Giuseppe Conte

Apesar da pandemia do coronavírus, as atividades do futebol estão voltando aos poucos. Dessa maneira, após alguns times alemães, como Bayern de Munique, os clubes italianos também já poderão retornar aos seus treinamentos. Pelo menos, é o que garante o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, em entrevista.

VEJA MAIS:

Neste domingo (26), Giuseppe Conte anunciou que os clubes de futebol retornarão as suas atividades em duas etapas. Assim, na próxima segunda-feira (4), os jogadores estarão autorizados  a irem até a sede dos seus clubes, onde estão liberados para fazerem atividades individuais. Enquanto isso, os treinos coletivos já poderão acontecer a partir do dia 18 de maio. Conte disse que o ministro do esporte Vincenzo Spadafora trabalhará “intensivamente” com cientistas e líderes esportivos para garantir que os treinos sejam seguros.

“A partir de 4 de maio, profissionais e atletas de interesse nacional poderão treinar em conformidade com as regras de distanciamento social a portas fechadas”, declarou ele.

Atualmente os jogadores da elite do futebol italiano treinam em suas casas. A medida foi adotada há quase dois meses por conta da pandemia do coronavírus. Apesar da liberação dos treinamentos, Giuseppe Conte afirma que o retorno aos treinos não significa que há uma data para os confrontos da Serie A voltarem a acontecer. Vale lembrar que a Itália é um dos países mais afetados do mundo, somando mais de 26 mil mortos.

“Sou fã de futebol e no começo me pareceu estranho o campeonato ter sido interrompido, mas com essa emergência até os mais fanáticos entenderam que não havia alternativa. […] Avaliaremos se existem condições para o término do campeonato suspenso e, certamente, se chegarmos a essa conclusão, o faremos garantindo medidas de segurança máxima”, afirmou.

Foto destaque: Reprodução/Twitter

Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.

Artigos Relacionados