Rivalidade entre Real Madri e Barcelona

Real Madrid e Barcelona protagonizam o clássico ou “dérbi” mais emocionante e seguido do futebol mundial. Assim, os duelos entre as duas equipes é um dos maiores eventos do universo esportivo e atraem a atenção de mais de 650 milhões de espectadores em todo o mundo. No entanto, além de ser uma das maiores rivalidades dentro de campo, a disputa carrega raízes político-sociais que os divergem mais ainda.

118 ANOS DE HISTÓRIA

A primeira partida oficial entre Real Madrid e Barcelona aconteceu no dia 13 de maio de 1902, pelas semifinais da , hoje conhecida como Copa del Rey. Enquanto o Football Club Barcelona já possuia três anos de história, o Madrid Football Club tinha acabado de ser criado. Dessa maneira, uma vez que os Catalães continham mais experiência, venceram o jogo por 3 x 1. Nos anos seguintes, eles se enfrentaram sem problemas, tanto nos jogos da Copa – ainda não havia uma Liga – quanto nos amistosos.

LEIA MAIS

O INÍCIO DA RIVALIDADE

Foi apenas no ano de 1916 que surgiu o primeiro conflito entre Merengues e Catalães. Era eliminatória da Copa del Rey e havia no planejamento ser ida e volta. Na primeira partida, o Barcelona venceu por  2 x 1, enquanto o Real Madrid ganhou a segunda  por 4 x 1. Entretanto, naquela época a diferença de gols não era levada em conta e levava a vitória o time que vencesse mais vezes. Além disso, como não existia disputa de pênaltis, ocorria um jogo de desempate.

Dias depois, Real Madrid e Barcelona protagonizam uma partida vibrante e com grandes emoções, que terminou com um empate de 6 x 6. Desse modo, um quarto encontro teve que ser realizado, também na capital, onde a equipe catalã estava na frente com 2 x 1, até que os Merengues viraram para 4 x 2 na prorrogação.

A última partida nunca terminou, apesar de o Real Madrid ter vencido por 4 x 2, o Barcelona se retirou de campo com raiva e reclamou de um pênalti cedido e um gol impedido. Além disso, o diretor do Barça ficou irritado com problemas em relação aos ingressos para a sua torcida – eram poucos, caros e mal localizados. Sendo assim, começa a nascer uma das maiores rivalidades do futebol.

DITADURA FRANQUISTA

Na década de 1930, após um Golpe de Estado que instaurou a Ditadura Militar, a situação na Espanha estava complicada. Nesse sentido, Real Madrid e Barcelona se tornaram símbolos da disputa política no país. O governante Francisco Franco, madridista, usou o clube da capital como aliado do Estado e o time se tornou o preferido do Regime, haja vista que representava o Nacionalismo espanhol. Por certo, antes do período facista, a equipe madrilenha tinha apenas dois títulos nacionais, logo é perceptível o salto da Instituição.

Reprodução: Nexo Jornal

Diferentemente, a equipe blaugrana reforçava sua identidade catalã contra o governo espanhol e se opunha às tendências centralizadoras. Dessa forma, a Catalunha, considerada como uma expansão dos ideais revolucionários do país, foi duramente reprimida pela Ditadura Franquista. O Barcelona, por sua vez, durante o período, estabeleceu seu lema “Mais que um clube“, devido a suas ideias progressistas e representatividade na região.

O El Clásico sempre foi palco para levantar a bandeira da Independência catalã. Reprodução: Leballonround.fr

ASSINATURA DE DI STÉFANO

A contratação de Di Stéfano foi um dos eventos que mais contribuíram para a histórica rivalidade entre Merengues e Catalães. O jogador chamou a atenção de ambos os clubes. Sendo assim, Santiago Bernabéu, presidente do Real Madrid no momento, se encantou pelo argentino, que jogava no Millionários da Colômbia. No entanto, seus direitos pertenciam ao River Plate. Enquanto o Barcelona fez um acordo com o clube da Argentina, os madrilenhos assinaram com o presidente da equipe colombiana.

A FIFA teve que mediar o conflito e os dois times deveriam alternar os direitos do atleta por quatro anos. Porém, o Barcelona preferiu vender a sua parte ao rival pouco antes de um clássico entre eles. Di Stéfano marcou dois gols e o Real Madrid venceu por 5 x 0. Com a chegada do jogador, a equipe madrilenha conquistou oito Campeonato Espanhol e mais 10 títulos.

A DÉCADA COM MAIS CLÁSSICOS

Entre 2010 e 2019, se passou a década com mais clássicos, 36, e uns dos jogos mais polêmicos da história do El Clásico. Foi nesse perído também, que o confronto entre Real Madrid e Barcelona foi palco de uma das mais espetaculares rivalidades individuais: Messi x Cristiano Ronaldo. Durante anos, os atletas jogaram futebol no mais alto nível possível e se enfrentaram 30 vezes no dérbi espanhol, onde foram 14 vitórias para o lado catalão, oito para o madrilenho e oito empates.

Reprodução: MARCA

Na história da década do El Clásico, é inevitável citar rivalidades como Mourinho  x Guardiola e Zidane x Valverde. Além de jogadores essenciais para ambos os lados como, Sergio Ramos, Marcelo e Benzema no lado dos Real Blancos, e Busquets, Piqué e Suarez para o Blaugrana. Mou e Pep apresentaram clássicos memoráveis, como o 5 x 0 no Camp Nou, o 1 x 0 de Cristiano em Mestalla e semifinais da Liga dos Campeões, em que os dois gols de Messi valeu a vaga para a final em Wembley.

NÚMEROS

Real Madrid e Barcelona já duelaram 243 vezes na história, cuja última partida terminou em um empate no dia 18 de dezembro de 2019, no Camp Nou. Desde a última vitória da equipe catalã em março, o Barça contém 96 triunfos, enquanto o time merengue tem 95. Além disso, 51 vezes o placar ficou na igualdade. Quanto aos gols, os Real Blancos assume a liderança com 403 marcados, contra 399 Blaugrana.

 

Foto destaque: Divulgação/Getty Images

 

 

Ayana Santana
Uma baiana de 19 anos, estudante de jornalismo no Centro Universitário Jorge Amado, amante do futebol e do Esporte Clube Bahia. Encontrou no jornalismo a junção de duas paixões: a escrita e o esporte.

Artigos Relacionados