Na tarde do último domingo (14) o Real Madrid bateu o Valencia por 2 x 0 pela La Liga. Assim, a partida foi marcada pelo retorno de Carvajal à equipe titular após lesão. Entretanto, na 1ª etapa, o lateral-direito voltou a se lesionar e teve de ser substituído por Lucas Vázquez. Dessa maneira, os Merengues informaram que o atleta contundiu o músculo direito que afeta o tendão, e ficará afastado por um mês e meio.

Com a lesão confirmada, Carvajal perderá cinco jogos do Campeonato Espanhol e a partida de ida das oitavas de final da Champions League, diante da Atalanta. Assim, o defensor não enfrentará o Atlético de Madrid, no dia 7 de março, partida que pode definir o futuro da La Liga. Diante da situação, Zinedine Zidane possui Lucas Vázquez e Nacho, que podem substituir o lateral-direito na posição.

Esta é a quarta lesão que o defensor sofre apenas nesta temporada. Dessa maneira, o lateral mal conseguiu atuar em 2020/21, obtendo apenas 12 partidas das 31 que o Real Madrid disputou. Após o duelo diante do Valencia, Zidane se pronunciou sobre a contusão de Carvajal.

Não entendo. São muitas lesões, estou preocupado. Quando perco um jogador, fico incomodado. É uma pena, sinto muito pelo Carvajal. Ele jogou 25 minutos muito bem e estou triste porque é um jogador muito importante para nós. Não sei explicar o motivo de tantas lesões“, disse o técnico.

Diante de tantas contusões no elenco, a vida do Real Madrid continua. Assim, os Merengues voltam a campo no próximo sábado (20) diante do Valladolid, fora de casa, pela La Liga. Contudo, os Madridistas ocupam a 2ª posição do Espanhol, com 49 pontos.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

 

Bruno Reis
Bruno Reis
Prazer! Sou Bruno Reis, de Santo André, ABC paulista. Desde 2001 vivo, choro e sorrio por futebol. Costumo dizer que este esporte nunca será qualquer um, ele muda e transforma vidas, como fez com a minha. Próximo do término do ensino médio, me senti perdido, me perguntava qual seria meu rumo a partir dali. Apesar de não ter dado certo dentro de campo, percebi que tinha chegado a hora de viver do futebol fora dos gramados, como jornalista. Hoje não me vejo longe dessa profissão, virou minha paixão. O que mais amo fazer é escrever e viver dele com todas as minhas forças.

Deixe uma resposta