Milton Mendes, treinador conhecido no Brasil pelos trabalhos que fez no Vasco, concedeu recentemente uma entrevista à ESPN. Para esclarecer, o técnico falou a respeito  dos treinadores brasileiros receberem poucas propostas para trabalhar em Portugal.

VIDA DE MILTON EM PORTUGAL

Milton vive em Portugal há mais de 30 anos. Ele conta que se adaptou muito bem a cidade que mora, a Ilha da Madeira. Assim, o técnico já havia treinado o time do Marítimo em 2007 na função de auxiliar técnico de Lazaroni. Em suma, Milton diz que a equipe em questão, é referência no futebol português.

“É lógico que minha passagem no clube em 2007/08, temporada em que trabalhei com Lazaroni, foi muito importante. Agora em 2020, tenho que agradecer novamente ao presidente Carlos Pereira que me deu a oportunidade, então estou muito feliz por estar aqui, grato pelo reconhecimento do meu trabalho no Sub-23. É pensar positivo, torcer para as coisas irem bem e trabalhar duro.”

POR QUE PORTUGAL NÃO CHAMA TÉCNICOS BRASILEIROS?

Milton Mendes destacou o motivo pelo qual treinadores brasileiros não receberem sondagens de Portugal: a ausência de um certificado da UEFA. Portanto, o certificado é o requisito para o profissional trabalhar na Europa. Além disso, o treinador destaca que, por morar em Portugal há mais de três décadas, tem esse certificado pelas funções de assistente que exerceu por lá.

“Em Portugal, os jogadores brasileiros têm uma aceitação muito grande, mas os treinadores não, pois a maioria não tem a certificação para trabalhar.”

INTERCÂMBIO PORTUGUESES X BRASILEIROS

Da mesma forma, Milton Mendes falou que acha interessante essa nova “moda” de treinadores portugueses estarem ganhando oportunidades em território brasileiro. Em suma, ele entende que os treinadores irão sempre levar algo novo para o Brasil.

“Muito interessante essa troca de experiências. Acredito muito que ajuda bastante na forma de ver e pensar o futebol.”

Foto destaque: Reprodução/CS Marítimo

Victor Bezerra
Victor Bezerra
Desde o início da adolescência sempre fui apaixonado pelo jornalismo. De cara, eu já sabia que iria gostar disso? Até porque não é todo jovem que acorda cedo pra assistir o Bom Dia Praça né? Estou no 2º semestre da faculdade e a minha primeira experiência na área está sendo aqui no Futebol na Veia. Me identifico bastante com a área de jornalismo voltado a falar sobre os problemas da comunidade e com a área esportiva em especial o futebol. Meus objetivos sem dúvidas, são de trabalhar em uma grande emissora e ascender profissionalmente. Personalidade? Organização, responsabilidade e vontade de conversar com outras pessoas definem o "Victor".

Artigos Relacionados