Um dos pilares do sistema defensivo do Sevilla, Diego Carlos conquista o torcedor sevillista a cada dia. Assim, sendo um dos jogadores de confiança de Julen Lopetegui, técnico da equipe, o vínculo do zagueiro se encerra em junho de 2024. Dessa forma, em entrevista, o brasileiro afirmou estar negociando a renovação de contrato com os dirigentes do clube.

Esta é a minha casa, estou muito feliz com o clube e com a torcida. Tenho conversado com Monchi e Sevilla e acho que fiz um bom trabalho até aqui. Veremos o que vamos fazer se estivermos de acordo“, disse Diego.

No entanto, Koundé, sua dupla de zaga, interessa a diversos clubes e não deve seguir no Sevilla. Desse modo, o brasileiro rasgou elogios ao seu companheiro. Além disso, admitiu não estar ciente do rumo do atleta.

Muitos clubes se interessarão por ele, com certeza. A cada jogo cresce, a cada minuto que passa vemos que ele evolui e ganha confiança e experiência. Não sei o que acontecerá com seu futuro“, afirmou o brasileiro.

No último dia 9, em confronto válido pelas oitavas de final da Champions League, o Sevilla foi eliminado pelo Borussia Dortmund. Assim, Haaland, atacante do clube alemão, apresentou um ótimo futebol nas duas partidas, marcando quatro gols ao todo. Dessa forma, Diego Carlos não poupou elogios ao norueguês.

É um atacante de muita força e que finaliza muito bem. Haaland tem muitos gols e gosta de jogar com a bola. Tem personalidade. Tendo espaço, ele causa muitos danos. Com a qualidade que possui, pode estar entre as maiores“, completou o zagueiro.

Próximo duelo do Sevilla

Com a data FIFA, o Sevilla volta a campo somente no próximo dia 4, diante do Atlético de Madrid, no Estádio Ramón Sánchez Pizjuán. Assim, o duelo é válido pela 29ª rodada da La Liga. Diante disso, os Sevillistas ocupam a 4ª posição do Espanhol, com 55 pontos conquistados.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Avatar
Bruno Reis
Prazer! Sou Bruno Reis, de Santo André, ABC paulista. Desde 2001 vivo, choro e sorrio por futebol. Costumo dizer que este esporte nunca será qualquer um, ele muda e transforma vidas, como fez com a minha. Próximo do término do ensino médio, me senti perdido, me perguntava qual seria meu rumo a partir dali. Apesar de não ter dado certo dentro de campo, percebi que tinha chegado a hora de viver do futebol fora dos gramados, como jornalista. Hoje não me vejo longe dessa profissão, virou minha paixão. O que mais amo fazer é escrever e viver dele com todas as minhas forças.