Grêmio está na série B, mesmo após vencer partida

De antemão, pela terceira vez na tua sua história, o Grêmio está rebaixado para série B do campeonato Brasileiro. A saber, a equipe permaneceu na zona rebaixamento, desde a segunda rodada e desde então, o time fez uma das suas piores campanhas de pontos corridos.

Em suma, no duelo contra o Atlético-MG, que ocorreu na noite dessa quinta-feira (9), o time conquistou os três pontos, após vitória por 4 x3. Entretanto não fui suficiente para se salvar, já que paralelamente, era necessário que Bahia e Juventude perdessem suas partidas.

Ambos foram adversários direto e estavam com três pontos na frente do Tricolor Gaúcho. Caso tivessem sido derrotas, no quesito desempate, os Gremistas levariam a melhor. Contudo, apenas um dos resultados favoreceu, o Tricolor de Aço perdeu a partida para o Fortaleza, mas o caxienses conseguiram a vitória em cima do Corinthians e levou a melhor, se salvando do rebaixamento.

A equipe começou a partida muito bem, mas ainda assim, os outros resultados não estavam ajudando. Os 15 minutos finais foram cruciais, já que os torcedores tiveram esperança quando o Leão virou o placar. Mas em questões de minutos, a comemoração se transformou em choro, pois no Alfredo Jaconi o Juventude marcava o gol da vitória.

Grêmio para 2022

Nesse ínterim, logo após o duelo, o clube soltou uma carta aberta aos torcedores, que já estava pronta para ser solta. Em parte dela, foi feito um pedido de desculpas ao torcedor e falando sobre a trajetória de glórias. Além disso, foi prometido mudanças, par o próximo ano.

“O Grêmio voltará pelo trabalho sério — com os pés no chão e fazendo o que precisa ser feito —, por uma profunda reformulação e pela força desta nação que nunca deixa de apoiar.”, diz na carta.

Por fim, o elenco entrou de férias após a partida e retorna no dia 9 de janeiro, para pré-temporada do Campeonato Gaúcho.

Foto destaque: Divulgação / Pablo Nunes / Agência O Dia

Emilena Gonçalves
Prazer, Emilena Gonçalves! Estudante de jornalismo, gaúcha, gremista, Neymarzete e amante do futebol. Me apaixonei pelo futebol na copa de 2002 e por crescer em uma família que só acompanhava Copa do Mundo, precisei começar a frequentar os estádios sozinha, aos 14 anos. A vontade de fazer jornalismo começou aos 12 anos, e nada melhor do que unir duas paixões.