Em rodada com dois clássicos, United adia festa do City no estádio do rival

- Equipe de Guardiola vira primeiro tempo à frente, mas cede virada após intervalo; Arsenal toma susto, mas recupera e encosta no Chelsea

O Manchester City ficou só na expectativa de erguer a taça frente ao maior rival. No duelo entre Pep Guardiola e José Mourinho, melhor para o português. Enquanto isso, na parte inferior da tabela, nenhuma equipe venceu. O Newcastle, única que lá estava no início da rodada e venceu, pulou duas posições e agora é o décimo na classificação. Enquanto isso, o Chelsea fica cada vez mais distante da Champions League na próxima temporada e agora vê o Arsenal encostar na reta final. Com mais cinco fins de semanas pela frente (além de outros seis jogos adiados da 31ª), a Premier League pega fogo e, aos poucos, começa a se definir. Confira como foi a 33ª rodada.

33ª Rodada

09/04 – Sábado

Everton 0 x 0 Liverpool

Em um jogo movimentado, o Merseyside Derby não teve seu placar alterado. Mesmo com um time sem suas principais estrelas, o Liverpool tomou as iniciativas da partida, mas falhou na concretização. Foram dez finalizações dos visitantes, mas somente três no gol, enquanto os donos da casa finalizaram seis vezes e acertaram apenas uma.

As melhores oportunidades no início do duelo caíram nos pés (e na cabeça) de Dominic Solanke. O jovem de 20 anos desperdiçou o cruzamento de James Milner aos 12 minutos e, minutos depois, pegou com força a bola na entrada da pequena área, mas acertou o centro do gol, para defesa de Jordan Pickford.

Loris Karius também apareceria aos 22 minutos. Yannick Bolasie conseguiu espaço para bater e arriscou de longe um chute com efeito. A bola tinha endereço certo, mas o goleiro dos Reds foi buscar a bola que tinha endereço certo e fez uma excelente defesa com a ponta dos dedos. Pouco depois, Pickford salvaria os Toffees novamente em lance muito parecido num chute de Milner.

Com as melhores chances criadas na primeira etapa, o segundo tempo teve um tom mais morno.  O Everton assustou somente no final, com Cenk Tosun – que cabeceou a centímetros da trave – e Dominic Carlvert-Lewin – que tirou do goleiro e do gol ao chutar. O apito final do árbitro e a confirmação do empate deixaram a sensação por ambas as partes de que o resultado poderia ter sido melhor

Para o Liverpool, fica a terceira posição e o mesmo número de pontos que o Tottenham, quarto colocado, que tem um jogo a menos. Já para o Everton, o adeus quase certo à vaga na Liga Europa, com 41 pontos na nona posição.

Bournemouth 2 x 2 Crystal Palace

O Crystal Palace foi ao Vitality Stadium em busca de um resultado que trouxesse maior tranquilidade na luta contra o rebaixamento. Em um jogo equilibrado com o Bournemouth, o empate saiu melhor que a encomenda devido aos resultados da rodada, mas não pela história da partida. Os Cherries estiveram duas vezes atrás no placar, mas fizeram valer o fator casa e buscaram o empate.

Os quatro gols saíram já na segunda etapa. Primeiro, aos dois minutos após o intervalo, Luka Milivojevic fez bonito em cobrança de falta e colocou os Eagles na frente. Porém, Lys Mousset empataria a partida aos 20 minutos. O francês pegou de primeira a bola ajeitada por Ryan Fraser na entrada da área e igualou o marcador.

A alegria tomaria conta dos visitantes dez minutos mais tarde. Wilfried Zaha apostou na jogada individual e conseguiu se livrar de três marcadores. Com certa liberdade na entrada da área, o marfinense arriscou e contou com o desvio da defesa para acertar o ângulo direito de Asmir Begovic. O resultado faria o Crystal Palace subir três posições na tabela e, de fato, isso ficou muito próximo de acontecer. Porém, no minuto final do tempo regulamentar, Ryan Fraser cobrou escanteio da esquerda. A bola foi na cabeça de Steve Cook, que desviou para a segunda trave e encontrou Joshua King nas costas da defesa para empurrar às redes.

Mesmo evitando a derrota, o Bournemouth perdeu uma posição na tabela para o Newcastle. Agora, os Cherries são os 11º colocados, com 38 pontos. Para os Eagles, dos males, o menor. O empate está longe de dar tranquilidade aos 17º colocados, mas as derrotas de Southampton e Stoke City dão ao Crystal Palace mais um ponto de respiro na fuga do Z3. São 31 pontos somados e três de diferença para a zona de rebaixamento.

Brighton 1 x 1 Huddersfield

Ameaçado pela zona de rebaixamento, o Huddersfield precisava de uma vitória para buscar tranquilidade na tabela. Não conseguiu, mas o empate com o Brighton após sair atrás no placar numa partida fora de casa ficou de bom tamanho, principalmente pelo desempenho dos adversários diretos.

O gol inaugural da partida veio em um lance que contou com um pouco de azar por parte de Jonas Lössl, goleiro dos Terriers. Aos 29 minutos, Solly March arriscou de bem longe. O chute saiu sem força, mas foi no canto baixo da meta adversária. Lössl se esticou, desviou a bola, mas ela bateu na trave, voltou na cabeça do dinamarquês e entrou.

Mas para o alívio do goleiro, a defesa dos Seagulls retribuiria o favor. Shane Duffy tentou recuar com Mat Ryan por segurança, mas deu nos pés de Steve Mounie. O beninense tirou de Ryan com um toque e completou para o fundo das redes aos 32 minutos. As equipes que finalizaram mais vezes – foram 13 chutes dos mandantes contra 15 dos visitantes.

Dado o resultado frente às circunstâncias da partida, o Huddersfield pode sentir-se um tanto contente. A distância de quatro pontos para o Z3 permaneceu, o que deixa a equipe a um jogo de respiro para a zona de rebaixamento, na 16ª colocação. O Brighton também não saiu do lugar na classificação, e agora soma 35 pontos na 13ª posição.

Leicester 1 x 2 Newcastle

Os Foxes bem que tentaram, mas não foram capazes de acabar com a boa fase do Newcastle, que engatou sua terceira vitória consecutiva e excluiu qualquer fantasma de rebaixamento que o assombrou nas rodadas anteriores.

Mesmo com 66,3% da posse de bola, o Leicester não transformou o domínio das ações em mais chances de gol. Ao final, oito chutes para cada lado e maior efetividade dos visitantes. Quem fez o primeiro foi Jonjo Shelvey, logo aos 18 minutos de partida. O inglês recebeu de Ayoze Pérez  na entrada da área e teve calma para limpar a marcação e bater no canto esquerdo de Kasper Schmeichel.

Na segunda etapa, Florian Lejeune lançou Pérez que disparou nas costas da defesa. Schmeichel ameaçou sair para abafar, mas ficou no meio do caminho, o que permitiu ao espanhol dos Magpies tocar por cima e marcar um belo gol ao encobrir o dinamarquês. Nos minutos finais, Jamie Vardy descontou para os donos da casa após cabeçada de Shinji Okazaki que deixou o inglês livre para completar ao gol dentro da pequena área, mas a reação parou por aí.

Com o triunfo, o Newcastle sobe mais dois andares na classificação e já está em 10º, com 38 pontos, mesmo com uma partida a menos. Os Foxes tiveram sua série sem perder interrompida, mas mantiveram o oitavo lugar, com 43 pontos, mas mais distante da Liga Europa.

Stoke 1 x 2 Tottenham

Foto: premierleague.com

Sem vencer desde o dia 20 de janeiro, o Stoke tinha uma difícil missão frente ao Tottenham, que não perde na Premier League desde 16 de dezembro do ano passado. Apesar dos quase 30 mil torcedores, deu a lógica no bet365 Stadium e os visitantes saíram com a vitória.

Os Spurs abriram o placar no segundo tempo com Christian Eriksen, aos sete minutos, após cruzamento de Dele Alli. Porém, cinco minutos depois, um gol inusitado. Mame Diouf recebeu lançamento na frente e dividiu com Hugo Lloris. A bola, chutada pelo goleiro, bateu no senegalês e sobrou para ele mesmo completar à meta vazia.

O empate já não era grande coisa para os donos da casa, mas a situação pioraria. Aos 18 minutos, Eriksen cobrou falta da lateral esquerda direto para a área. A bola passou por todo mundo e entrou direto, enganando Jack Butland e dando números finais à partida.

Com a vitória, o Tottenham manteve o quarto lugar e, mesmo com um jogo a menos, chegou aos mesmos 67 pontos do Liverpool, terceiro colocado. O Stoke, por sua vez, vive o oposto do adversário e é o vice-lanterna com 27 pontos, quatro abaixo do Crystal Palace, primeiro fora do Z3.

Watford 1 x 2 Burnley

Em má fase e há quatro jogos sem vitória, o Watford recebeu o Burnley na esperança de reencontrar a vitória dentro de seus domínios e encostar na metade de cima da tabela. Porém, falou mais alto o excelente momento vivido pelos visitantes, que saíram do Vicarage Road com o triunfo.

Roberto Pereyra até abriu o placar para os donos da casa, aos 16 minutos, após aproveitar a bola afastada pela defesa que sobrou nos seus pés, livre de marcação. Porém, aos 25 minutos, veio o troco. A defesa dos Hornets desviou o cruzamento direcionado à sua área, mas para trás. Melhor para Sam Vokes, que ficou sozinho para vencer Orestis Karnezis e empatar o duelo.

A concretização do resultado veio três minutos mais tarde e com o auxílio da tecnologia. Ashley Westwood cobrou a falta na área na direção do segundo pau. Kevin Long se esforçou e conseguiu cabecear a bola para o meio da área novamente, onde estava Jack Cork. O capitão dos Clarets completou para o gol, mas Karnezis fez uma defesa milagrosa. Entretanto, quando o grego espalmou, a bola já tinha ultrapassado a linha.

A quarta vitória consecutiva do Burnley o mantém firme na sétima posição com 49 pontos, seis atrás do Arsenal, sexto colocado. O Watford desce uma posição e está em 12º, com 37, já sem se preocupar muito com o Z3.

West Bromwich 1 x 1 Swansea

Uma equipe virtualmente rebaixada e outra que corre o risco de cair. O Swansea enfrentou o fragilizado West Brom, lanterna da competição, mas não aproveitou a oportunidade de voltar a vencer e se afastar da zona da degola. Após oito derrotas consecutivas, os Baggies conseguiram um empate, mas não reencontraram a vitória.

Os dois gols saíram depois do intervalo. Primeiro, os donos da casa balançaram as redes com Jay Rodriguez. Após bola cruzada da esquerda e desvio de Salomón Rondón no meio do caminho, o inglês surgiu livre na segunda trave para abrir o placar aos nove minutos da etapa complementar. Mas como nada tem sido fácil para o West Brom nessa temporada, o Swansea logo igualou o marcador. Escanteio cobrado do lado direito por Sam Clucas, que encontrou a cabeça de Tammy Abraham para empatar o duelo.

Dez pontos separam os Baggies do Crystal Palace, 17º colocado. Com quinze pontos a serem disputados ainda na Premier League, somente uma campanha de campeão e a torcida por resultados favoráveis em outras partidas conseguem salvá-los do rebaixamento. O Swansea tem 32 pontos e ocupa a 15ª posição, mas os galeses estão somente a quatro pontos do Southampton, que encabeça o Z3.

Manchester City 2 x 3 Manchester United

Foto: premierleague.com

Um jogo de dois tempos, sendo um para cada equipe. O derby de Manchester, além de toda tensão que ronda o clássico por si só, valia o título para os donos da casa. Adicione a isso o confronto dentre Pep Guardiola e José Mourinho na beira do campo e pronto: impossível não ser um jogaço. E foi, com vitória dos Red Devils.

Quem parou de assistir a partida no primeiro tempo deve ter ficado surpreso ao não ver nenhuma manchete dos Citizens campeões. O placar foi aberto pelo capitão Vincent Kompany, de cabeça, após escanteio cobrado por Leroy Sané, aos 25 minutos de jogo. Cinco minutos depois, Ilkay Gündogan recebeu de Raheem Sterling, girou bonito e bateu no canto direito para ampliar a vantagem. Festa nas arquibancadas e tudo parecia correr muito bem para os donos da casa garantirem o título sobre o arquirrival. Só parecia…

Após o intervalo, sem fazer sequer uma alteração nos titulares, o Manchester United voltou completamente diferente e, em menos de cinco minutos, fez dois gols com Paul Pogba e empatou a partida. Primeiro, aos três minutos, depois de boa jogada de Alexis Sánchez pela direita, que cruzou para Ander Herrera tocar com o peito para o francês. Sem marcação, Pogba só ajeitou o corpo e tirou de Ederson para diminuir a diferença. Dois minutos depois, o camisa 6 aproveitou o cruzamento de Sánchez para cabecear com estilo no canto inferior direito de Ederson e igualar o marcador.

A virada se concretizou com mais um cruzamento de Alexis Sánchez na área. Dessa vez, o destino era Chris Smalling, que sozinho completou para o gol e deu números finais à partida. Guardiola promoveu a entrada de seus principais jogadores – Kevin De Bruyne, Gabriel Jesus e Sergio Aguero – para tentar mudar o rumo do confronto, mas De Gea evitou o empate e adiou ainda mais a festa do título quase certo para os donos da casa. Assim, Guardiola e Cia. conheceram sua segunda derrota na atual temporada da Premier League.

Primeiros colocados da tabela, City e United têm 84 e 71 pontos, respectivamente – 13 de distância. Com apenas mais seis jogos a serem disputados por ambas as equipes, os Red Devils alcançam no máximo os 89 pontos. Sendo assim, bastam duas vitórias para os Citizens erguerem o caneco.

10/04 – Domingo

Arsenal 3 x 2 Southampton

Foto: premierleague.com

Em um jogo de reviravoltas, o Arsenal fez valer a força do seu elenco e saiu vitorioso do confronto contra o Southampton, ameaçado pelo rebaixamento. Foi o terceiro triunfo seguido dos Gunners, enquanto os Saints conheceram sua terceira derrota consecutiva.

Os donos da casa tomaram um susto no início da partida. Aos 17 minutos, Shane Long aproveitou o cruzamento de Cédric Soares e a bobeira de Shkodran Mustafi para antecipar a marcação e desviar para o gol. Entretanto, o 1 a 0 no placar não durou muito tempo. Dez minutos mais tarde, Danny Welbeck fez um bom serviço de pivô e serviu Pierre-Emerick Aubameyang, que deu um toquinho para tirar de Alex McCarthy e igualar o duelo. Mais dez minutos rolaram até a virada do Arsenal. Welbeck conduziu a bola em direção à entrada da área, abriu espaço e arriscou. O chute desviou em Maya Yoshida e tirou qualquer possibilidade de McCarthy fazer a defesa. 2 a 1 para os Gunners e fim de primeiro tempo.

Na segunda etapa, Cédric Soares fez mais uma boa jogada e cruzou nos pés de Charlie Austin, que só teve o trabalho de direcionar a bola para o gol e novamente deixar o jogo empatado, aos 32 minutos. O entusiasmo dos jogadores do Southampton mostrava a importância do resultado: naquele momento, mesmo com um jogo a menos, a equipe encostava no Crystal Palace e dependeria somente dela para deixar a zona de rebaixamento nas próximas rodadas. Mas toda a festa foi em vão. Danny Welbeck, o nome da partida, aproveitou o cruzamento na segunda trave para cabecear como manda o figurino e colocar novamente o Arsenal na frente, dessa vez por definitivo.

Com 54 pontos, o Arsenal mantém a sexta posição e encosta de vez no rival Chelsea, que tem 57. A vaga para a Champions League é um sonho muito distante na atual situação, mas o time precisa garantir ainda a vaga na Liga Europa e deu um passo importante no fim de semana. Do outro lado, luz vermelha ligada pro lado dos Saints. Com 28 pontos, a equipe é a 18ª na classificação, encabeçando o Z3. São três pontos atrás dos Eagles, mas com um jogo a menos.

Chelsea 1 x 1 West Ham

Foto: premierleague.com

Os Blues dominaram a partida mas não conseguiram mais que um empate dentro de casa contra o West Ham, para a decepção de seu torcedor. Melhor para os Hammers, que estão agora há duas partidas sem derrota após uma série negativa e preocupante.

No início, tudo parecia que iria bem para os anfitriões. Não à toa, o Chelsea abriu o marcador aos 36 minutos do primeiro tempo. Em cruzamento que veio da direita, Álvaro Morata cabeceou, mas não em direção ao gol, e sim ao meio da área. César Azpilicueta estava atento, conseguiu tocar a bola para dominá-la e, meio desajeitado, mandou a bola no canto direito de Joe Hart.

Após o intervalo, porém, aconteceu o que nenhum torcedor dos Blues esperava. David Moyes já tinha promovido a entrada de Patrice Evra no lugar de Aaron Cresswell aos 19 minutos, mas a mudança que alteraria o rumo da partida veio minutos depois. Aos 25, Chicharito substituiu o suíço Edimilson Fernandes e, com três minutos dentro de campo, aproveitou o cruzamento de Marko Arnautovic para finalizar firme e guardar a bola no fundo do gol. A pressão do time de Londres não surtiu efeito e o placar terminou 1 a 1.

O empate foi muito pior para o Chelsea do que para os visitantes. A diferença para o Tottenham, quarto colocado, agora é de dez pontos. Pior que isso é a presença do rival local, Arsenal, no retrovisor, com três pontos de diferença. Já o West Ham, se não eliminou definitivamente a possibilidade do rebaixamento, consegue respirar melhor. Com 34 pontos, os Hammers são os 14º colocados e estão quatro pontos na frente o Southampton, primeiro do Z3.

Guilherme Guidetti

Sobre Guilherme Guidetti

Guilherme Guidetti já escreveu 57 posts nesse site..

Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Guidetti
Guilherme Guidetti
Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

    Artigos Relacionados

    Topo