Final do Mundial Sub-17: Real Madrid x Palmeiras

O Palmeiras bem que tentou. Bateu na trave, literalmente, e não conseguiu superar o Real Madrid na disputa do Torneio Mundial de Clubes da categoria Sub-17, em Fuenlabrada, região metropolitana de Madrid, capital da Espanha. Nos pênaltis a equipe brasileira perdeu por 5 a 4, após empate por 2 a 2 no tempo normal.

O Verdão vencia o jogo há três minutos do fim, quando em uma bola cruzada na área a defesa alviverde falhou e Hernandez empatou o jogo em um lindo voleio, livre de marcação. Os gols do Palmeiras haviam sido marcados por Léo Passos e Gabriel Afonso, ambos de cabeça em cobrança de escanteio. O primeiro gol anotado pelo Real Madrid foi de Adrián de la Fuente, logo aos cinco minutos de jogo.

O nome da partida foi o goleiro palmeirense Matheus Henrique. No primeiro tempo evitou que o Real Madrid ampliasse o placar com duas boas defesas. Na segunda etapa foi ainda mais importante parando o ataque adversário em mais três oportunidades. Numa delas, uma cabeçada a queima roupa que o goleiro conseguiu espalmar. Nos pênaltis, conseguiu defender logo a primeira cobrança de Martin. Mesmo acertando todos os lados, Matheus não pegou mais nenhuma, das ótimas cobranças dos madridistas.

Gabriel Afonso, capitão do Verdão e que havia empatado a partida n tempo regulamentar, errou a cobrança. Nas alternadas, Airton errou deixando escapar o título das mãos dos palmeirenses.

Esta seria a sexta conquista brasileira em 12 edições do torneio. O maior campeão, o Corinthians, divide agora o posto com o Real Madrid, que também conquistou seu terceiro título. São Paulo é outro brasileiro que conquistou duas vezes o torneio. O Boca Juniors (ARG) também possui dois títulos. Atlético de Madrid (ESP), River Plate (ARG) foram os outros campeões do torneio.

BetWarrior


Poliesportiva


Avatar
Miguel Deak
Entusiasta do futebol moderno mas sem esquecer de sua época romântica, começou tarde nesse esporte ludopédio. Aos 13 anos "descobriu" o futebol Europeu após assistir um Sevilla x Barcelona, em 2003, e se tornou ,desde então, apaixonado pelo esporte bretão, com um carinho especial pelo time da Catalunha. VISCA EL BARÇA! Amante do 4-3-3 mas que respeita a decisão de quem prefere o 4-4-2, não admite que profissionais batam escanteio a meia altura e detesta lateral cobrado na área.

    Artigos Relacionados

    Topo