não me vejo longe dessa profissão, virou minha paixão. O que mais amo fazer é escrever e viver dele com todas as minhas forças.

Deixe uma resposta