Geraldo, morte aos 22 anos de idade

Há 40 anos, em 26 de agosto de 1976, o talentoso meia Geraldo, do Flamengo, morreu vítima de choque anafilático, provavelmente por reação à algum medicamento composto na anestesia quando se submetia a cirurgia para extrair as amígdalas. Morte aos 22 anos de idade, no Rio de Janeiro.

Se naquela época Geraldo atendeu recomendação médica para que se submetesse a cirurgia, hoje é possível controle clínico de infecções das amígdalas devido aos avanços terapêuticos. Médicos otorrinolaringologistas prescrevem tratamentos através de antibióticos mais eficazes e seguros, com respostas satisfatórias.

Quando a cirurgia é indicada por causa de prejuízo de respiração, sono, alimentação, fala, ou registro de infecções frequentes, pacientes se submetem previamente a exames pré-operatórios com o anesteriologista. Aí é avaliado o histórico de rejeição a remédios, que se juntam ao diagnóstico sobre aqueles que podem interagir com os anestésicos, para não haver anormalidade.

Geraldo foi um meia extremamente habilidoso da equipe do Flamengo no biênio 1975-76, com lógica chegada à Seleção Brasileira, e frequentes elogios do então treinador Oswaldo Brandão, já falecido. Assim, disputou a Copa América de 1975, e foi considerado como promessa à Copa do Mundo de 1978, na Argentina. Não deu tempo.

Mineiro de Barão de Cocais – cidade que dista cem quilômetros de Belo Horizonte -, Geraldo Cleofas Dias Alves foi revelado nas categorias de base do Flamengo, em companhia do irmão mais velho Washington, que não vingou. Assim, Geraldo integrou a geração de ouro do clube comandada por Zico. Geração em que meias sequer precisavam olhar para a bola para conduzi-la com sabedoria, quer no drible, quer no passe. Pela extrema habilidade, cronistas cariocas até extrapolaram com projeções do surgimento de um novo Pelé.

Geraldo corria de cabeça erguida, e o defeito incorrigível foi a falta de ambição para finalizar contra metas adversárias. Preferia o passe a companheiro, e isso reflete no retrospecto de apenas 13 gols nas 168 partidas com a camisa do Flamengo, segundo o almanaque do clube.

Consta do histórico dele o título carioca de 1974, em época que contabilizava-se dois pontos por vitória. Como o Flamengo venceu o América por 2 a 1 e empatou sem gol com o Vasco, chegou a três pontos, em jogo presenciado por 165.358 torcedores. Já o Vasco empatou com o América por 1 a 1 e ficou com dois pontos. Eis o Flamengo da época: Renato; Júnior, Jayme, Luiz Carlos e Rodrigues Neto; Zé Mário, Geraldo e Zico; Paulinho, Édson e Julinho.

Irônico, Geraldo tinha hábito de assoviar quando fazia jogadas de efeito. Logo, o vício lhe rendeu o apelido de Geraldo do Assovio. Zico, entretanto, acrescentou que o hábito de assoviar também era fora de campo, principalmente a música ‘You Song, do cantor Elton John e interpretada pelo saudoso Billy Paul.

Ariovaldo Izac

Sobre Ariovaldo Izac

Ariovaldo Izac já escreveu 52 posts nesse site..

O portal Futebol na Veia passa a inserir em sua grade de conteúdos a coluna de futebol Reminiscências assinada pelo jornalista Ariovaldo Izac, com 38 anos de militância no jornalismo. O foco é abordagem sobre jogadores do passado, principalmente aqueles que mais se destacaram.

BetWarrior


Poliesportiva


Ariovaldo Izac
Ariovaldo Izac
O portal Futebol na Veia passa a inserir em sua grade de conteúdos a coluna de futebol Reminiscências assinada pelo jornalista Ariovaldo Izac, com 38 anos de militância no jornalismo. O foco é abordagem sobre jogadores do passado, principalmente aqueles que mais se destacaram.

    Artigos Relacionados

    Topo