Dínamo Zagreb x Benfica – Calejados x recém-chegados

Pelas oitavas de final da UEFA Europa League, os croatas do Dínamo Zagreb enfrentam os portugueses do Benfica nesta quinta-feira (7), às 14h55 (horário de Brasília), no Estádio Maksimir, em Zagreb, na Croácia. As equipes têm um estilo de jogo parecido por trabalharem o coletivo acima do individual, mas o fator casa e o “calejamento” dos mandantes na competição podem ser uma vantagem para os donos da casa. Em contraponto, os visitantes estavam disputando a mais importante competição do mundo e num grupo com Ajax, que mostrou seu poder frente ao Real Madrid, e o Bayern, que dispensa apresentações.

Dínamo Zagreb

Não deve ser um simples adversário para o Benfica, bem pelo contrário. Os anfitriões lideram confortavelmente o Campeonato Croata, com apenas uma derrota em 23 rodada, e nas competições europeias, regista apenas duas derrotas em 14 jogos, sendo que uma delas não teve consequências.

Depois de cair no playoff da Liga dos Campeões, frente ao Young Boys, o Dínamo liderou o grupo D da fase regular da Liga Europa, sem derrotas, deixando para trás Fenerbahçe, Spartak Trnava e Anderlecht. Na eliminatória anterior, deixou pelo caminho o Viktoria Plzen, da República Tcheca, perdendo fora por 2 x 1, mas se recuperando em casa com um 3 x 0.

https://twitter.com/gnkdinamo/status/1103366624680333313?s=19

“O Benfica tem uma excelente equipa e vai-nos criar muitos problemas, mas não é por isso que vamos alterar a nossa forma habitual de jogar. O Benfica é o grande favorito, mas temos as nossas hipóteses. Confiamos nos nossos jogadores e nas nossas capacidades, com muita concentração e disciplina poder ganhar o jogo”, comentou o técnico Bjelica.

Provável escalação: Zagorac; Lešković, Stojanović, Rrahmani e Perić; Gojak; Moro, Atiemwen e Majer; Šitum e Andrić. Técnico: Nenad Bjelica.

Benfica

O técnico Bruno Lage levou nove jogadores formados nas escolas do Seixal para o jogo, casos de Zlobin, Yuri Ribeiro, Rúben Dias, Ferro, Florentino, Gedson, Nuno Santos, João Félix e Jota. Um número paralelo na história mais recente do Barcelona, que nas finais da Liga dos Campeões de 2008/09 e 2010/11, ambas ganhas pelos catalães, fez constar na ficha de jogo 10 e 11 jogadores da base, o que indica que os Benfiquistas podem estar no caminho certo.

Hoje, frente à equipe croata, vão tentar repetir a façanha obtida frente ao Galatasaray, em Istambul. Para este jogo, Lage deixou de fora da convocatória os pesos pesados André Almeida, Pizzi e Jonas, o que significa que há novamente elevada margem para improvisação. Corchia, Florentino, Krovinovic e Cervi estão, devem ser titulares. Na frente, João Félix e Seferovic parecem estar confirmados.

https://twitter.com/SLBenfica/status/1103626349787267072?s=19

“Em relação ao jogo, temos de fazer o habitual: perceber o adversário e tentar preparar a melhor estratégia e, em função de jogar em três dias, escolher o melhor “onze”. Vai ser um jogo diferente do da Turquia, da recepção Galatasaray na Luz e do último jogo que fizemos com o Porto. Já temos dois meses de trabalho, treinamos mais três ou quatro vezes, sentimos uma enorme dedicação de todos, toda a gente tem merecido oportunidade de jogar, uns têm jogado mais do que outros. As oportunidades ainda não chegaram a todos como merecem, mas têm de justificar e isso é o mais importante”, disse Lage.

Provável escalação: Vlachodimos; Corchia, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo; Florentino, Gabriel, Gedson e Krovinović; João Félix e Seferović. Técnico: Bruno Lage.

Retrospecto

Foram três confrontos entre as equipes em toda a história. Pela Recopa Europeia de 1980/81, 0 x 0 na Croácia e 2 x 0 em Portugal. O terceiro confronto foi pela Taça da UEFA de 2004/05, as equipes se enfrentaram pela fase de grupos, que então era jogo único, e os portugueses venceram por 2 x 0 em casa. Ou seja, o Benfica nunca venceu o Zagreb fora de seus domínios.

Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, criado em Taboão da Serra, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
https://bit.ly/EricFilardi

Artigos Relacionados