A Coluna Calciostoria desta quinta-feira (13), contará sobre a bela carreira de Filippo Inzaghi. O artilheiro não era genial como alguns craques que passaram pelo futebol, mas era muito oportunista e vencedor. Pippo foi multi-campeão, venceu tudo que é possível de vencer por uma equipe italiana e ainda tem uma Copa do Mundo no currículo. O atacante estava sempre no lugar e na hora certa, portanto é um atleta extremamente consagrado.

FILIPPO INZAGHI FOI MATADOR

O atacante teve grande destaque nas passagens por Juventus e Milan. Foram grandes momentos e fez mais de 300 gols, portanto Inzaghi não era qualquer jogador. O matador não era craque, mas também não era “perna de pau“. Pippo é o maior artilheiro italiano da história da Champions League e de todas as competições da UEFA, e é um dos poucos que marcou gols em todas as competições internacionais.

Além de goleador, Filippo Inzaghi foi aquele jogador que todos queriam ter no time, porque ele realmente “vestia a camisa“. Sempre em suas comemorações ele era muito efusivo e disputava cada partida como se fosse a última. Como resultado, era um conjunto de oportunismo e comprometimento com o clube.

O COMEÇO DE UMA LINDA HISTÓRIA

O jovem e ainda desconhecido Filippo Inzaghi foi revelado pelo Piacenza, time de sua cidade natal. Em sua primeira temporada tinha apenas 18 anos e seu plantel estava na Serie B, logo de cara já mostrou ter um grande potencial e uma enorme inteligencia para se posicionar. Entretanto, não tinha tantas oportunidades e foi emprestado para o Leffe, clube que disputava a Serie C1. Neste empréstimo, Pippo foi muito bem e marcou 13 gols em 21 jogos.

O Piacenza subiu, mas eles não pretendiam dar sequência de partidas para o atacante. Com isso, ele foi emprestado para o Verona, que estava na segunda divisão. Atuando pelos Helladini, o atacante fez sucesso, ganhou o apelido de Superpippo pelos torcedores. Ele marcou 13 gols em 36 jogos, entretanto não foram suficientes para conquistar o acesso. Por outro lado, as boas atuações fizeram com que aos Biancorossi e se firmasse como titular.

No clube emeliano, Superpippo passou a ser uma peça fundamental, foi um dos destaques no título da segunda divisão italiana da temporada 94-95 marcando 15 gols e sendo o artilheiro da competição. Além dessa conquista, venceu a Eurocopa sub-23 com a Seleção Italiana.

CHEGOU A HORA DE FILIPPO INZAGHI BRILHAR

Após uma boa temporada pelo Piacenza, Pippo foi contratado pelo Parma que vinha com um grande investimento econômico. O começo foi bem difícil e o jogador estava na lista de transferência, o Napoli já estava preste a contrata-lo. Entretanto, após um grande jogo contra o clube sueco Halmstad pela Recopa, vetaram sua saída. Mesmo depois de ganhar a admiração da torcida, Filippo Inzaghi sofreu uma lesão e perdeu grande parte da temporada.

Na época seguinte foi vendido ao Atalanta, esquadrão liderado por Emiliano Mondonico foi o divisor de águas da carreira do atacante. No Campeonato Italiano, o matador fez 24 gols, sendo eles contra 15 times diferentes, sendo que tinha 18 no torneio. Portanto, Superpippo igualou o recorde de Michel Platini de gols marcados em equipes diferentes. A Nerazzurri ficou em 10° lugar e o treinador rasgou elogios ao centroavante, dizendo:”não é Inzaghi que é apaixonado pelo gol, é o gol que é apaixonado por ele“. As excelentes atuações fizeram com que o atacante chegasse a Seleção Italiana e sua estreia contra o Brasil, em um confronto que foi 3 x 3.

Depois de uma boa temporada na Atalanta e de ser convocado para a Azzurra, Pippo foi contratado pela Juventus, atual campeã, para forma uma dupla de ataque com Alessandro Del Piero. Além de um bom ataque, a Velha Senhora contava com o genial Zinedine Zidane comandando o meio-campo. E o jovem atacante deu muito certo na Juve, marcou 27 gols na primeira temporada pelo clube. O fato de ser um jogador muito inteligente, dedicado e muito oportunista foram essenciais para a rápida adaptação.

O JOVEM DEIXOU DE SER PROMESSA E SE TORNOU REALIDADE

Filippo Inzaghi não era fenomenal, mas não perdia a chance de colocar a bola na rede. Nas três temporadas seguintes foi o artilheiro da Velha Senhora, até mesmo em sua pior época que marcou 16 gols. Como já foi dito, Pippo estava sempre na hora certa e no lugar certo.

Ao todo foram quatro temporadas na Juventus e 89 gols marcados. Os bons números foram cruciais para a firmação de Inzaghi na Seleção Italiana e estando sempre presente entre os convocados. O atacante vivia melhor fase da sua carreira, com isso despertou interesse no Milan. Os Rossoneros resolveram investir pesado para trazer o matador, foram 36,15 milhões de euros por ele. Portanto, Superpippo trocava um grande por outro.

A primeira temporada não foi positiva, porque o artilheiro sofreu com uma lesão grave nos ligamentos do joelho. Sua volta foi no final de 2001, junto com a chegada de Carlo Ancelotti, que se transferiu para substituir Fatih Terim. O atacante italiano foi importante para a classificação da Champions League e para a boa campanha da Euro League, mas na época seguinte chegaria a hora da glória.

https://www.instagram.com/p/CCaoOhOFiX1/?utm_source=ig_web_copy_link

FILIPPO INZAGHI SE TORNOU UM VENCEDOR

A época 02-03 foi muito especial para o atacante e para o Milan também. Os Rossoneros não venciam títulos internacionais a quase 10 anos e isso estava incomodando os Milanistas. Foram 30 gols na temporada, e a conquista da Copa da Itália e da Champions League. Filippo Inzaghi e Andriy Shevchenko formaram uma grande dupla e foram essenciais para as conquistas do time. Na campanha dessa Liga dos Campeões, Pippo marcou 12 gols e foi o artilheiro da equipe.

Tudo estava indo muito bem, entretanto as lesões atrapalharam sua sequência de jogos. Com isso, ele perdeu duas temporadas e meia. Sua volta foi na metade da temporada 2005-06 e marcou 17 gols, mas não venceu nenhum título. Por outro lado, suas atuações convenceram Marcello Lippi e o atacante foi convocado para a Copa do Mundo de 2006. O grupo foi campeão do torneio, como resultado Inzaghi entrou para a história da Azzurra. Em 2007, Superpippo se aposentou da Seleção.

Depois da Copa, as lesões pararam de incomoda-lo com frequência e ele voltou a ser peça chave no ataque milanista. O principal parceiro de Pippo era Shevchenko, entretanto o ucraniano saiu da equipe em 2006. A temporada 2006-07 foi especial para o matador, ele conquistou a Champions League na temporada, marcou dois gols na final e foi o Man Of The Match da partida.

UMA BELA HISTÓRIA CHEGAVA AO FIM

O tempo foi passando, jogadores foram deixando o Milan, mas Inzaghi permanecia. Sua passagem durou até 2012, atuou com diversos grandes jogadores depois do desmanche. Pippo fez dupla de ataque com Alexandre Pato, Robinho, Zlatan Ibrahimovic e entre outros. Nesse período, o artilheiro continuou fazer gols decisivos e sendo uma das principais armas ofensivas da equipe.

No dia 13 de maio de 2012, Superpippopendurou as chuteiras“, foram 11 anos de Milan e 20 anos de carreira. Ele marcou 316 gols, é o 6° maior artilheiro dos Rossoneros com 126 gols, superando diversas lendas. Na Era Berlusconi é o segundo jogador que mais fez gol, superado apenas por Shevchenko. Além disso, é o 6° da lista de artilheiros da Seleção Italiana. Portanto, Felippo Inzaghi foi um grande atacante e sempre estava no lugar certo na hora certa.

Foto Destaque: Divulgação/Instagram/FIlippo Inzaghi

Leonardo Pinheiro
Leonardo Pinheiro
Escolhi jornalismo porque para mim é prazeroso informar as pessoas, e além disso, a paixão pelo futebol me encorajou a seguir essa carreira. Meu principalmente objetivo na profissão é trabalhar com esportes, principalmente o futebol.

Artigos Relacionados