Luis Suárez

Em um dia como hoje (3), no ano de 2005, Luis Alberto Suárez Diaz estreava na equipe profissional do Club Nacional de Football. Nascido e criado nas canteras da equipe Bolso, Luisito teve a sua primeira oportunidade com 18 anos de idade. Desde então sua carreira deslanchou e o jogador vem provando sua qualidade.

Decerto, Suárez não imaginava estrear naquele 3 de maio. Afinal, uma semana antes de seu debut, ele integrava o time B do Nacional e havia disputado partidas contra Defensor Sporting e Danubio, onde marcou dois gols. Desse modo, dias após suas atuações de gala entre os juniores, Luis Suárez foi convocado por Martín Lasarte, técnico da equipe principal. A invitação seria para integrar o plantel no jogo diante do Junior Barranquilla, pela última rodada da Copa Libertadores.

A rápida promoção do jovem atacante para o profissional pode ter ocorrido pela má fase que o Nacional vivia na Liberta. A saber, o desempenho Bolsilludo no Grupo 5, o mesmo de River Plate-ARG, Junior-COL e Olmedo-EQU, passava longe de ser satisfatório. Naquela oportunidade o retrospecto era o seguinte: cinco jogos, quatro derrotas e apenas uma vitória, segurando a lanterna do grupo.

A ESTREIA LONGE DE CASA

Possuindo três pontos de 18 possíveis, os uruguaios jogaram a última rodada sem qualquer chance de classificação. Desse modo, Lasarte escalou uma formação alternativa, afim de testar novas peças. Nos primeiros minutos de jogo a ideia parecia ter funcionado, Gonzalo Chori Castro abriu os trabalhos na Colômbia, com apenas 14′. A resposta do Junior não demorou, quatro minutos depois Martín Arzuaga deixou tudo igual. Depois disso, a intensidade baixou, ambas equipes não mexeram no marcador até os 30′ do 2º tempo.

Pouco antes, Luis Suárez entrou no lugar de Sebastián Vázquez. A aposta era mudar a cara do time nos instantes finais, e ao mesmo tempo dar experiência para Luisito. O cambio parecia ser certeiro, pois o Nacional conseguiu a vantagem com um gol de Juan Albín. Todavia, a sorte estava no lado colombiano. Três minutos após o gol uruguaio, o árbitro brasileiro Heber Roberto Lopes marcou pênalti na área Bolso. Hayder Palacio pegou a pelota e converteu, 2 x 2. Sem dúvida, o empate deu um banho de água fria em Suárez e seus companheiros, que nos acréscimos viram Martín Arzuaga marcar o terceiro gol do Junior, sacramentando a vitória.

Mesmo com o revés, o técnico Martín Lasarte, em entrevista ao portal Ovación, rasgou elogios para Luisito.

“Jogamos um bom jogo, apesar de termos acabado perdendo. No segundo tempo, precisávamos reforçar o ataque e Luis entrou. Ele entrou muito bem como extremo direito, com muito poder, com muito desejo, com muitas de suas coisas. Ele reforçou o que vinha mostrando nos treinamentos.”

CONTINUIDADE E PRIMEIRO GOL

Posterirormente, Luis Suárez voltou à campo em agosto, mais precisamente 3 meses e 25 dias após sua estreia. Novamente entrou nos minutos finais, só que contra o Cerro em duelo válido pelo Campeonato Uruguaio. Repetiu a dose em outros jogos, até que no dia 5 de setembro de 2005 finalmente marcou o seu primeiro gol, durante a goleada por 5 x 0 encima do Paysandú Bella Vista. Continuou sendo reserva por mais algumas partidas, e somente em outubro foi escalado como titular, ante o River Plate-URU.

A partir daí, Luis Suárez virou figurinha carimbada na formação do Nacional. No total disputou 35 jogos e marcou 12 gols, uma média de um gol cada 181 minutos. Tais números e atuações interessaram os olheiros do modesto Groningen, clube holandês. Dessa maneira, em julho de 2006, o atacante acertou a sua ida para Holanda, por uma quantia de 800 mil euros.

Foto destaque: Reprodução

Luciano Massi
Me chamo Luciano Massi, tenho 20 anos, sou paulistano. Estou no 6º semestre do curso de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Desde criança fanático pelo futebol dentro e fora das quatro linhas, histórias que vão além do esporte. Produzo o Derbicast, podcast voltado ao futebol alternativo, dando enfâse aos esquecidos. Entretanto, nunca me dei bem com a bola...

Artigos Relacionados