Barcelona

De fato o Barcelona é, atualmente, um dos melhores e maiores times do mundo, um time de alcance global. E essa relevância não se dá de um dia para noite, mas sim de um trabalho árduo de décadas. Desse modo, se olharmos para times do Barcelona que marcaram época, como o de Ronaldinho, Deco, Henry campeões continentais em 2005-06. Aquele esquadrão de craques dos anos 90 que foram muito vencedores e que contavam com Romário, Stoichkov e vários outros. Todos tem uma raiz profunda na mudança de mentalidade construída no começo dos anos 1970, quando Rinus Michels assumiu o comando e implementou sua filosofia.

Sendo assim, essas ideias foram tão bem assimiladas que geraram frutos naquela época, com conquistas e notoriedade. Porém, a influência é vista em times mais recentes, e um deles é o Barcelona comandado por Pep Guardiola. Evidentemente, Guardiola foi muito influenciado pelo craque Johan Cruyff que foi seu treinador, contudo ele busca referências das mais variadas. Em seu livro intitulado “Guardiola Confidencial”, ele diz ser um “ladrão de ideias”, se inspirando em Marcelo Bielsa e até em concepções de jogo bem opostas a sua, como a de Menotti e Capello. Ou seja, as referência para um modelo de jogo podem ser as mais variadas e indicam um ponto interessante do ex-Barça, a sua capacidade de se reinventar.

Time base: Victor Valdés; Daniel Alves, Piqué, Puyol, Abidal; Busquets, Xavi, Iniesta; Pedro, Villa e Lionel Messi.

Técnico: Pep Guardiola.

PERDE E PRESSIONA

Uma das características mais impressionantes desse time era a sua capacidade recuperação da bola. Dessa maneira, a ideia que Guardiola transmitia a seus jogadores era a seguinte: pressionem o homem da bola. Funcionava da seguinte maneira, quando o time perdia a posse da bola, os jogadores tinha a missão de recuperar a posse o mais rápido possível, pois na visão do treinador haveria mais chances de pegar o time adversário desorganizado e causar oportunidades de gol.

No entanto, se a equipe não conseguisse roubar a bola, o time se posicionava em 4-1-4-1 e variando para um 4-4-2. Marcava nesse período da organização defensiva com um bloco médio/baixo, e se movia de um lado a outro, negando os espaços. Sem dúvida essa marcação pressão tem os seus riscos, porque pode haver falta de concentração e é algo bastante desgastante em termos físico. Mas, se bem executada pode ser muito eficiente, pois a bola é recuperada mais próximo do gol.

UM ATAQUE ENCANTADOR

Em termos de organização ofensiva e movimentação esse time estava muito acima dos demais. Basicamente, o Barcelona no auge na temporada 2010-11 se posicionava em um 4-3-3, contudo havia uma particularidade, a saída de bola. Um tanto diferente, o time avançava Dani Alves para construir e infiltrar, enquanto que Abidal construía um pouco mais atrás, próximo aos meio-campistas. Outra chave para a saída de bola era Sergio Busquets, que com sua excelente qualidade no passe se aproximava dos zagueiros, proporcionando a ligação bem feita para o meio-campo.

Assim, no meio-campo era o setor onde abundava criatividade com Xavi e Iniesta, com muita visão do jogo e extrema qualidade técnica e na movimentação. Além de contar com toda a genialidade de Lionel Messi, que fazia um falso 9 muitas vezes, caindo pelas pontas e por dentro, para gerar situações em que a defesa adversária se desorganizasse. Esse ataque realmente encantava aos olhos, porque era fruto de muito trabalho e uma execução perfeita em um nível alto de competitividade.

UM TIME HISTÓRICO

Portanto, temos um dos times mais vencedores e dominantes da história do futebol. É um impacto enorme proporcionado por esse time e também um legado importante. Pois, grandes times se constroem com trabalho duro dentro e fora do campo, e esse time era exemplar. Além disso, contava com grandes jogadores, uma seleção de craques dirigidos por uma mente brilhante em matéria de organização tática. Então, o resultado não podia ser diferente, vitórias e títulos que marcaram toda essa trajetória.

Então, se o leitor gostou do texto e se interessou em saber mais sobre os aspectos táticos desse Barça, pode conferir um vídeo abaixo do canal Categoria de Base. Nesse vídeo, é explorado vários pontos do modelo de jogo aplicado no campo, como a maneira de marca e recuperar, as movimentações e formas de finalização. Tudo isso, tendo como base o clássico com o Real Madrid pelo Campeonato Espanhol em novembro de 2010.

Foto Destaque: Reprodução/Agência Reuters

 

 

Daniel Mendes
Desde criança me encantei com o futebol e mais tarde com esporte, de modo geral. Então, vi que no Jornalismo poderia ficar muito próximo de coberturas do esporte, o futebol, por exemplo. Além disso, eu me considero bastante comunicativo e as pessoas dizem que eu falo até demais. Assim, a ideia de cursar Jornalismo ficou martelando na minha cabeça e desde 2019 tenho a cada dia realizado esse sonho.

Artigos Relacionados