Drogba e Anelka juntos, principais contratações do futebol chinês entre 2011 e 2014

A Superliga Chinesa foi criada em 2004 para substituir a antiga Liga Jia-A. Uma competição que marcou o início do futebol chinês por conta de escândalos envolvendo manipulações de resultados e apostas clandestinas no fim do século passado. Como resultado, gerou uma grande perda de interesse do público no esporte, além dos prejuízos financeiros.

E já em 2010, o campeonato local ficou novamente marcado negativamente, por conta de ações pelo alto comando da Associação Chinesa Futebol. Sendo assim, o governo chinês tomou medidas de âmbito nacional contra as partidas de futebol, a manipulação de resultados e corrupção no esporte. Portanto, Xie Yalong, Nan Yong e Yang Yimin foram presos – todos faziam parte da entidade e foram responsabilizados.

Posteriormente, no ano seguinte, em 2011, o movimento anti-corrupção tinha visivelmente melhorado a imagem da competição. Consequentemente, aumentou o engajamento do público que voltou a comparecer nas arquibancadas. Sendo assim, os clubes chineses começaram a investir pesado em jogadores em ascensão e estrelas internacionais. Vamos Escalar a Muralha e relembrar as principais contratações entre 2011 e 2014 no futebol chinês.

DARÍO CONCA: A PRIMEIRA INVESTIDA NO FUTEBOL CHINÊS

Após ser o craque do Campeonato Brasileiro de 2010, sendo campeão pelo Fluminense, Darío Conca foi o grande alvo do Guangzhou Evergrande. Após rejeitar duas propostas, os chineses apelaram para contar com o futebol do meia. Isso porque ofereceram um salário astronômico ao argentino, fazendo com que ele passasse a receber o terceiro maior salário do mundo, atrás somente de Cristiano Ronaldo e Messi. Dessa forma, Conca se viu obrigado a aceitar e enfim, foi anunciado no dia 01 de julho de 2011 pelo Tigres do Sul. Resultando aos cofres do Tricolor carioca uma quantia de 8,20 milhões de euros na época

Duas semanas depois, Conca marcou em sua estreia na goleada sobre o Nangchang Bayi por 5 x 0, com apenas 25 minutos em campo. E logo em seu primeiro ano, terminou o campeonato com nove gols e oito assistências em 15 jogos, sendo eleito o melhor meio-campista da competição. Ao todo, com a camisa do Evergrande foram 99 jogos, 54 gols e 37 assistências. Onde conquistou seis títulos, incluindo três Superliga Chinesa e a AFC Champios League de 2013. 

ANELKA E DROGBA

Reeditando a dupla de sucesso no Chelsea, os atacantes Nicolas Anelka e Didier Drogba chegaram ao Shanghai Shenhua como as principais estrelas do futebol chinês. Entretanto, o francês chegou seis meses antes e, certamente, foi um dos responsáveis pela ida de Drogba ao clube chinês. Naquela oportunidade, Anelka recebia o equivalente a 660 mil reais por semana, enquanto o costa-marfinense ganhava 825 mil. Apesar disso, não ficaram lá por muito tempo, alegando problemas internos no clube.

De fato, o elenco num todo não era competitivo, até por isso terminou aquela edição em 11º lugar. Além disso, vale ressaltar que Drogba e principalmente Anelka já não estavam em suas melhores condições, ambos já acima dos 30 anos. Nicolas chegou a realizar 23 partidas e marcou apenas três gols. Por outro lado, Didier foi às redes oito vezes em 11 jogos.

Contudo, foram duas passagens onde o Shenhua não obteve nenhum retorno financeiro. Pelo contrário, foram quase 13 milhões apenas em salários, fora o valor de luvas que receberam, por chegarem sem custos após deixar o Chelsea. Além de todo o desgaste com os atacantes que conseguiram a liberação após entrarem um longo acordo com o clube.

LUCAS BARRIOS

Após três anos no Borussia Dortmund, o atacante paraguaio Lucas Barrios foi contratado pelo Guangzhou Evergrande por 8,50 milhões de euros. Pelo clube alemão, foram 49 gols e 17 assistências em 102 partidas. Mas as lesões em sua última temporada fizeram com que os Aurinegros o liberassem para o clube chinês, em julho de 2012.

E esses problemas físicos permaneceram, fazendo com que Barrios ficasse ausente em boa parte dos compromissos do Evergrande. Consequentemente, o clube se viu numa posição de que não era possível continuar com tal investimento pelo atacante, ficando 22 jogos longe dos gramados por conta de lesão. Entretanto, Lucas ainda conseguiu marcar 13 gols e dar sete assistências em 32 jogos e conquistar quatro títulos, incluindo ai a AFC Champions League, até ser vendido para o Spartak Moscow, da Rússia.

FRÉDÉRIC KANOUTÉ

Em sua reta final de carreira, Frédéric Kanouté desembarcou na China em julho de 2012. Com passagens por Lyon, West Ham, Tottenham e Sevilla, o malinês chegou ao Beijing Gouan para jogar sua última temporada por custo zero na negociação. Seu companheiro de ataque era o brasileiro André Lima. Mas juntos não fizeram o suficiente para erguerem uma taça.

Os Guardas Imperais ficam nas oitavas de final após serem eliminados para o FC Seoul, da Coréia do Sul. Enquanto na Copa da China foram despachados pelo Guangzhou Evergrande com 7 x 4 no agregado – nas quartas de final. Por fim, terminaram a Superliga da China na 3ª posição, com 51 pontos, atrás de Shandong Luneng (59) e o Evergrande disparado com 77 pontos.

SEYDOU KEITA

Depois de atuar por quatro anos com a camisa do Barcelona entre 2008 e 2012, o ainda DL Aerbin anunciou a chegada de Seydou Keita. O meia campista que fez parte do até então melhor Barcelona com Pep Guardiola, chegou sem custo, após o término de seu contrato com o clube catalão onde faturou 14 títulos. E pela equipe chinesa atou por duas temporadas até retornar para a Espanha, desta vez, ao Valência.

https://twitter.com/dyesbro/status/1245966824740716544?s=20

Keita era a grande referência técnica da equipe, que não era das mais fortes. Entretanto, o meia-campista conseguiu elevar o nível do time em campo, o deixando bem colocando na Superliga Chinesa em suas temporadas por lá, ambos na 5ª colocação. Mas com a oportunidade de retornar ao futebol europeu, o malinês, optou em deixar a China. Por lá, foram 10 gols marcados e seis assistências em 41 jogos. Coincidentemente, foi só Keita deixar o clube, e a equipe foi rebaixada na temporada seguinte com 29 pontos em 30 rodadas, junto ao Zhejiang Yiteng.

VÁGNER LOVE, ALOÍSIO E MONTILLO

Revelado pelo Palmeiras, com boa passagem no CSKA da Rússia, e depois de forma a dupla ‘Império do Amor‘ com Adriano no Flamengo, Vágner Love foi contratado pelo Shandong Luneng em julho de 2013. O clube russo fatorou nada mais nada menos que 12 milhões de euros na oportunidade. Meses depois, Aloísio, o boi bandido, também foi contratado pelo clube junto ao São Paulo, este por 5 milhões de euros. Na sequência, chegou Montillo que estava no Santos por 7,5 milhões de euros.

Juntos, logo no primeiro ano, conquistaram a Copa da China, em cima do Jiangsu Suning. Com destaque para Love, autor de três gols, na partida de ida, na vitória por 4 x 2. Entretanto, na Champions da Ásia foram eliminados na fase de grupos e ficaram apenas na 5ª colocação da Superliga Chinesa. No ano seguinte, a dupla no ataque se desfez porque Vágner Love retornou ao Brasil, rumo ao Corinthians. Deixando então o Shandong Luneng com 28 gols e 12 assistências em 43 partidas.

Em contrapartida, Aloísio e Montillo permaneceram e superaram o Guangzhou na Supercopa da China por 5 x 3 nos pênaltis. Em um duelo de brasileiros, pelo lado do Evergrande estavam Renê Júnior, Alan, Elkeson e Ricardo Goulart. No Luneng: Júnior Urso, Tardelli e Aloísio, onde Cuca era o técnico, além de Montillo. Contudo, chegou-se ao fim a passagem de Aloísio pelo Goleadores, com 41 gols e 12 assistências em 85 jogos, quando foi comprado pelo HebeiFortune. Cinco meses depois, foi a despedida do argentino (96 jogos, 21 gols e 22 assistências), que foi jogar no Botafogo.

Hoje, Aloísio permanece na China, em janeiro foi contratado pelo Guanghzhou de Paulinho e cia. Por outro lado, Montillo chegou a anunciar sua aposentadoria após uma sequência de lesões no Fogão. Mas depois mudou de ideia e passou a jogar pelo Tigre, da Argentina, onde venceu o único título do clube sobre o Boca Juniors, sendo o garçom da competição. Hoje está no Universidad de Chile.

O CRESCIMENTO DA ATRAÇÃO PELO FUTEBOL CHINÊS

Até então, o maior número de público nos estádios foi na edição de 2007, quando o Changchun Yatai conquistou o título épico. Naquele ano, foi computado 3,173,500 milhões de pessoas nas arquibancadas, com média de 15 mil pessoas por jogo. E depois do movimento anti-corrupção + os investimentos dos clubes, atraiu ainda mais a população chinesa.

Assim, em 2018, somando as arquibancadas dos 16 times na competição, chegou-se a 5,785,776 milhões de torcedores, aumentando a média para 24 mil pessoas por jogo. Os grandes responsáveis por esses números são os apaixonados pelo Evergrande que lideram a maior média nos estádio, superando os 40 mil torcedores desde 2011.

Contudo, multi-campeão, o técnico Marcello Lippi aceitou entrar no planejamento do Guangzhou Evergrande em 2012 e e fez história. Campeão de tudo com a Juventus na década de 90, campeão da Copa do Mundo com a seleção da Itália em 2006, deu início a história do hoje maior clube chinês.

https://twitter.com/B24PT/status/1201127822829469696?s=20

Enfim, esses foram os nomes que fizeram parte da história nessa ‘retomada' do futebol chinês entre 2011 e 2014, em breve, a parte 2…

Foto em destaque: Reprodução – Futebol Chinês

Thiago Lopes
Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

Artigos Relacionados