Mino Raiola empresaria as carreiras de Erling Haaland, Zlatan Ibrahimovic e Matthijs de Ligt. Em suma, ele reclamou da participação de atletas em manifestações políticas, demonstrando incômodo com as federações utilizarem esportistas como instrumentos. Desse modo, ao conceder entrevista ao canal NOS, da Holanda, disse que o engajamento de jogadores sobre questões fora do gramado deve ser feito através das redes sociais. Isso em virtude dos protestos ocorridos nas primeiras rodadas das Eliminatórias.

“Acho que os jogadores devem se manter longe de atos políticos. Caso desejem se manifestar, que o façam por suas redes sociais. Claramente, manifestações políticas são proibidas nos gramados. Jogadores não devem se envolver, pois é uma questão da FIFA, do Qatar e das entidades”.

Dessa maneira, após reportagem publicada no jornal inglês The Guardian sobre 6 mil operários mortos nas obras dos estádios no Qatar. Algumas federações decidiram se manifestar por direitos humanos nos confrontos das Eliminatórias. Casos de Noruega e Holanda, onde Mino Raiola possui clientes. Assim, os jogadores da Laranja Mecânica utilizaram camisetas dizendo ”Futebol apoia mudanças”. Isso antes da partida contra a Letônia, em Amsterdã. Dessa forma, a Noruega, de Erling Haaland, foi ao campo vestindo uma camiseta branca que tinha a frase ”Direitos humanos no campo e fora”.

Por fim, o empresário Mino Raiola declarou que se as federações desejam a participação de jogadores em questões do tipo, deveriam ser incluídos em decisões importantes, como votações de sede para a Copa do Mundo.

“Ao meu ver, colocam muita pressão nos jogadores, que não escolheram onde seria a Copa do Mundo, e sim, a FIFA e as outras entidades. Portanto, se querem o engajamento dos atletas, os deixem participar das votações que escolhem a sede do torneio”.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Avatar
Renan Silva
25 anos, natural de Osasco. Graduado em Jornalismo pelas Faculdades Integradas Rio Branco. Apaixonado por Esportes e Rock n Roll, durante a infância jogou Futebol de Salão e na adolescência praticou Artes Marciais. Sempre teve gosto pela leitura, sendo um fã assíduo das revistas TATAME e PLACAR (da qual possui coleção até hoje).