Empate no clássico isola Nacional na liderança do Apertura

- Montevideo Wanderers e Peñarol ficam na igualdade no principal jogo da rodada
Empate no clássico isola Nacional na liderança do Apertura

A 3ª rodada do Apertura Uruguaio definiu o líder isolado deste início de competição, e é o Nacional, que tornou-se líder após vencer o Fénix, em casa, por 2 x 1. Já no clássico tão aguardado entre Wanderers e Peñarol, deixou um pouco a desejar ficando apenas no empate de um gol. A grande surpresa do campeonato até então é o Progreso, recém chegado a elite uruguaia e já ocupa a segunda colocação. Veja detalhes dos confrontos:

Apertura Uruguaio – 3ª RODADA

17/02 – Sábado

Cerro x El Tanque Sisley (ANULADO)

Como avisa a cada rodada, o El Tanque Sisley foi banido da primeira divisão do Campeonato Uruguaio pelo não pagamento de uma dívida com a Associação Uruguaia de Futebol, sendo rebaixado para a segunda divisão na próxima temporada e não participando desta.

Liverpool Montevideo 2 x 2 Boston River

Em um dos jogos de maior equilíbrio da rodada, Liverpool Montevideo e Boston River fizeram uma das mais empolgantes partidas do fim de semana. Com emoção do início ao fim, o time da casa abriu o placar logo no primeiro minuto de jogo, com Federico Martínez. Mas os visitantes estavam a fim de conquistar sua primeira vitória na competição e foi para cima. Aos 27′, Callorda empatou a peleja e ele mesmo virou, no primeiro minuto do segundo tempo, colocando fogo no jogo. Quando já se imaginava uma vitória dos Rojiverde, surge Sebastián Píriz e iguala o placar novamente. Com o resultado os mandantes estão na 10ª posição, com dois pontos e Boston está na 12ª, com os mesmos dois pontos.

Callorda marca os dois gols do Boston River na partida | Foto: Tenfield

Progreso 4 x 1 Rampla Juniors

Progreso não veio da segunda divisão para cumprir tabela não, e sim para dar trabalho a quem vier pela frente. Com a goleada sobre o Rampla Juniores chegam a vice-liderança da competição com duas vitórias e um empate. Quem abriu o placar para os donos da casa foi Leandro Onetto, na primeira chegada dos gaúchos ao ataque, aos 29 minutos. Nicolás Freitas marcou o segundo, de cabeça, aos 36′, fechando muito bem a primeira etapa na vantagem.

No segundo tempo, aos 69′, pênalti para os visitantes, convertido por Matías Rigoleto, chegando a assombrar os donos da casa. A agonia só terminou aos 87′, quando Alexander Rosso ampliou a vantagem e Joaquín Gottesman, três minutos mais tarde, fechou a goleada que garantiu o 2º lugar e colocou o Rampla na lanterninha do Apertura.

Nicolás Freitas (esquerda) marca um dos gols da goleada do Progreso no Apertura | Tenfield

Montevideo Wanderers 1 x 1 Peñarol

Montevideo Wanderers Peñarol ficaram apenas no empate de 1 x 1 no jogo que era considerado o principal da rodada, por se tratar de um clássico, dois times tradicionais do futebol uruguaio. O aurinegro com seu futebol superior, impôs seu ritmo de jogo, marcando sob pressão e tendo mais posse de bola. Mas não conseguiam transformar suas chances em gol. Mas não precisou. Logo aos 12 minutos, Damián Macaluso fez contra, abrindo o placar para os visitantes, contando ainda com a ajuda do goleiro Martín Rodríguez.

Nas segunda etapa, os mandantes voltaram melhor e aos 25′, Alejandro Villoldo mandou para o fundo das redes para empatar a partida e dar números finais ao clássico. Um balde de água fria para a equipe do técnico Leonardo Ramos, do Peñarol, que sentiu o impacto, ficou nervoso e caiu na rede dos boêmios, que cresceram de produção após o gol e por pouco não viraram a peleja. Bom resultado para os vagabundos, que empataram com o atual campeão uruguaio. Já para os carboneros, final ruim, pois tiveram a chance de vencer e manter o 100%. Time da casa é o sexto, com um jogo a menos e os visitantes são terceiros.

Varela cobre o rosto no tropeço do Peñarol após empate fora de casa pela 3ª rodada do Apertura | Foto: Tenfield

18/02 – Domingo

Defensor Sporting 2 x 1 CA Torque

O atual vice-campeão Defensor Sporting conseguiu se recuperar da derrota na última rodada no clássico contra o Danúbio, ao vencer o recém-promovido Torque, que sofreu a terceira derrota seguida na competição. Facundo Castro deu assistência para o argentino Germán Rivero abrir o placar para os mandantes aos oito minutos de jogo. No segundo tempo, aos dois minutos, Matías Cabrera converte a penalidade e amplia a vantagem dos violetas que sofreram o susto aos 22′, quando Agustín González diminuiu para os campeões da segunda divisão, mas não foi o suficiente para ajudar o time que ainda não mostrou a que veio. Defensor é o quinto na tabela e o Torque o penúltimo.

Racing 1 x 2 Danúbio

Deve-se admitir que o Racing foi valente a tradição do Danúbio e até tentou vencer ao sair na frente do placar no final do primeiro tempo, aos 40 minutos, com Pablo Lacoste. Mas a um minuto do final da etapa inicial, David Terans empatou a partida, dando moral aos visitantes que cresceram no jogo na etapa complementar. Aos 30 minutos, Federico Rodríguez definiu o jogo para a La Franja, que segue invicta e na quarta posição, com o Racing na 14ª, ou antepenúltima.

River Plate 3 x 1 CA Atenas

River Plate finalmente venceu a primeira no Apertura. O time estava com uma derrota e um empate e já se sentia engasgado, mesmo com o torneio ainda no início. Todos os gols só saíram na etapa final. Os darseneros tiveram a seu favor a trade/noite inspirada de Matías Jones, que marcou um hat-trick (50′, 65′ e 70′), tendo o desconto com Agustín Ale, contra.

Nacional 2 x 1 Fénix

Fechando a rodada, no horário nobre do futebol uruguaio, o Nacional venceu a terceira seguida e assumiu, de forma isolada, a ponta da tabela, com nove pontos e 100% de aproveitamento. Mas não foi nada fácil para os donos da casa não. Começaram perdendo, levando um susto. Logo aos três minutos, os visitantes abriram o marcador com Rodrigo Abascal. Mas o Tricolores não desistiram do empate e da virada, mas tiveram que penar por isso até que, já na etapa final, aos 63′, o até então heróis do Fénix, Abascal, foi expulso, prejudicando o time e dando vantagem numérica ao rival, que não perdoou. Aos 73′, Diego Coelho empatou o jogo e cinco minutos depois, Rodrigo Erramuspe vira a partida para delírio dos torcedores e jogadores. Liderança ao vencedor e a sétima posição aos derrotados.

Rodrigo Erramuspe (direita) comemora o gol da virada do Nacional que deu a liderança do campeonato | Foto: Tenfield

[soccer-info id='519′ type='table' /]

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1233 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.

BetWarrior


Poliesportiva


Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo