Formiga: 7 Copas é coisa de menina

- Na Seleção desde 1995, a jogadora segue fazendo história a cada campeonato
Formiga: A Jogadora das Copas

De Salvador à França para se tornar a única jogadora do mundo, entre homens e mulheres, a jogar sete mundiais. Voltou atrás na aposentadoria da amarelinha para jogar a Copa América, e além disso, aos 41,  jogou sua 7ª Copa do Mundo, sendo a mais experiente em campo. Aos 42 anos, Formiga parece imparável. Portanto, no Rainhas da Bola dessa semana, conheça a história de Formiga, a Jogadora das Copas.

COMEÇO DA HISTÓRIA

Miraildes Maciel Mota nasceu em 03 de março de 1978, na cidade de Salvador na Bahia. Desde sempre era perceptível seu gosto pelo esporte, já que aos sete anos ganhou uma boneca de presente, mas logo arrancou a cabeça do brinquedo e começou a chutar, como se fosse uma bola de futebol. Vinda de uma mãe com cinco filhos, Miraildes era única mulher, e nisso, sua luta contra os preconceitos se iniciou ainda criança. Apesar de já ser destaque, alguns de seus irmãos não concordavam que ela seguisse esse caminho, então apanhava em vários momentos. Entretanto, desistir não era uma opção. Entrou de verdade para o mundo futebolístico aos 12 anos e foi apelidada de Formiga por um torcedor, alcunha que não foi mais esquecida.

Leia Mais:

A PRECOCE CHEGADA AO FUTEBOL

As oportunidades bateram cedo à porta de Formiga. Em busca do sonho, sua entrega era tanta, que aos 12 anos começou a caminhada rumo a história do futebol. Mas nem sempre foi jogadora dos gramados. Seu primeiro clube foi de futsal, o Euroexport, que surgiu depois do treinador chamar as meninas do bairro para jogar. Não demorou muito para perceberem que estavam diante uma jovem promessa.

“O mais difícil é quando a gente sai de casa. Mesmo com a dificuldade, você tem o carinho da mãe. Os primeiros meses foram difíceis, você começa a caminhar até 12, 13 anos do lado da sua mãe dia e noite, e de repente não tem mais aquilo.” ressaltou a meia da Seleção ao GloboEsporte.

Formiga - UOL
Formiga em treino – Reprodução UOL

Logo após ser revelação do Campeonato Baiano, também se sagrou jogadora revelação do Brasileirão pelo São Paulo, o que propiciou a convocação para a Seleção Brasileira, com apenas 16 anos. Ademais, Formiga fez história por outros clubes, principalmente o São José-SP. Pelo time, foi tricampeã da Libertadores (2011, 2013 e 2014), e conquistou um dos títulos mais sonhados pelos clubes de futebol: Mundial de Clubes.

JOGADORA DAS COPAS

Aliás, durante os anos e até hoje, Formiga tem sido inspiração de força e garra para muitas meninas que sonham com o futebol profissional, e também pelas jogadoras e companheiras de time e Seleção. Desde sua primeira vez com a amarelinha, a meio campista é figurinha carimbada nas convocações, se juntando com recordes e mais recordes. E o currículo é extenso. A saber, a primeira competição com a Canarinho foi a Copa do Mundo de 1995 – 2ª edição do torneio. Adiante, foram mais seis participações em mundiais (1999, 2003, 2007, 2011 e 2015 e 2019). Apesar do Brasil não ser campeão em nenhuma das edições, Formiga saiu com marca que nenhum outro jogador do mundo conseguiu igualar: sete vezes jogadora de Copa do Mundo. Em seguida, contra a Jamaica no mundial da França em 2019, era a jogadora mais velha em campo, com 41 anos.

Formiga: Jogadora das Copas
Formiga: Recorde de sete vezes jogadora de Copas do Mundo e a mais velha em campo na França 2019 – Reprodução CBF

Outro recorde pertence a brasileira: Jogadora com mais participações em Olimpíadas, totalizando seis atuações – Atlanta 1996, Atenas 2000, Sydney 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016. Nisso, são duas medalhas de prata na Grécia e na China. Por outro lado, foram três medalhas de ouro e uma de prata por Jogos Pan-Americanos. Em 2016, anunciou aposentadoria da Seleção, mas dois anos depois, a pedido do técnico Vadão, Formiga repensou a decisão. Assim sendo, integrou a equipe que ficou em 1º lugar na Copa América Feminina disputada no Chile.

Os números com a camisa da Seleção Brasileira impressionam. São 160 jogos, 23 gols e 24 anos representando o país. Número de partidas maior do que qualquer jogador da seleção feminina e masculina já alcançou.

HOMENAGENS E PRÊMIO INDIVIDUAL

A sala Anjos Barrocos, no Museu do Futebol em São Paulo, abriu espaço para homenagear as jogadoras femininas. Em 2015, ano que até então tinham apenas ídolos do esporte masculino, teve como primeiras contempladas Formiga e Marta. Como resultado de toda sua trajetória, a jogadora apareceu também nas histórias em quadrinhos da Turma da Mônica. Maurício de Sousa a homenageou na série “Donas da Rua da História”, na qual cita mulheres  importantes que marcaram época. Além disso, recebeu o prêmio Bola de Prata – Destaque Futebol Feminino – em 2016.

PASSAGENS NA CARREIRA

  • Brasil: São Paulo (1993-1997; 1999); Portuguesa (1998); Santos (2002); Saad (2007); Botucatu (2008); São José (2011; 2013-2016); América de Natal (2012) e São Francisco do Conde (2016);
  • Exterior: FC Rosengard (2004-2005); New Jersey Wildcats e Quickstrike Lady Blues (2006); FC Gold Pride (2009); Chicago Red Stars (2010) e Paris Saint German (2017-).
Formiga Marta Cris
Marta (10); Cris (11); Formiga (8) – Reprodução AFP

ATUALMENTE

Assim, com 42 anos Formiga segue incansável e transcendendo gerações. Agora, está jogando por um dos times mais tradicionais da Europa: o Paris Saint German. A atleta está no time desde 2017, mas seu contrato já foi renovado para este ano de 2020 e ganhou uma Copa da França. Como capitã da equipe, Formiga pode inspirar e trazer ainda mais suas experiências, principalmente as jovens jogadoras. Dessa forma, Miraildes Maciel Mota já é um marco no esporte e sinônimo de força, luta e garra para milhares de garotas que sonham em algum dia jogar futebol. Inegavelmente, sua altura de 1,62 não serve para explicar sua grandeza na história do futebol mundial.

https://www.instagram.com/p/Bw95ZwzJwyd/?utm_source=ig_web_copy_link

Foto destaque: Reprodução/ CBF

BetWarrior


Poliesportiva


Mariana Tolentino
Mariana Tolentino
Meu nome é Mariana Tolentino Dias, sou goiana, tenho 20 anos e curso Jornalismo na PUC-GO. Não me vejo fazendo outra área a não ser o esportivo. Futebol e NBA são minhas paixões. Torcedora roxa do Goiás Esporte Clube e do Houston Rockets

Artigos Relacionados

Topo