Havertz é liberado pela seleção alemã para realizar exames no Chelsea (Foto: Reprodução/AFP)

Concentrado com a seleção alemã para o jogo diante da Suíça pela Nations League, Kai Havertz foi liberado por Joachim Löw para viajar à Londres e realizar exames no Chelsea. Assim, esse será o último passo antes dos Blues anunciarem a contratação do meia. Segundo o “The Sun”, a transferência chegará na casa das 90 milhões de libras. Dessa forma, o jogador será o 7° reforço do clube londrino na atual janela.

Caso seja oficializada, a transferência de Kai Havertz para o Chelsea será a mais cara da história do futebol alemão. Além disso, também será a compra mais cara dos Blues em toda a história, superando a aquisição de Kepa Arrizabalaga por 71,6 milhões de libras.

https://twitter.com/B24PT/status/1301825840536223744

Havertz deixou a concentração da Alemanha a pedido de Rudi Völler, diretor esportivo do Bayer Leverkusen. Dessa maneira, sobre o assunto, Oliver Bierhoff, diretor de seleções do país disse saber da importância da situação para o atleta e o clube.

“O futuro pertence ao Kai, em seu clube e na seleção. Claro que preferiríamos que ele continuasse totalmente concentrado na seleção e neste início de trabalho nosso. Mas sabemos da importância disso para o Bayer Leverkusen e para o jogador, então temos que lidar com o caso de maneira responsável”, declarou.

Convocado para os confrontos diante de Espanha e Suíça pelas duas primeiras rodadas da Nations League, Kai Havertz não entrou em campo no confronto diante dos espanhóis na última quinta-feira (3). Segundo a imprensa alemã, o atleta não retornará para disputar a partida frente aos suíços.

Pelo Bayer Leverkusen, Kai Havertz tem 150 jogos disputados, com 46 gols marcados e 31 assistências. Dessa maneira, 45 partidas, 18 tentos e nove passes para gol foram na última temporada.

Foto Destaque: Reprodução/AFP

Renan Liskai
Renan Liskai
Muito prazer! Sou Renan Liskai, paulista, natural de Santo André. Desde 1998 falando, respirando, sorrindo, chorando e enlouquecendo por futebol. A vida de goleiro não deu certo, mas o jornalismo sempre esteve ali. Descobri que se não podia estar dentro de campo ou das quadras, eu poderia estar do lado de fora, mas sempre vivendo tudo isso. Sou daqueles que não perde um jogo de futebol por nada, seja ele qual for. Costumo dizer que esse esporte é assunto mundial e que não há uma pessoa no mundo que nunca tenha falado sobre tudo que acontece dentro e além das quatro linhas. Assim como todo mundo, carrego uma história e experiências. Sou filho, irmão, neto, amigo e sempre serei um eterno aprendiz dessa vida.

Artigos Relacionados