El “Dios” Lugano y sus efectos

Diego Lugano, o deus da raça para a torcida são-paulina, está de volta e na última segunda-feira foi apresentado à imprensa.

A recepção do zagueiro na sua chegada ao Brasil, ainda no aeroporto de Cumbica feita pela torcida do São Paulo, com cerca de mil torcedores do tricolor gritando seu nome e comemorando sua volta, mostra o quanto sua contratação deu certo. Pelo menos, em questão de marketing, é um fenômeno.

A volta do jogador ao clube paulista fez o marketing do clube criar uma novidade nas camisas, trabalhando em cima da imagem do jogador e rapidamente a camisa 5 (que o marcou na primeira passagem pelo São Paulo) se tornou a mais vendida na loja oficial tricolor.

Antes de entrar em campo, Lugano é sucesso, Dios, raça, ídolo. Resta saber se o jogador corresponderá em campo, às expectativas dos torcedores. O marketing aumentará? Ou a crítica?

De qualquer forma, a diretoria já saiu ganhando. Trabalhou o marketing em cima do jogador que trouxe com baixo custo e com total aprovação da diretoria.

Diferentemente da maioria dos jogadores que voltam das férias acima do peso, o uruguaio fez o inverso, voltou abaixo do peso, precisando ganhar massa muscular pra jogar.

Aos 35 anos, o zagueiro disse que deseja encerrar sua carreira no clube paulista, mas mesmo assim, não veio para passear não:

“Prazer, uma alegria, uma emoção e uma linda responsabilidade voltar a vestir o manto sagrado. A ilusão é a mesma de quando cheguei aqui há 13 anos. Coisas muito boas na minha vida, vida do São Paulo. Sentimento de gratidão pelo São Paulo por toda sua torcida, instituição e carinho que sempre me deram. Voltamos aqui fazer minha última fase da minha carreira esportiva. Obviamente com muita vontade e conseguir resultados. Ser eu mesmo para que o time possa aproveitar o que melhor tenho”, afirmou.

A raça tão exaltada durante sua carreira, ainda lhe cabe bem como ele mesmo diz:

“Meu desejo é jogar como zagueiro, defensor, é onde posso ajudar mais o elenco. Vim fazer parte do grupo, ser mais um, adotar posição do treinador. Se ele quiser me botar de goleiro, vou, sem problema”, completou.

Com a aposentadoria do ídolo Rogério Ceni, Lugano deve ser o capitão do tricolor em 2016 e o espírito de liderança em campo.

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1232 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.

BetWarrior


Poliesportiva


Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo