Após  se destacar no Vila Nova, com apenas 19 anos, o volante Fernando Reges, se transferiu para o Porto, de Portugal em 2007. Posteriormente, ao chegar na equipe, logo foi emprestado ao Estrela da Amadora, por modo de ganhar experiência e não demorou para despontar.

Desse modo, conforme o tempo passava, se firmava cada vez mais, assim acabando por retornar ao Porto. Com todo seu desempenho, a recompensa chegou com seu nome sendo cogitado na Seleção Portuguesa, para a convocação da Copa do Mundo de 2014.

Nesse ínterim, sem pensar duas vezes, o volante deu entrada para a sua naturalização. Porém, seu pedido foi negado pela FIFA, pois a entidade considerava que suas atuações pelo sub-20 da Seleção Brasileira, o impossibilitava de jogar por outra equipe.

Contudo, após seis anos, Fernando resolveu rasgar o verbo e dizer tudo os empecilhos que culminaram em sua não convocação. Em recente entrevista ao grupo Fox, o jogador falou de toda sua expectativa, seguida de frustração na época.

Nunca tive chances para representar a Seleção Brasileira, e por isso, surgiu o interesse da Seleção Portuguesa e eu quis. Até porque Portugal me abriu as portas e me fez crescer como jogador e pessoa. É um pouco frustrante, porém não foi nada que me abalou, faz parte.” –  Disse o volante.

A temporada que despertou o interesse dos portugueses, foi marcada por suas atuações de destaque, logo em seu inicio no futebol português. Apesar de não ser convocado, de antemão, seu desempenho lhe rendeu oportunidades de atuar em um dos maiores clubes do mundo, como o Manchester City. Além também  da possibilidade ser comandado por Pepe Guardiola.

“Eu tive a oportunidade de trabalhar com o Guardiola um ano e aprendi bastante. É um treinador com muito conhecimento, que se aprofunda no estudo e fala com clareza.” 

Karine Gommes
Karine Gommes
Se o céu é o limite, então voe, irmão! Sou jornalista em formação do 7° semestre pela Universidade Cruzeiro do Sul. O jornalismo surgiu em minha vida, quase que simultaneamente, com a minha paixão por esportes. Necessitava viver aquilo. Assim, fui atrás. Conforme conhecia o profissão, pude visualizar quão ampla é. Apesar de ser apaixonada por esportes, eu quero vivenciar todas as vertentes que o jornalismo me proporcionar. Estou aqui para fazer jus ao meu grande sonho. Prazer, sou Karine Gommes ;)

Artigos Relacionados