Nesta quarta-feira (22), a coluna Parabéns ao Craque homenageia o ex-atacante do Real Madrid, Emilio Butragueño Santos. El Buitre, o Abutre, completa 57 anos. O jogador é o 10° maior artilheiro da história do clube espanhol. Além do sucesso com a camisa madrilenha, o atacante é um dos maiores artilheiros da Seleção Espanhola.

INÍCIO DE CARREIRA

Nascido em 22 de julho de 1963, logo no seu primeiro dia de vida, seu pai torcedor fanático do Real Madrid, já o listou como sócio do clube. Ademais, quando criança, o menino foi fazer testes nas categorias de base do clube do coração, porém não conseguiu passar.

Então, recebeu um telefonema do maior rival, o Atlético de Madrid. O rapaz passou três dias treinando no clube, porém seu pai se recusou a deixar o filho no clube. Sendo assim, conversou com pessoas fortes do Real Madrid. Com isso, fez um segundo teste no qual passou imediatamente.

Foto: Divulgação/Real Madrid

No relatório do teste, já se demonstrava uma habilidade incomum:

“Tecnicamente lida bem com as duas pernas, especialmente na posição de meia, vê o futebol com uma facilidade surpreendente.”

LA QUINTA DEL BUITRE

Então, no ano de 1982, o jogador fazia sua estreia no Castilla. Porém, na temporada seguinte, surgia dentro do clube um quinteto de muita habilidade, futuramente denominado La Quinta del Buitre, sendo comparado com os Galáticos.

Foto: Divulgação/Real Madrid

O grupo era formado por Miguel Pardeza, Manolo Sanchís, Michel González, Rafael Martín Vázquez e Butragueño. Comandados por Amancio Amaro, os jovens mostraram toda sua habilidade e contaram com gols de Butragueño para conquistar a segunda divisão na temporada 83/84.

REAL MADRID

No ano de 1984, os gols de Butragueño chamaram tanto a atenção, assim, o então treinador Alfredo Di Stéfano o levou para equipe principal. Sua estreia aconteceu contra o Cadiz. O jovem atacante entrou no segundo, quando o time perdia o jogo. El Buitre marcou dois gols na vitória do clube.

O atacante chamou tanta atenção que Di Stéfano o definiu da seguinte fora:

“Esse cara tem o gol dentro do seu corpo”.

No final do ano de 1984, com apenas 21 anos, o atleta foi considerado um dos melhores jogadores da época. Após, uma das atuações mais memoráveis, ao marcar uma tripleta contra o Anderlacht, depois de perderem o primeira partida. Com isso, ajudou na conquistar a Copa da UEFA.

Foto: Divulgação/FIFA

CHAMANDO ATENÇÃO

As temporadas seguintes, seus inúmeros gols o fizeram ganhar o prêmio Troféu Bravo, dado ao melhor jogador com menos de 23 anos. Assim, o jovem atacante ganhou por duas oportunidades, além de duas bolas de bronze.

Os gols de Butragueño ajudaram o Real Madrid a conquistar cinco títulos consecutivos do Campeonato Espanhol, um feito que só havia acontecido na era Di Stéfano. Contudo, o atleta jamais conseguiu trazer a Liga dos Campeões.

Foto: Reprodução/Sports Mole

Sua habilidade era incomum, mudou o estilo de jogo do futebol espanhol, seus recursos eram técnicos. Suas jogadas deixavam os adversários hipnotizados, conseguia entrar na defesa com uma facilidade incrível.

El Buitre fez uma dupla inesquecível com Hugo Sánchez, com muitos, sucessos e títulos. Em um jogo novamente contra o Cadiz, pela Copa do Rei de 86/87, o atacante fez um gol magnifico, ao driblar três zagueiros e passar pelo goleiro. Com toda certeza um gol que jamais será esquecido pelo torcedores do Real.

Foto: Reprodução/AS

Por fim, foram 12 temporadas pelo Real Madrid, onde se tornou o 10° maior artilheiro com 171 gols.

SELEÇÃO ESPANHOLA

Pela seleção, Butagreño também teve muito destaque. O jogador ajudou a mudar a forma de futebol da seleção. O atacante fez sua estreia, em 1984, contra a seleção de País de Gales.  Dentre as competições mais importantes, o atleta disputou as Copas de 86, onde marcou cinco gols e a Copa de 90.

Foto: Reprodução/Transfermarket

Ademais, uma situação chamou a atenção, durante o Mundial de 1986 no México. Após saber da eliminação da seleção espanhola, para a Bélgica, o técnico da seleção Argentina, Carlos Bilardo, disse aos seus jogadores:

Senhores, eles eliminaram a Espanha, não jogaremos contra Butragueño. Estamos na final do Campeonato Mundial”.

MÉXICO E APOSENTADORIA

Ademais, em 1995, Butragueño resolveu trocar o Real Madrid pelo Atlético Celaya do México. Logo, na sua primeira temporada, ajudou o clube a chegar à primeira final de campeonato da sua história. Contudo o título não veio devido a regra do gol marcado fora de casa.

Foto: Reprodução/AS

Foram mais dois anos no futebol mexicano. Os títulos acabaram não vindo. Contudo, toda sua genialidade e seus gols fizeram história. Ademais, desde sua chegada, o clube se tornou o mais assistido nas televisões mexicanas. Por fim, em 1998 o jogador então resolveu pendurar as chuteiras.

Foto destaque: Reprodução/Goal

Eddie Toschi
Edwaldo Toschi, bacharel em Direito e especialista em Jornalista esportivo através de cursos ministrados por jornalistas renomados como Alexandre Praetzel, Celso Unzelte, Mário Marra dentro outros. Sou um apaixonado por futebol. Apresentador do canal Sai Que é Sua no YouTube.

Artigos Relacionados