A princípio, essa última semana do Futebol Argentino foi movimentada. Enquanto o Boca Juniors anunciou a renovação de seu jogador, o Huracán noticiou o nome do seu novo presidente. Por outro lado, o River Plate já tem novo dono da camisa 10.

BOCA JUNIORS RENOVA CONTRATO COM LATERAL

No último sábado (20), o Boca Juniors anunciou a renovação de contrato com o jogador Frank FabraApós o jogo de volta da Libertadores contra o Santos, o lateral passou a ser bastante criticado pela torcida. Isso, porque, além de terem perdido por 3 x 0, o jogador foi expulso logo no início do 2º tempo, depois de dar um pisão no pé de Marinho, atacante adversário.

“O defensor Frank Fabra, que tem 101 jogos e quatro títulos com esta camisa, assinou neste sábado a sua renovação de contrato até dezembro de 2023”, o clube xeneize informou em suas redes sociais.

Com isso, Fabra está no Boca Juniors desde 2016, e continuará por mais duas temporadas.

HURACÁN TEM NOVO PRESIDENTE

David Garzón venceu as eleições do Huracán, e é o novo presidente do clube. O seu adversário, Alejandro Nadur, esteve no comando do clube por quase 10 anos. Foi eleito em 2011, com 69% dos votos; em 2014, com 73% e em 2017, somando 64%. Ele encerra agora o seu período no comando do Globo. 

O novo presidente, que venceu por 23 votos de diferença, prometeu que irá trabalhar para ver o clube conquistar títulos.

“Quero encerrar meu mandato como campeão. Espero conseguir e vamos trabalhar para isso”, afirmou Garzón.

Em sua coletiva de imprensa, Garzón também disse estar preocupado com a situação econômica e financeira do Huracán, pois, até então, não tinha informações oficiais. O presidente informou que a equipe espera e deseja não encontrar nada além do que imaginam.

“Tivemos uma conversa muito boa com todo o time. Transmitimos nosso apoio e incentivo a eles e nos colocamos à disposição. Queremos muita presença de liderança no dia a dia”, disse Garzón, ao falar sobre time.

GALLARDO FALA SOBRE O RIVER PLATE

O treinador do River Plate, Gallardo, voltou a falar sobre o seu futuro no clube.

“Estou em um lugar muito representativo e onde também sou muito bem pago. Não preciso sair para mostrar que posso ser um treinador melhor e não tenho vontade de queimar etapas para me testar. Eu faço isso todos os dias aqui, porque exige uma demanda máxima. Além disso, quero estar perto dos meus amigos e para viver feliz”, afirmou após a vitória do Millonarios contra o Rosário.

O treinador relembrou quando chegou ao River e disse que para chegar lá, era preciso preparo, pois é um grande clube. Além disso, Gallardo afirmou que o compromisso com a equipe foi total e que passou mais tempo no River do que em qualquer outro lugar.

“No dia em que eu vir que não consigo mais convencer as pessoas em quem confio, que isso não os atinge tanto, que não posso impor as formas com as quais me sinto identificado, aí vamos ver. Hoje gosto do que faço e vivo o dia a dia. Isso me faz não pensar. Não sei quanto tempo vou demorar. […] O que hoje não parece perto, talvez amanhã esteja”, Gallardo falou, em relação ao momento de despedida do clube.

O treinador também falou sobre os jogadores do seu time e fez até elogios. Admitiu também que o seu trabalho nos últimos meses é um orgulho para ele.

RIVER TEM NOVO CAMISA 10

Após a saída de Nacho Fernández, a camisa 10 do time do River Plate ficou até então sem dono. Só na última sexta-feira (19), que o Millonarios divulgou os jogadores relacionados para a Copa da Liga com as suas numerações.

Jorge Carrascal quem herdou a camisa 10 do time. O colombiano se recuperou da Covid-19 recentemente, e está voltando a ter espaço na equipe.

Com a notícia, gerou uma repercussão na torcida do River. Muitos lamentaram a saída do antigo dono da camisa. Em uma pesquisa de votos no site do TyCSports, cerca de 53% dos torcedores acham que Carrascal não merecia a camisa 10 do time. Basta agora esperar para ver se Gallardo, que já herdou a 10 enquanto jogava nos Millonarios, acertou mais uma vez.

Foto Destaque: Divulgação/Boca Juniors

Avatar
Joana Lacerda
Fazendo uma junção das coisas que eu mais amo: esportes, jornalismo e escrita; cheguei a conclusão de que era o jornalismo esportivo que eu queria para a minha vida. Me resumo como uma baiana estudando na capital do Brasil com o objetivo de alcançar o que tanto desejo, que é trabalhar nessa área do esporte e me capacitar cada vez mais!

Deixe uma resposta