O atacante Matheus Davó, de 21 anos, retornou ao Guarani após passagem pelo Corinthians. O Bugre confirmou a contratação de Davó por empréstimo no dia 8 de março, marcando o retorno do jogador ao clube que o formou. Porém somente no dia 24 houve a liberação do jogador por parte da justiça para haver o devido registro no BID (Boletim informativo diário da CBF) e conseguir atuar. Isso porque houve um imbróglio em sua negociação e regularização, desde o ano passado, por questões entre o clube e a empresa RDRN Participações e Empreendimentos.

O BLOQUEIO NA REGULARIZAÇÃO

Os problemas começaram quando por conta de um processo entre o Guarani e a empresa RDRN Participações e Empreendimentos, ocorreu a penhora dos direitos econômicos do jogador. Por conta disso, a própria negociação chegou a ser alvo de suspeitas de fraude em processo na 9ª Vara Cível de Campinas (entretanto, o TJSP entendeu não haver indícios disso), negociação a qual o Corinthians pagou em torno de R$ 600 mil por 40% dos direitos atleta (o time campineiro ainda possui 20% e o restante fica com a agência Elenko Sports).

Logo, com os direitos econômicos bloqueados, o jogador não podia ser regularizado no Bugre. Para tal, o Guarani teve que pagar seis parcelas de R$7.790,93 e aí existe a principal discordância entre o clube e a empresa: segundo a RDRN, o Guarani não efetuou os pagamentos dentro de cada prazo devido e há um debate sobre os juros cabíveis a tal parcelamento. Além disso, em entrevista coletiva, o presidente Ricardo Moisés afirmou não reconhecer essa diferença de valores.

Independentemente dessa discussão, os advogados do atleta impetraram ação para defender seu direito de trabalhar. Assim, o juiz de direito da 5ª Vara Cível de Campinas foi favorável à solicitação pois, segundo ele, Davó não pode ser responsabilizado pela dívida de seu time. Logo, o bloqueio não pode impedi-lo de exercer sua profissão por conta do processo, mesmo que o nome do jogador esteja ligado a ele; o que estava ocorrendo quando a regularização estrava travada. Entretanto, o juiz também intimou o atacante a prestar esclarecimentos sobre sua negociação:

“Tem o credor à sua disposição, portanto, meios processuais eficazes para satisfação de crédito, dentre os quais não se enquadra o bloqueio do registro do atleta, que, além de configurar cerceamento ao livre exercício de profissão, atinge terceiro que não responde pela dívida. Por essas razões, defiro o pedido de fls. 510/532 para determinar o desbloqueio do registro do atleta Matheus Alvarenga de Oliveira junto à CBF”,

MATHEUS DAVÓ

Davó chamou atenção pela primeira vez na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2019, fazendo seis gols em oito partidas. Rapidamente, o Guarani o levou ao elenco profissional, onde atuou trinta vezes e marcou três gols. Em 2020, foi contratado pelo Corinthians, mas não teve muito espaço, jogando apenas sete partidas e marcando dois gols. Vale lembrar também que o jogador recusou treinar com o sub-23 do Timão. Por fim, até o fim do Campeonato Paulista, o jogador de 21 anos está emprestado ao Bugre, para tentar apresentar o futebol esperado.

Foto Destaque: Divulgação/Instagram/Davooficial

Avatar
Lucas Henrique Santos Noronha
Escolhi o jornalismo pelo enorme gosto por esportes e por sempre assistir programas esportivos em geral, além de um costume meu de criticar grandes problemas do nosso mundo atual. Eu estou no 1o semestre do curso, minha experiência com textos foi uma página que criei uma vez (sobre futebol) mas que por força de obrigações e por ser só eu cuidando não foi pra frente. Meu objetivo é crescer na área do Jornalismo ( a maior ambição é o esportivo) e acredito que a partir de agora, consegui um grande empurrão pra ganhar experiência na área (aliás trabalhar em sites assim sempre foi um objetivo meu). Sou uma pessoa extremamente paciente, acho que minha principal virtude.

Deixe uma resposta