Em nota, Feirense informa que recorrerá de fim antecipado da Liga Pro

- Imbróglio sobre o encerramento precoce da segunda divisão portuguesa ganhou novo capítulo nesta terça-feira (9)
Feirense

Nesta segunda-feira (8), a Liga de Portugal se reuniu em Assembleia Geral. Assim, entre outras pautas, estava em discussão a ratificação do encerramento antecipado da Liga Pro, após decisão do Conselho de Justiça que suspendeu a medida anterior. No entanto, mesmo sem unanimidade, foi reafirmado posicionamento inicial e definido o procedimento de promoção e descenso. Dessa forma, o Feirense se manifestou contrário a decisão e irá recorrer aos tribunais para que a competição ainda prossiga até seu fechamento em campo.

Assim, ficou decidido que Nacional, da Ilha da Madeira, e Farense asseguram as vagas de acesso à Liga NOS em 2020/2021. Além disso, que Cova da Piedade e Casa Pia serão rebaixadas ao Campeonato de Portugal. Logo, o Piedade também é um dos clubes que luta pelo retorno da competição para este ano por ser um dos mais prejudicados com a medida.

Leia mais:

Dessa forma, nesta terça-feira (9), o Feirense emitiu um comunicado. Logo, em nota, informa que seguirá na pretensão de suspender a decisão que definiu o encerramento antecipado da Liga Pro:

A Assembleia Geral da Liga, reunida ontem em Assembleia Geral Extraordinária, aprovou a ratificação da deliberação da Direção da Liga em 5 de maio de 2020 (e deliberações subsequentes), que suspendeu definitivamente a Liga Pro e estabilizou a sua classificação final.

Tal como explicado na referida Assembleia Geral, a todos os associados presentes e aos órgãos sociais da Liga, a Assembleia Geral não podia ratificar os referidos atos da Direção da Liga.

E não o podia ter feito, por três motivos: (i) Em primeiro lugar, porque se encontra pendente no Conselho de Justiça da FPF um recurso que tem por objeto a referida deliberação da Direção da Liga; (ii) Em segundo lugar, porque a “suspensão definitiva” de uma competição e a estabilização da sua classificação final é competência exclusiva da Assembleia Geral da Liga e teria que ser efetuada através de alteração ao Regulamento das Competições: (iii) Em terceiro lugar, porque a ratificação não sana o vício insanável de violação de lei das deliberações que ratificou.

Face às inúmeras ilegalidades verificadas em todo este processo, a CD Feirense SAD vê-se obrigada a recorrer aos meios legais ao seu alcance para fazer valer os seus direitos, infelizmente, fora de campo! A CD Feirense SAD, os seus profissionais, os seus associados e adeptos sentem-se defraudados e desrespeitados e prometem defender os seus interesses até às últimas consequências.

Santa Maria da Feira, 9 de junho de 2020.

A Administração.

ENTENDA O CASO

Inicialmente, após o período mais crítico da pandemia da Covid-19, a Liga de Portugal decidiu retomar o futebol no país. No entanto, apenas seriam continuadas as competições de elite que ainda estavam em andamento quando da paralisação no começo de março. Assim, a Liga NOS e a Taça de Portugal foram as escolhidas. Enquanto que as demais divisões nacionais seriam encerradas com a justificativa de não terem condições de garantir segurança à saúde dos envolvidos nos demais campeonatos.

Dessa forma, se sentindo prejudicados com a medida, Cova de Piedade e Feirense entraram com recursos no Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol. Assim, no dia 25 de maio, foi aceito e dado efeito suspensivo a decisão através do pleito do Piedade. Enquanto que no último dia 3 de junho, o Conselho de Justiça julgou o acórdão do Desportivo. Já no dia 29 de maio, o Feirense entrou com recurso semelhante no mesmo órgão que foi aceito hoje (9). Logo, um dia após a ratificação da Liga de Portugal, novamente, dando efeito suspensivo a medida.

Foto destaque: Reprodução / Global Imagens

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 635 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo