Edina Alves é escolhida pela FIFA para apitar no Mundial de Clubes

- Árbitra brasileira será acompanhada pela assistente Neuza Back, e elas farão parte de equipe histórica
Edina Alves será a primeira mulher a apitar um jogo masculino da FIFA em nível profissional. (Foto: Reprodução/FIFA)

Nesta segunda-feira (4), a FIFA divulgou o quadro de arbitragem para o Mundial de Clubes do Catar, que acontece entre os dias 1º e 11 de fevereiro deste ano. Entre os nomes, está a árbitra brasileira Edina Alves Batista. Da mesma forma, também está a assistente Neuza Back. As duas formarão um dos trios de arbitragem do torneio, junto com a argentina Mariana de Almeida. Desse modo, esta será a primeira vez que uma árbitra comandará uma partida oficial de uma competição profissional masculina da FIFA.

Em resumo, a entidade selecionou sete árbitros principais, sendo Edina a única mulher, além de 12 árbitros assistentes e sete para operarem o VAR. Não é a primeira vez que a entidade escolhe uma mulher para comandar um trio de arbitragem em seus torneios. Só para ilustrar, na Copa do Mundo Sub-17, realizada em 2017 na Índia, a suíça Esther Staubli apitou uma partida. Em seguida, no mundial da mesma categoria, realizado em 2019, no Brasil, a uruguaia Claudia Umpierrez esteve à frente de dois jogos.

Lembrando que o Mundial de Clubes do Catar representará o ano de 2020, mas teve de ser adiado por conta da pandemia de Covid-19. O sorteio, previsto para 19 de janeiro, ainda definirá os confrontos. Toda a equipe de arbitragem escolhida passará por preparações finais uma semana antes dos jogos se iniciarem.

TRAJETÓRIAS DE EDINA ALVES E NEUZA BACK

Professora de educação física, Edina Alves é paranaense e tem 40 anos, prestes a completar 41 no próximo dia 10. Faz parte do quadro da FIFA desde 2016. Ela estreou na Série A do Brasileirão masculino em maio de 2019, na partida entre CSA e Goiás, tendo sido a primeira mulher a ter apitado na elite em 14 anos. Além disso, Edina apitou dois jogos da Copa América Feminina de 2018, e quatro da Copa do Mundo Feminina de 2019, incluindo a semifinal entre Inglaterra e Estados Unidos.

Já a assistente catarinense Neuza Back tem 36 anos e faz parte do quadro da FIFA desde 2014. Tem no seu currículo trabalhos em jogos das Olimpíadas de 2016 e do Mundial Feminino de 2019. Aliás, ela fez história em novembro de 2020, ao trabalhar na partida da Copa Sul-Americana entre Peñarol e Vélez Sarsfield, em Montevidéu, e se tornar a primeira mulher brasileira a trabalhar como assistente em uma partida masculina internacional fora do país.

Foto destaque: Reprodução/FIFA

Davi Ferreira
Davi Ferreira
Escolhi o jornalismo por causa da paixão pelo esporte, principalmente. Sempre acompanhei as mais diversas modalidades pelo mundo e pensava que só podia trabalhar com isso. Assim que entrei na faculdade e acumulei experiências, me apaixonei pela profissão em todos os seus aspectos. O que mais me atrai são os desafios e imprevisibilidades apresentados diariamente. Já participei de projetos de jornal impresso, portal de internet, transmissões de rádio, podcasts e produção de televisão. Estou sempre disposto a somar experiências, e me dedico com firmeza nas ideias em que acredito.

Artigos Relacionados

Topo