Futebol Chinês: as grandes contratações da década parte 2

- A Superliga Chinesa começou a ter overdose de brasileiros em 2015
Paulinho, Goulart e Robinho juntos no futebol chinês pelo Guangzhou Evergrande

Depois de falarmos sobre as principais contratações dos clubes chineses entre 2011 e 2014, chegou o momento de dar continuação aos grandes nomes que foram seduzidos a disputar a Superliga Chinesa. Vale lembrar que, a competição substituiu a antiga Liga Jia-A marcada por escândalos envolvendo manipulações de resultados e apostas clandestinas. Assim, fazendo com que o público perdesse o interesse de acompanhar o futebol chinês, resultando em prejuízo financeiro para a organização.

Em 2011, o movimento anti-corrupção tinha visivelmente melhorado a imagem da competição. Consequentemente, aumentou o engajamento do público que voltou a comparecer nas arquibancadas. Sendo assim, os clubes chineses começaram a investir pesado em jogadores em ascensão e estrelas internacionais, como Anelka e Drogba. Portanto, vamos Escalar a Muralha e relembrar as principais contratações do futebol chinês, de 2014 até o fim de 2016, que contou com overdose de brasileiros.

2015: EVERGRANDE E LUNENG EM AÇÃO

Após acumular quatro títulos de Superliga de forma consecutiva, o Guangzhou Evergrande se reforçou ainda mais com três brasileiros. O primeiro foi Ricardo Goulart, na ocasião, atual bicampeão Brasileiro pelo Cruzeiro em 2013 e 2014, o meia atacante foi um dos destaques nas duas campanhas ao lado de Everton Ribeiro e chamou a atenção dos chineses. Com isso, os Tigres do Sul pagaram 15 milhões de euros ao clube mineiro. Três dias depois, Diego Tardelli, rival de Goulart no Brasil, foi contratado pelo Shadong Luneng, junto ao Atlético Mineiro.

Já na metade do ano, após a janela de transferência na Europa se abrir, mais dois grandes nomes reforçaram o Guangzhou. Paulinho até então, titular da Seleção Brasileira e jogador do Tottenham, foi contratado por 14 milhões de euros. Um investimento e tanto. E duas semanas depois, Robinho, ele mesmo, também se acertou com o clube, após seu vínculo com o Milan chegar ao fim.

Mas o ‘rei da pedala' ficou por pouco tempo – apenas seis meses – onde marcou três gols e deu uma assistência, em 10 partidas, até desembarcar em Belo Horizonte, no Atlético Mineiro, ex-clube de Tardelli. Este que ficou quatro anos nos Goleadores, onde conquistou a Supercopa da China 2014/15. Com a camisa laranja, Diego marcou 51 gols e distribuiu 26 assistências em 98 jogos até fevereiro de 2019 quando foi para o Grêmio.

Goulart e Paulinho: os reis do futebol chinês

Ricardo Goulart e Paulinho permanecem no Guangzhou Evergrande até hoje (2020). Entretanto, ambos em um certo momento, deixaram a China, mas logo retornaram aos Tigres. Primeiro, o camisa 8 foi jogar no Barcelona em agosto de 2017, por onde foi muito bem. Mas a equipe chinesa, em uma situação até questionável, pagou por um valor ainda mais alto ao clube catalão pelo brasileiro, que então voltou para Cantão.

Recentemente, Goulart optou em jogar no Palmeiras, clube que segundo ele é torcedor. Mas na estreia do Brasileirão se lesionou gravemente e depois de receber uma grande proposta do futebol chinês decidiu por retornar. Isso porque, além de um considerável aumento salarial, pôde se naturalizar chinês e atuar pela seleção de futebol da China.

Contudo, ambos acumulam oito títulos pelo clube, incluindo uma Champions League da Ásia. Por outro lado, Ricardo foi eleito duas vezes o melhor jogador da temporada – Paulinho foi uma vez eleito. Praticamente com a mesma quantidade de jogos pelo Guangzhou (157 x 156), Goulart obviamente é quem mais marcou gols, por conta de sua posição, indo 103 vezes às redes, além de 53 assistências. Por outro lado, o ‘xerifão' no meio de campo, sempre fazendo o famoso ‘box-to-box', até o momento marcou 63 gols e deu 25 assistências.

2016: CLUBES INVESTEM PESADO

42 milhões de euros foi a quantia que o Guangzhou Evergrande pagou ao Atlético de Madrid pelo colombiano Jackson Martínez. Contratação que pode ser considerada o maior ‘fracasso' do futebol chinês devido a tanto investimento sem nenhum benefício. Isso ficou por muito tempo ausente devido a lesão em seu tornozelo, ficando de fora de toda a temporada 2017/18. Realizando apenas 16 partidas, onde marcou quatro gols. Até que passou a ser emprestado para o Portimonense, e após o término de seu vínculo com os Tigres do Sul da China em dezembro de 2019, permanece em Portugal.

O Hebei China Fortune tirou Gervinho da Roma, por 18 milhões de euros, e Lavezzi do PSG, em janeiro de 2016. E ambos não fizeram jus ao investimento, conseguindo, no máximo, apenas a 4ª colocação na Superliga em 2017. O marfinense marcou apenas quatro gols em 29 atuações (bizarro), sendo até rebaixado para o time B do clube. Por outro lado, o argentino, se aposentou por lá, já no fim da temporada passada, com 35 gols e 32 assistências em 75 compromissos.

Fechando o grupo de ‘gringos', após anos no Porto e Inter de Milão, Fredy Guarín desembarcou na China para jogar pelo Shanghai Shenhua. Foram 13 milhões gastos pela equipe, onde o colombiano atuou por pouco mais de três anos. Por lá, o meia marcou 28 gols e distribuiu 22 assistências exatas 100 partidas, onde conquistou duas Copas da China, hoje o Shenhua é o 3º maior campeão do torneio.

OS NOVOS BRASILEIROS EM SOLO CHINÊS

O Jiangsu Suning contratou Ramires em 27 de janeiro de 2016, após o brasileiro deixar o Chelsea, clube por qual atuou seis anos. Com exceção do lado financeiro, a passagem do volante na China não foi nada memorável. Após duas temporadas foi rebaixado a equipe B do clube, por qual ficou seis meses. Depois disso integrou o elenco principal até maio de 2019, quando ficou sem clube, até dois meses depois ser contratado pelo Palmeiras. Em solo chinês atuou em 73 jogos, nos quais marcou 17 gols e deu 13 assistências.

Alex Teixeira, por outro lado, também contrato em 2016 segue no clube até hoje. O Suning pagou 50 milhões de euros ao Shaktar Donetsk para contar com o futebol do meia. Entretanto, apesar de bons números individuais, não conquistou nenhum título por lá, apenas um vice-campeonato da Superliga em seu primeiro ano no clube. Ao todo, foram 133 partidas e 63 gols, além de ser ‘garçom' em 38 oportunidades.

Hulk e Renato Augusto: contratações eficientes

Por fim, outros dois grandes nomes brasileiros movimentaram o mercado chinês em meados 2016. Estamos falando de Givanildo Vieira de Souza, o Hulk, e Renato Augusto. O primeiro, foi contratado pelo Shanghai SIPG junto ao Zenit da Russia, por 55,80 milhões de euros, como sempre, sendo a maior contratação por onde passa. O segundo, depois de um desempenho excepcional no Brasileirão de 2015 pelo Corinthians, chegou ao Beijing Guoan por 8 milhões de euros.

Os Guardas Imperiais liderados pelo camisa 5 por pouco não desbancou o Guangzhou na Superliga Chinesa em 2019, ficando apenas dois pontos atrás na tabela, com o vice-campeonato. Apesar de não conseguir, pelo menos ainda, o bicampeonato pelo Beijing, a passagem de Renato é bem positiva pelo clube, onde atuou em 129 oportunidades, marcando 36 gols  além de 38 assistências, e um título da Copa da China.

Ao lado de Oscar, que chegou ao clube por 60 milhões junto ao Chelsea, em 2017, Hulk faz parte do planejamento do SIPG de se tornar grande no cenário nacional. E o primeiro passo foi dado ao conquistar a épica Superliga Chinesa em 2018, quebrando a hegemonia do Guangzhou. Consequentemente, veio a final da Supercopa da China, onde superou o próprio Beijing Guoan de Renato Augusto por 2 x 0. Já são, até aqui, 125 partidas de Hulk pelo Red Eagles, com 69 tentos marcados, além de acumular 53 passes para gols. Oscar, por outro lado, soma 66 assistências e 39 gols em 123 jogos.

FUTEBOL CHINÊS: CONTRATAÇÕES PARTE 3 VEM AÍ

Em 2017, o Tianjin Tianha contratou Witsel e Pato. O Shaghai Shenhua levou Tévez, enquanto o Hebei Fortune, contratou Hernanes, ambos da Juventus. Ighalo foi para o Changchun Yatai. Meses depois a CSL contou com as aparições de GaitánCarrasco, Bakambu, Mascherano, Hamsik, Talisca, Miranda e Fellaini… Todas essas passagens serão relatadas na parte 3, a última dessa sequência de grandes contratações do futebol chinês!

Foto em destaque: Divulgação/Guangzhou Evergrande – futebol chinês

BetWarrior


Poliesportiva


Thiago Lopes
Thiago Lopes
Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

Artigos Relacionados

Topo