Ezequiel fala das precauções e dificuldades em meio ao Covid-19

- Meia conversou com exclusividade com o nosso portal
Ezequiel fala das precauções e dificuldades em meio ao Covid-19

O Futebol na Veia vem acompanhando a crise no esporte causada pela pandemia do Covid-19 e mais uma vez o portal traz outra entrevista exclusiva. Dessa forma, é chegado o momento de conhecermos a realidade na Alemanha, em Kaiserlautern, onde encontramos o meia Ezequiel. Aliás, o atleta atua no VFL Kaiserlautern, que joga a Liga Sudoeste e a Copa da Alemanha.

Momento conturbado na Alemanha

Em conversa, Ezequiel resume o momento atual no mundo como um desafio, já que o futebol está parado e na Liga Sudoeste não é diferente. Ele conta como é ficar tanto tempo parado e sobre as precauções que os alemães estão tomando.

Perdemos muito com isso, pois, tem um momento da temporada que o jogador está no auge da sua forma física que é adquirida pela sequência de jogos e esse condicionamento físico não conseguimos conquistar apenas com exercícios feitos em casa. Estamos todos em isolamento domiciliar e só saímos em situações de emergência ou necessidade como ir ao mercado e farmácia.

Com tudo isso relato por Ezequiel, a rotina passou a ficar bastante diferenciada, já que a previsão não é nada animadora para a volta das atividades.

Continuo fazendo exercícios físicos mesmo que em casa que mantenham meu condicionamento físico além disso, faço a leitura de alguns livros. Procuro sempre exercitar o corpo e a mente.

Aliás, sobre o futuro dos torneios em território alemão, o meia conta como estão as tratativas para o futuro das competições.

Tem muitas conversas com diversas opiniões sendo realizadas por aqui, e a que vem ganhando força é que termine o campeonato de alguma forma com jogos nas quartas e nos domingos para não prejudicar os times que estão em cima da tabela e nem os que se encontram na zona de rebaixamento. A decisão que a federação Alemã tomar seguiremos. No momento o mais importante é a saúde do povo alemão em relação a pandemia, esperamos que a decisão correta seja tomada quanto a isso tudo!

Ezequiel e os tempos difíceis

Já que ficar isolado é o que se tem para o momento, a falta da família aperta, pois não é possível estar presente. Para Ezequiel, o desejo é de estar perto de quem se ama, mas é essencial abrir mão desse carinho no momento.

Eu tenho todo carinho e apoio que preciso e isso me fortalece. Por mais que as coisas não estão boas no mundo a maioria das pessoas estão dentro de suas casas com seus familiares e eu queria também poder estar perto deles nesse momento tão delicado. Enquanto isso através das chamadas de vídeos, mensagens e conversas diariamente foi a maneira que encontrei de me sentir mais perto deles!

Mas para chegar aonde chegou, o meia passou por um momento complicado em 2019. Desempregado, ele precisou da família para superar o momento. Na parte desportiva, o futebol de várzea e até o trânsito, foram as alternativas para passar pelas provas que a vida lhe proporcionou. Ele comenta sobre esse período e quem foram as pessoas que mais o ajudaram.

Tive de me virar, sempre dando um jeito porque mesmo desempregado as contas não param de chegar. Minha família sempre me ajudou muito, inclusive minha tia e até mesmo minha namorada.  A várzea me ajudou muito, sou grato pelos times que me ajudaram como podiam. Também trabalhei um tempo como motorista de aplicativo, foi muito bom pra mim porque eu fazia meu horário. Antes de trabalhar eu conseguia fazer um treino no campo e até mesmo na academia. Foi a maneira que eu encontrei e os atalhos que tomei para não ficar distante daquilo que sempre acreditei e corri atrás.

Ele aceitou a missão!

Contratado no meio da temporada com status de peça-chave, Ezequiel relata sobre a responsabilidade de estar num clube lutando contra o rebaixamento.

Chegamos aqui sabendo do projeto e da situação que se encontrava o clube na parte debaixo da tabela. A verdade é que podemos nos tornar heróis se tirarmos o time da zona vermelha, mas, caso contrário podemos sair como vilão se não mudarmos essa situação. É muita responsabilidade, nem todos encarariam isso, e quem seríamos nós se não nos desafiássemos, como seria se não nos colocassem a prova dia após dia? Então é um privilégio e um grande prazer está aqui.

(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Sabendo da dificuldade encontrada na missão, Ezequiel recebeu a proposta e encarou da melhor maneira possível. Ele espera poder contribuir à altura toda a confiança depositada em seu futebol.

Foi uma porta que se abriu no meio de tantas fechadas e o VFL depositou muita confiança em mim, tratou todos os detalhes pra que eu pudesse me transferir rapidamente sem problemas. Não é todo time que faz o que eles vêm fazendo por mim e por isso espero responder à altura e contribuir com gols, assistências e com o que a equipe precisar. A Europa sempre chamou minha atenção com seu estilo de jogo forte e rápido, é um sonho que graças a Deus estou realizando. O que acontecer daqui para frente entendo e tenho total noção que foi o VFL que me colocou no mercado novamente.

BetWarrior


Poliesportiva


Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

    Artigos Relacionados

    Topo