No dia 13 de maio de 2002, o River Plate erguia o troféu do Clausura Argentino, o último conquistado pelo técnico Ramón Díaz. Na casa de Los Millonarios, o River conquistou um título que veio de forma emocionante, pois o Gimnasia e o rival Boca Juniors estavam sempre na cola do líder. No fim, o campeão ficou com 43 pontos em 19 partidas, com 13 vitórias e apenas duas derrotas em toda competição.

 A TRAJETÓRIA PARA O TÍTULO

La Banda tinha acabado de passar pelo ano de seu centenário, 2001, que acabou sendo decepcionante pois a equipe perdeu o clausura para o Racing, por apenas um ponto de diferença. Aliás, ponto conquistado quando o Racing fez o gol de empate nos últimos minutos de River Plate 1 x 1 Racing. Em 2002, o time do River, treinado por Ramón Díaz, tinha um estilo muito ofensivo com apenas três zagueiros, estilo que lhe consagrou como técnico com mais títulos no clube. Além disso, Cambiasso dava um equilíbrio ao time de Diaz, fazendo com que não fosse extremamente vulnerável.

No Apertura, o time ainda não estava completamente ajustado e por isso vacilava muito. Já no Clausura, marcado por diversos momentos incríveis, houve uma virada fantástica contra o Estudiantes, que estava vencendo por 2 x 0 quando Cavenaghi (não por acaso o artilheiro da competição) marcou um Hat-Trick em 10 minutos para assegurar a vitória. Além desse, houve o Superclásico no qual o River venceu por 3 x 0 em plena La Bombonera. Cambiasso foi quem abriu o caminho para vitória extremamente almejada, pois fazia 8 anos que o River Plate não vencia o Boca em seu estádio. 

AS ESTRELAS DO TIME

Na frente havia um trio extremamente eficiente, Fernando Cavenaghi (conhecido como Cavegol), Ariel Ortega e o ainda jovem Andrés D’Alessandro (consagrado também no futebol Brasileiro). A defesa, pequena em quantidade, mas grande em qualidade,  contava com Rojas, Ayala e Garcé. Ainda, o time contava com o experiente goleiro Comizzo, além de Demichelis e Chori Domínguez.

Ou seja, era um prato cheio para quem aprecia o Futebol Argentino, lembrando que alguns destes jogadores também se aventuraram na Europa. Estes componentes trouxeram um grande equilíbrio para a máquina montada por Ramón Díaz,  o River marcou 39 gols e tomou apenas 13, se consagrando com o melhor saldo de gols daquele campeonato.

ESTEBÁN CAMBIASSO

Um fato curioso sobre o Argentino é que seus pais eram ambos atletas profissionais de basquete, logo ao longo de sua infância ele praticava basquetebol e futebol em dois lugares diferentes (GEVP e Parque). Peça fundamental para o título de 2002, Estebán foi um dos argentinos mais vencedores da história (mais de 20 troféus no currículo), ultrapassado apenas por Lionel Messi.

Entretanto em 2002, ainda no começo de sua trajetória, El Cuchu estava emprestado pelo Real Madrid ao River Plate, pois Los Galácticos trouxeram Cambiasso ainda na base, logo era necessário uma rodagem para que ele ganhasse mais “casca”. Em sua carreira considerando todos os clubes, empréstimos e amistosos, Cambiasso tem 813 jogos e 99 gols.

Porém no River, onde jogou apenas uma temporada, esteve em campo 37 vezes e marcou 12 gols. Ainda, de acordo com o próprio Cambiasso em entrevista dada ao El Gráfico: “Ganar el campeonato con River fue la consagración, haber madurado definitivamente”. Na Seleção Argentina, ele atuou em 52 jogos e marcou 5 gols, conquistando também um Mundial Sub-20, conquista que causou a ascensão dele como jogador.

Concluindo, Cambiasso deu ao River, como volante, o equilíbrio necessário para ser extremamente competitivo, além da entrega notável. Por sorte talvez, a vida o levou até o River Plate para ser campeão do Clausura, no mesmo ano no qual quem escreve esta coluna nasceu.

Foto destaque: Reprodução/ El Gráfico

Lucas Henrique Santos Noronha
Escolhi o jornalismo pelo enorme gosto por esportes e por sempre assistir programas esportivos em geral, além de um costume meu de criticar grandes problemas do nosso mundo atual. Eu estou no 1o semestre do curso, minha experiência com textos foi uma página que criei uma vez (sobre futebol) mas que por força de obrigações e por ser só eu cuidando não foi pra frente. Meu objetivo é crescer na área do Jornalismo ( a maior ambição é o esportivo) e acredito que a partir de agora, consegui um grande empurrão pra ganhar experiência na área (aliás trabalhar em sites assim sempre foi um objetivo meu). Sou uma pessoa extremamente paciente, acho que minha principal virtude.

Artigos Relacionados