Thierry Henry

O ídolo do Arsenal, da seleção francesa e atual técnico do Montreal Impact, de Jurgen Kloop. Desse modo, em entrevista a Sky Sports, o ex-atacante francês revelou que torceu para os Reds alcançarem a marca do time londrino da temporada 2003-2004, que terminou com a conquista da Premier League de forma invicta.

PARA HENRY QUEM GANHA É O ESPORTE

Todavia, o Liverpool sucumbiu diante do Watford por 3 x 0, antes da paralisação devido a pandemia. Henry afirmou que seria bom para o jogo, que o clube da cidade dos Beatles, caso igualasse tal recorde.

Teria sido bom para o futebol porque as pessoas tendem a copiar um time que está no topo e muitas outras equipes no topo jogam assim. Isso tem muito impacto sobre outros treinadores. ”

Além disso, defendeu o estilo o ofensivo. E concluiu que quem ganha acima de tudo é o futebol.

Quando você é assim, de certa forma, quer que eles sejam bem-sucedidos. Eu não vou tentar e as pessoas que pensam em defender primeiro, mas minha visão do futebol é exatamente como o Liverpool ou o Barcelona jogam; de maneiras diferentes, mas seguir em frente, na sua cara, ser corajoso, pegar a bola, seguir em frente, colocar pressão e é por isso que eu queria que eles fizessem isso, porque teria sido bom para o jogo. ”

Posteriormente, foi perguntado se sentiria incomodado caso o recorde do Arsenal fosse alcançado.

“É por isso que eu pensei que eles iriam fazer isso [ficar invicto] e é por isso que eu queria que eles fizessem. É tão engraçado porque as pessoas me perguntam se eu ficaria chateado se eles fizessem isso, mas por que eu ficaria chateado? “

MARCA HISTÓRICA

Na temporada 2003-2004, os Gunnres em 38 jogos, somaram 90 pontos, com 26 vitórias e 12 empates. Henry foi o artilheiro da competição com 30 gols. Nesse sentido, até a derrota para o Watford, os Reds em 27 partidas, haviam vencido 26 e empatado apenas uma a 11 jogos do fim.

Foto Destacada: Reprodução/Goal.com/Getty Images

Amaury Ferreira
Escolhi o Jornalismo como profissão, porque desde a minha infância sempre fui fascinado pelos âncoras de telejornais e pelas transmissões esportivas no rádio e na televisão, a relação com meu time do coração também influenciou na minha escolha. Sou uma pessoa bem tranquila, mas que quando acredito em alguma coisa, sempre tento buscar correr atrás.

Artigos Relacionados