Goleiro com passagem pelo Brasil comemora novas chances no Nacional do Uruguai

Desde maio deste ano no Nacional, o goleiro uruguaio Martín Rodríguez, que teve passagem pelo futebol brasileiro, teve uma nova oportunidade com a camisa do time de Montevidéu. E foi uma grande atuação. Neste domingo, fora de casa, pela 5ª rodada do Clausura, o Bolso venceu o Fênix por 2 a 1. O goleiro que vestiu as camisas de Vitória-BA, Operário-PR e Santa Cruz-PE no Brasil defendeu um pênalti quando a partida estava 1 a 1 e foi eleito o melhor jogador da partida.

Martín Rodríguez foi contratado justamente para suprir a ausência do titular Rochet, que é figura certa nas convocações do Uruguai e está fora devido a rodada das eliminatórias da Copa.

“Estou muito feliz pela oportunidade de voltar a jogar. O Nacional é um time muito grande. Foi uma grande vitória como visitante, um jogo muito difícil. Consegui ajudar o time com uma boa atuação. Isso me deixa contente porque trabalho muito para quando as oportunidades aparecerem. Agora é continuar trabalhando para ir bem novamente quando novas oportunidades surgirem. Vamos em frente em busca desse campeonato que é o que todo mundo quer aqui”, afirma Martín.

Desde que chegou ao Nacional, Martín disputou sete partidas. Fora quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Em um jogos o camisa 12 saiu sem ser vazado. O próximo compromisso do Bolso é no sábado, contra o Boston River. O goleiro vive a expectativa por estar em campo mais uma vez, já que Rochet estará com o Uruguai em Manaus ainda na quinta-feira para o jogo contra o Brasil pelas eliminatórias.

PASSAGEM NO BRASIL

Revelado pelo Montevideo Wanderers, Martín também passou por Juventud e Racing, em solo uruguaio, além do Deportivo Pereira, da Colômbia, antes de chegar ao Brasil. O seu primeiro clube no futebol nacional foi o Vitória, em 2019, onde viveu sua maior sequência de partidas, com 28 jogos disputados na Série B daquele ano.

Em 2020, esteve em campo pelo Operário, onde atuou nove vezes antes de fechar sua recente trajetória no Brasil defendendo o Santa Cruz, onde atuou apenas duas vezes e acabou pedindo a rescisão de contrato.

Foto Destaque: Divulgação/Nacional

Redação FNV

Deixe um comentário