Feliz aniversário, Ronaldo! Um verdadeiro fenômeno mundial

Ronaldo Luís Nazário de Lima, mais conhecido como Ronaldo Fenômeno, nasceu no dia 22 de setembro de 1976, atualmente trabalha como empresário, reconhecido mundialmente como um dos melhores jogadores de todos os tempos.

Como atleta iniciou seu caminho no futebol no futsal do Valqueire Tênis Clube, transferindo-se cedo para o Social Ramos Clube do Rio de Janeiro e logo se mudou para o São Cristóvão, outro clube carioca. Porém foi no Cruzeiro que se profissionalizou e alcançou a fama como atleta no segundo semestre de 1993.

Com apenas 17 anos, na Copa do Mundo FIFA de 1994, nos Estados Unidos, integrou a Seleção Brasileira no seu tetracampeonato, embora não tenha entrado em campo e foi o grande nome do vice-campeonato da seleção canarinho na Copa do Mundo FIFA de 1998, na França, e do pentacampeonato, na Copa do Mundo FIFA de 2002, sediada na Coréia e no Japão.

Atrás apenas de Pelé, é o segundo maior goleador da história da seleção brasileira, com 67 gols, sendo durante oito anos, o maior goleador da história das Copas, com 15 gols, recorde superado apenas em 2014 pelo alemão Miroslav Klose.

É um dos poucos jogadores que estiveram dos dois lados de duas grandes rivalidades europeias: isto é, defendendo os espanhóis Barcelona e Real Madrid e os milaneses Internazionale e Milan. No Brasil, defendeu o Cruzeiro e o Corinthians, conquistando uma Copa do Brasil e um campeonato estadual por cada.

Desde 2002, o craque brasileiro é Embaixador da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, além de embaixador do Corinthians e do Real Madrid.

Carreira

Com 16 anos que Ronaldo fez sua estreia no futebol profissional, defendendo o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro de 1993. Na Raposa, foi logo tratado como fora-de-série sendo o primeiro atleta amador a viver na concentração dos profissionais.

Na temporada seguinte, em 1994, Ronaldo foi o destaque do Cruzeiro. O atacante foi o artilheiro do Campeonato Mineiro, com 22 gols, passou a chamar atenção de clubes europeus e uma transferência de 6 milhões de dólares, para o PSV Eindhoven, Ronaldo deixou o Cruzeiro pouco antes da Copa do Mundo de 1994, com uma expressiva marca de 44 gols em 46 partidas.

A caminho da Holanda e ida para a Espanha

No PSV Eindhoven (Holanda), Ronaldo destacou-se mais uma vez como artilheiro, marcando 54 gols em 57 partidas no total. No Campeonato holandês, foi artilheiro com 30 gols, competição na qual o PSV terminou em terceiro.

Em 1996, Ronaldo transferiu-se para o Barcelona, da Espanha, por 20 milhões de dólares A temporada 1996/97, sua única pelo clube catalão, Ronaldo faria jus ao dinheiro gasto, fechando o ano de 1996 com dezessete gols em vinte partidas. Acabaria eleito pela primeira vez o melhor jogador do mundo pela FIFA em 1996.

Passagem pela Itália

Já na temporada 1997/1998, Ronaldo chega a Inter de Milão que não ganhava o Campeonato Italiano havia sete anos e Ronaldo, usando a camisa 10 e ele não decepcionou o clube, encerrou o ano de 1997 com quatorze gols em dezenove jogos oficiais, e novamente eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA. A entusiasmada imprensa italiana o apelidou de Fenômeno.

Volta a Espanha

Inicialmente, Ronaldo se ofereceu à sua ex-equipe, o Barcelona. Em crise, o clube catalão não podia arcar com a multa rescisória. O rival Real Madrid então veio e, por 39 milhões de euros, o levou em 31 de agosto de 2002, quando se esgotava o prazo para as inscrições na temporada 2002/03.

Ronaldo foi a terceira contratação do time galáctico, os dois primeiros foram seu ex-colega de Barcelona, Luís Figo e o francês Zinedine Zidane. O clube reunia ainda as estrelas mundiais Raúl e Roberto Carlos.

A temporada de 2003/04 começou com um novo galáctico, este em que o peso das receitas de marketing eram assumidamente maiores do que o da técnica, David Beckham.

Já na temporada 2006/07, que começou sem Florentino Pérez, responsável pelas contratações galácticas, na presidência, e com o clube preocupando-se em voltar aos títulos. Ronaldo sem espaço e constantemente criticado pelo seu peso, Ronaldo decidiu deixar o Real no decorrer da temporada.

Retorno a Milão

Acertou sua volta a Milão, mas não na Internazionale e sim em um rival: o Milan. A transferência foi oficializada em 18 de janeiro de 2007 pela bagatela de 7,5 milhões de euros, e Ronaldo recebeu a camisa de número 99, já que a 9 já pertencia a Filippo Inzaghi.

Na Liga dos Campeões da UEFA, Ronaldo não poderia jogar: o regulamento impedia que um mesmo jogador defenda duas equipes diferentes, e ele já havia atuado pelo Real. Acabaria assistindo das tribunas os colegas vencerem o torneio.

E foi no clube rossonero permitiu descobrir que possuía hipotireoidismo, razão pela qual sempre ficava acima do peso. Ronaldo tratou o problema e iniciou a temporada 2007/08 cinco quilos e meio mais magro. Quando formou um trio com os compatriotas Kaká e Alexandre Pato.

Treinamento no Flamengo

Após sua saída do Milan, Ronaldo manifestou algumas vezes o desejo de defender o Flamengo, do qual é torcedor declarado. O craque chegou a treinar no clube da Gávea para recuperar-se da cirurgia no joelho.

Já havia sido sondado pelo time do coração no início do ano, quando o Flamengo estava fazendo propostas para a disputa da Libertadores. Na ocasião, porém, as conversas não prosseguiram.

Retorno aos gramados brasileiros

A princípio, o interesse do Corinthians na contratação de Ronaldo foi tratada como algo impossível no Parque São Jorge. Em uma reunião para falar sobre a permanência do atacante Morais na equipe corintiana, também empresariado por Fabiano Farah, o assunto Fenômeno surgiu na pauta.

Após vários dias treinando na Gávea e sem receber nenhum projeto para ficar no clube, Ronaldo acertou a sua volta ao Brasil depois de 14 anos pelo Corinthians. Em 9 de dezembro de 2008, o anúncio da contratação do Fenômeno foi feito pelo presidente corintiano Andrés Sanchez através do site oficial do clube.

Aposentadoria

Após a desclassificação precoce na Copa Libertadores da América de 2011, Ronaldo não conseguiu mais suportar suas dores físicas, e decidiu anunciar oficialmente a sua aposentadoria em 14 de fevereiro de 2011, numa coletiva de imprensa.

Segundo ele, sua aposentadoria se deu pelo fato de estar enfrentando seguidas lesões, inclusive revelando que sofria hipotireoidismo, um distúrbio metabólico que desacelera o metabolismo e dificulta a perda de peso.

Andreas Borges
Andreas Borges, 24 anos, estudante do último semestre de Jornalismo na Universidade de Ribeirão Preto e estagiário na rádio CBN. Louco por esportes principalmente futebol e desde pequeno acompanha os mais variados campeonatos ao redor do mundo. Procura entender como os fatores extra campo influenciam no rendimento de um time dentro de um jogo ou campeonato, também é apaixonado por analise tática e gestão esportiva. Fã do futebol de Cristiano Ronaldo, defende que Messi e CR7 não tem comparação por terem estilos diferentes e tem uma opção clara pela formação 4-4-2 diamante.
Você está aqui
Futebol Na Veia > Destaques > Feliz aniversário, Ronaldo! Um verdadeiro fenômeno mundial

Artigos Relacionados