Especulado no Corinthians durante os últimos meses, Alex Teixeira pode realmente deixar o futebol chinês, mas apenas em 2021. O vínculo do atacante com o Jiangsu Suning é válido até 31/12/2020, ou seja, já é possível assinar um pré-contrato com qualquer outra equipe. O mesmo vale para o italiano Graziano Pellè, do Shandong Luneng, que ainda não renovou com os Goleadores e tem ligação com o clube até dezembro.

Alex Teixeira

O brasileiro de 30 anos veste as cores do Jiangsu Suning desde 2016, quando foi comprado junto ao Shakhtar Donetsk por 50 milhões de euros. Ao todo, pelo time de Nanquim, o atacante disputou 133 partidas e marcou 63 gols, sendo 50 deles na Superliga Chinesa. Além disso, também distribuiu 38 assistências. Vivendo um momento de indefinição, por conta do fechamento das fronteiras na China, Teixeira ainda não voltou ao país e segue aguardando um posicionamento do clube.

Graziano Pellè

Mais experiente, o italiano de 34 anos também chegou na Terra da Muralha em 2016. Com boa passagem pelo AZ, da Holanda, seu último clube na Europa foi o Southampton, que o vendeu ao Shandong Luneng por 15 milhões de euros. Em 111 jogos na China, Pellè marcou 55 gols e deu 22 assistências. Destaque na temporada passada, o avançado foi vice-campeão da Copa da China e fez o único gol da equipe nas finais. Ainda não há informações disponibilizadas pelo clube de Jinan sobre sua volta a Ásia para retomada dos treinamentos.

Renovação ou saída?

Ambos jogadores têm vínculo com seus clubes por apenas mais seis meses. Dessa forma, caso não haja um acordo de renovação, dois dos principais homens gol da CSL podem dar adeus ao Chinesão. Um grande empecilho no processo das negociações é o novo teto salarial de R$ 13,5 milhões por ano (em novos contratos) imposto pela Associação Chinesa de Futebol. De acordo com dados de 2019, o brasileiro recebe R$ 4,2 milhões por mês, enquanto o italiano ganha por volta de R$ 5 milhões mensais.

Foto destaque: Reprodução/Sina Sports

Leonardo Abrahão
Leonardo Abrahão, 20 anos, paulistano e estudante de jornalismo na Universidade Nove de Julho. Redator do Futebol na Veia desde 2019, cobrindo futebol italiano, asiático e brasileiro.

Artigos Relacionados