Entrevista exclusiva com o brasileiro Tiago Alves, atualmente no Sagan Tosu do Japão

- O ala esquerda falou um pouco sobre sua carreira e seu momento no país nipônico
Tiago Alves, jogador do Sagan Tosu

Revelado pelo Santos, o brasileiro Tiago Alves atualmente é jogador do Sagan Tosu, time que disputa a J-League 1O canarinho concedeu entrevista exclusiva ao Futebol na Veia e nesse hiato falou um pouco sobre sua vida na Ásia, além de contar a respeito de sua adaptação. Há sete anos o atleta está na Ásia e nesse meio tempo passou pelo próprio Japão, na sequência Coréia do Sul e por fim Arábia Saudita antes de retornar ao país nipônico. Anteriormente, ainda no Brasil, ele teve passagens por Penapolense, América Mineiro, Boa Esporte Paraná.

Tiago Alves e Neymar
Tiago Alves e Neymar

(Foto: Divulgação/Ivan Sorti/Santos FC)

ACOMPANHE A ENTREVISTA COM TIAGO ALVES

 Além do Brasil, você já atuou na Coréia do Sul e atualmente está defendendo o Sagan Tosu, do Japão. Quais são as diferenças no futebol desses países?

As diferenças são mínimas, assim, na Coréia do Sul é muito contato físico. Os jogadores são mais fortes lá e dessa forma o futebol não é muito dinâmico, tem muitas faltas e a bola não rola muito. Ao contrário do Japão, que o futebol é mais parecido com o nosso, os japoneses não são tão fortes e têm mais qualidade.

 No Japão tem times fortes como o, Kashima Antlers, Urawa Red Diamonds, Yokohama Marinos entre outros. Desses times qual foi o mais complicado de encarar e sem tem outro time que deu trabalho.

O time mais complicado de enfrentar aqui no Japão é o Kawasaki Frontale. Esse é o mais complicado, pois eles são uma equipe muito bem treinada que é tecnicamente fortíssimo. Além disso os melhores jogadores japoneses estão lá, eles são como o Barcelona do Pep Guardiola, a posse de bola é quase toda deles. Geralmente eles têm uns 70% de posse contra apenas 30% do adversário. É um time complicado de jogar, de fato é difícil jogar contra eles. Para mim é o time mais difícl de jogar porque eles atacam e são certeiros, ou seja, eles vão e fazem acontecer.

 Você chegou no Sagan Tosu em 2019, como está sendo o seu processo de adaptação?

Eu cheguei no Tosu no meio do ano passado, 2019, e já estou adaptado. Já tinha jogado no Japão em 2017, no Shimizu S-Pulse, já tinha ficado uma temporada e depois disso voltei para a Coréia, rodei também pela Arábia Saudita e voltei para o Japão ano passado. Então não tem mais adaptação, já são sete anos na Ásia e me sinto em casa. Não tenho mais dificuldade com nada e sou praticamente um asiático.

 Você disputa a J-League, o Campeonato Japonês, Copa do Imperador e Copa da Liga Japonesa. Nessas competições quais foram as torcidas que você mais ficou impressionado e que mudou a história de um jogo?

A torcida do Urawa Reds, é a torcida que eu achei top. Apesar de que o estádio é pra 50, 60 mil pessoas e antes da pandemia era casa cheia e você via a torcida empurrando o time. É tipo o Flamengo, o uniforme deles também é vermelho, é como o Flamengo. É impressionante, impressionante mesmo.

 Quais são os objetivos do Sagan Tosu na atual temporada?

O nosso objetivo, o nosso pensamento é sempre lutar ali na parte de cima da tabela, seja pelo título ou pela classificação para a Champions League da Ásia. Mas como esse ano não tem rebaixamento, é um pouco complicado mas não podemos vacilar nem mesmo acomodar com essa situação de não haver rebaixamento e focar nos nossos objetivos que giram em torno da briga na parte de cima da tabela.

Foto destaque: Divulgação/ Sagan Tosu

João Miguel Mendonça de Freitas

Sobre João Miguel Mendonça de Freitas

João Miguel Mendonça de Freitas já escreveu 67 posts nesse site..

Sou apaixonado por esportes e resolvi escolher o jornalismo por conta da proximidade que essa profissão me dá do esporte, gosto muito de trabalhar nos meios digitais também e isso me levou a gostar bastante de escrever em sites e blogs.

BetWarrior


Poliesportiva


João Miguel Mendonça de Freitas
João Miguel Mendonça de Freitas
Sou apaixonado por esportes e resolvi escolher o jornalismo por conta da proximidade que essa profissão me dá do esporte, gosto muito de trabalhar nos meios digitais também e isso me levou a gostar bastante de escrever em sites e blogs.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo