Grêmio tem interesse em atacante da Ponte Preta. (Foto destaque: Divulgação/Álvaro Jr./PontePress)

De antemão, o time profissional do Grêmio ainda não voltou de férias, mas os dirigentes do Tricolor Gaúcho estão trabalhando mais do que nunca no mercado da bola. De maneira que, a “bola da vez” é o atacante Moisés, da Ponte Preta, destaque do time de Campinas na Série B do ano passado.

Todavia, o atleta de 25 anos, catarinense de Morro da Fumaça e artilheiro da Macaca, teve um ano muito positivo individualmente e com números de destaque na temporada. Do mesmo modo, o mais importante é que o jogador ajudou o time a permanecer na Série B. Confira abaixo todos os gols do craque na Série B.

Ocasionalmente, com esses números, o Tricolor Gaúcho deseja ter o jogador nesta temporada. A saber, a diretoria do clube paulista não admite ter recebido uma proposta oficial. Vale lembrar que, recentemente houve resistência a investidas do futebol da Turquia e sondagens de clubes como Atlético-MG e Inter.

Grêmio tem interesse em atacante da Ponte Preta

Você sabia? Tendo jogado na várzea até 2018, o atacante iniciou a carreira pelo Hercílio Luz de Tubarão, passando pelo Concórdia, Brusque e saiu de Santa Catarina para jogar na Ponte em 2020.

Além disso, foi o artilheiro do ano da Macaca, com 13 gols (seis no Campeonato Paulista) e seis passes decisivos. Porém, como resultado, o camisa 21 foi confirmado pela CBF como o maior driblador do Brasileiro Série B, com 123 fintas realizadas em 37 dos 38 jogos.

Juntamente com isso, com 1,75 cm de altura e pesando 80kg, o atleta faz da força física uma arma, atuando pelo lado do campo. No entanto, para repassá-lo ao Grêmio, a Ponte só aceita receber dinheiro na transação, ao passo que a intenção gremista é de colocar jogadores no negócio.

Por fim, o futebolista é visto como um dos principais ativos da Ponte para fazer caixa. Vale lembrar, em abril, a Macaca pagou R$ 500 mil por 50% dos direitos econômicos, com contrato até 30 de abril de 2024. Por outro lado, o restante está dividido entre Concórdia (10%) e o jogador (40%).

Foto destaque: Divulgação/Álvaro Jr./PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs