FIGUEIRENSE

Antes de mais nada, o Figueirense anunciou o nome da marca de materiais esportivos que vestirá o clube nas próximas temporadas, o material será produzido pelo próprio clube. Primeiramente e bom lembrar que essa iniciativa já ocorre com alguns clubes do futebol brasileiro, pois Coritiba, Goiás, Paysandu, Fortaleza e Bahia são alguns dos clubes que produzem seu próprio material. Enfim, em votação realizada no site do clube, os Alvinegros optaram pela opção “1921”, em referência ao ano de fundação. As outras possibilidades eram: Furacão, Figueira, FFC1921, FFC e Furacão1921.

E bom lembrar, que o contrato com a Topper foi rompido. O próximo passo, de acordo com o Figueirense, é o desenvolvimento dos modelos de uniforme do time número 1 Alvinegro, número 2 branco e duas peças para goleiros. Enfim,para participar, o torcedor poderá enviar os desenhos entre 12h de terça e 16h de quarta-feira no link. A peça vencedora será escolhida em votação popular e anunciada na quinta.

https://www.instagram.com/p/B6I8ZG1naHW/?utm_source=ig_web_copy_link

MARCA PRÓPRIA CRESCE ENTRE CLUBES

Antecipadamente, os clubes que investem em marca própria cresce cada vez mais no Brasil, o Figueirense é mais um a adotar a iniciativa. Nesse ínterim, hoje no Brasil, os clubes que fabricam seu próprio material são: Juventude, Caxias do Sul, Joinville, Inter de Lages, Figueirense, Coritiba, Goiás, Paysandu, Sampaio Corrêa, CSA, Fortaleza, Bahia, Santa Cruz entre outros.

Segundo os clubes, fabricar o próprio material gera mais lucros aos cofres dos times. Isso se deve à maior identificação dos uniformes com o clube e sua história e a grande liberdade no desenvolvimento dos designs, além do fator “grana”, já que o faturamento fica quase todo para o clube e tem rendido muito mais do que marcas conhecidas do mercado. Enfim, tamanho sucesso fez essa prática bater recorde nas quatro divisões do Campeonato Brasileiro 2019. Em conclusão, nesta temporada, três equipes da Série A vestiram marcas próprias, enquanto na B esse número aumentou para quatro, na C para cinco e na D para seis. Essa tendência deve aumentar ainda mais, visto que algumas equipes avaliam a possibilidade, como por exemplo o Remo.

Pedro Henrique de Mesquita
Meu nome e Pedro Henrique, tenho 19 anos e desde os meus 5 anos sou completamente apaixonado por futebol. Meu maior sonho e se tornar jornalista esportivo e fazer o que eu mais amo que é falar e escrever sobre o assunto. Pretendo algum dia trabalhar em um grande meio de comunicação do país. Só de estar no futebol na veia já e motivo de honra e orgulho pra mim.

Artigos Relacionados