Futebol argentino tem retorno confirmado

- Reunião que selou a definição dos grupos teve polêmica criada por Boca e River quanto às cotas televisivas
Argentino.

Após sete meses parado devido à pandemia da Covid-19, a AFA (Asociación del Fútbol Argentino) em conjunto com a LPF (Liga Profesional de Fútbol) sortearam os grupos para disputa da Copa LPF. A reunião aconteceu na última sexta (16), em Ezeiza, e reuniu representantes dos 24 clubes que compõem a elite do futebol nacional.

A Copa LPF é um torneio que terá sua primeira edição essa temporada e vem para substituir a Superliga Argentina. Nesse sentido, o formato da competição será por fase de grupos, e os finalistas terão vaga garantida na Copa Libertadores de 2021. Desse modo, a competição está prevista para começar no próximo dia 30.

Inicialmente a copa terá seis zonas com quatro equipes cada, sendo que esses quatro times jogarão entre si em sistema de ida e volta. Assim, os dois clubes mais bem classificados de cada zona avançam para Fase Campeón, e serão divididos novamente. Dessa vez os doze times restantes serão distribuídos em dois grupos e farão jogos em um arranjo de tiro curto. Os primeiros colocados de cada grupo serão os finalistas do campeonato.

As 12 equipes que não se classificarem para Fase Campeón, jogam de forma similar a Fase Complementacíon. Porém, os finalistas desta fase vão ter que jogar contra os segundos colocados da Fase Campeón. Os vencedores deste duelo disputam a Copa Sul-Americana de 2022.

Zonas

O Racing Club não deve ter muitos problemas para conseguir avançar para primeira fase. Isso porque caiu em uma zona relativamente fácil e seus adversários serão Arsenal de Sarandí, Atlético Tucumán e Unión de Santa Fé.

Por sua vez, o Independiente de Avellaneda não atravessa um bom momento, mas não jogará com oponentes muito fortes também. O principal adversário deverá ser o Defensa y Justicia que está disputando a Libertadores. As outras duas equipes que completam o grupo são Central de Córdoba e Cólon.

Na zona três parece haver mais equilíbrio, pois apesar de conter o poderoso River Plate, possui também clubes tradicionais do futebol argentino. Banfield, Godoy Cruz e Rosário Central prometem impor dificuldades ao time de Marcelo Gallardo.

A zona quatro foi taxada de grupo da morte, uma vez que possui três times que já foram finalistas da Libertadores. Além disso, Boca, Newells Old Boys e Lanús tem elencos fortes que brigam para chegar nas fases finais do torneio. O Talleres não levou sorte e vai ter que brigar contra esses gigantes para surpreender a todos.

A zona cinco conta com três campeões da América, San Lorenzo, Argentinos Juniors e Estudiantes de La Plata. Mas para sorte do Aldosivi, outro integrante da zona, nenhum desses clubes passa por um bom momento.

A sexta e última zona tem o Vélez Sarfield e o Huracán como os favoritos para avançar para a próxima fase. Dessa forma, Patronato e Gimnasia y Esgrima terão seis rodadas para  desapontar a opinião da maioria e se classificar entre as duas melhores do agrupamento.

Polêmica

A polêmica do dia começou com as ausências de Jorge Ameal, presidente do Boca Juniors, e de Rodolfo D'Onofrio, presidente do River Plate, no evento de sorteio dos grupos. A princípio, justificaram-se as faltas pois ambos dirigentes são da zona de risco de contágio da Covid-19. Contudo, ao término da reunião, Xeneizes e Millonarios soltaram uma nota conjunta dizendo que foram excluídos do acordo sobre a nova cota televisiva.

Quando questionaram Marcelo Tinelli, presidente da LPF, sobre o mal estar entre Boca e River contra a AFA, ele  afirmou desconhecer sobre qualquer problema. Segundo Tinelli, as instituições estão abertas para novas propostas, mas enfatizou que quem decide é o voto dos 24 times da elite nacional.

Ao tomar conhecimento da nota de Boca e River, o presidente da Lanús desmentiu e disse que todos os clubes sabiam de toda a negociação. Ainda de acordo com Nicolás Russo, não tem nada fechado, mas os outros 22 times querem uma cota de TV mais equitativa.

Sem nenhum acordo de transmissão fechado, o clima de tensão paira no ar do futebol argentino. Boca Juniors e River Plate, os clubes mais populares do país, querem um aumento nos seus ganhos relativos a transmissão. Por sua vez, os demais clubes conseguem convencer a AFA que os direitos televisivos precisam ser repartidos de forma mais igualitária.

 

Foto Destaque: Reprodução/ Futebol Portenho

Avatar

Sobre Enzo Gabriel

Enzo Gabriel já escreveu 9 posts nesse site..

Sou o Enzo, sou de Brasília e tenho 20 anos. Completamente apaixonado por futebol e totalmente focado em virar um grande jornalista esportivo. Por enquanto faço sociologia na Universidade de Brasília

BetWarrior


Poliesportiva


Avatar
Enzo Gabriel
Sou o Enzo, sou de Brasília e tenho 20 anos. Completamente apaixonado por futebol e totalmente focado em virar um grande jornalista esportivo. Por enquanto faço sociologia na Universidade de Brasília

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo