Courtois em ação no Real Madrid

Thibaut Courtois atualmente é um dos melhores goleiros do mundo, além de ter sido o melhor da posição na última Copa do Mundo. No entanto, a história do goleiro belga poderia ter um desfecho diferente se não fosse o apoio de um brasileiro no início de sua carreira. O ex-zagueiro João Carlos, que foi companheiro de Courtois no Genk, teve a missão de tranquilizar o então jovem goleiro na estreia no time profissional.

Hoje aposentado e trabalhando como empresário de jogadores, o então capitão da equipe lembra da chegada do goleiro de 1,99 de altura na equipe. Por ter o principal papel de liderança no elenco, João Carlos foi o responsável por dar conselhos ao amigo “Tibô”, como o chama, que estava escalado para começar jogando, aos 17 anos de idade.

“No primeiro jogo dele, ele sentiu, claro, até a gente quando é experiente fica nervoso, imagine um moleque de 17 anos. Eu reuni o time, fiz aquele discurso e eu fui perto dele e falei: ‘irmão, joga tranquilo, como se fosse treino. Tudo o que você errar, a partir de hoje, é minha culpa e tudo o que você acertar é mérito seu. Se vocês estiver apertado com uma bola recuada, dá a bola pra mim, não chuta pra fora'”, disse João Carlos em entrevista ao Esporte Interativo

O conselho do brasileiro foi fundamental para o goleiro belga, que foi um dos nomes da partida na ocasião e começou a ganhar seu espaço no time.

“Aquilo ficou marcado porque a gente ganhou o jogo, ele agarrou pra caraca, conseguiu firmar o nome dele no time, que não era mais uma promessa e conseguia aguentar a pressão”, completou o ex-zagueiro revelado no Vasco da Gama.

GRATIDÃO E MANUTENÇÃO DA AMIZADE

A ajuda e a calma passada ao novato foi tão significativa que até mesmo os pais de Courtois foram procurar João Carlos para agradece-lo.

“Quando acabou o jogo, na Europa é normal a gente ir pra uma sala só com a família dos jogadores, com sanduíche, cerveja, refrigerante… e chegaram os pais dele: ‘queria te agradecer porque meu filho acabou de chegar aqui e falou que você o tranquilizou, o deixou mais relaxado'”, comentou.

Apesar de não terem jogado mais tempo juntos, o ex-zagueiro afirma que ele ainda mantém a amizade com o goleiro do Real Madrid. Ele ainda diz que fica feliz pelo goleiro que Courtois se tornou.

“Aquilo ficou marcado para ele, mas ainda mais para mim, porque ele se tornou o goleiro que é hoje. Fico feliz. Eu teria feito aquilo com qualquer pessoa, como já fiz muito. Mas poder fazer com um goleiro como ele, vai ficar marcado pro resto da vida. Até hoje, a gente manteve uma amizade”, finalizou.

Foto destaque: Reprodução/Goal.com

Vitor Eduardo Simões Lima
Jornalista e apaixonado por futebol. Quando criança tive o sonho de ser jogador de futebol. Com o passar dos anos, tendo a responsabilidade de dividir a vida de atleta com os estudos, optei por deixar meu sonho de infância de lado e seguir outro caminho, mas jamais quis me desapegar do futebol. Entrei na faculdade de jornalismo com esse objetivo que levo até hoje depois de formado, trabalhar com jornalismo esportivo.

Artigos Relacionados