Der Klassiker – entenda o clássico mais quente da Alemanha

Por que o nome Der Klassiker?

Traduzido para “O Clássico”, o confronto junta os dois maiores vencedores do país. Com seu auge na década de 90, quando Borussia e Bayern disputavam todo ano a Bundesliga, o apelido foi instaurado. A popularidade aumentou depois do ano de 1997, quando os auri-negros faturaram a Champions League, tirando a hegemonia bávara de competições europeias.

Borussia campeão da Champions League, batendo a Juventus por 3 x 1, em 1997.

Embora é o mais atraente da Alemanha, o Der Klassiker não é o principal. O maior clássico fica por conta de Borussia Dortmund e Schalke 04, chamado de Revierderby, ou Clássico do Rühr. O nome se deve pelo fato das cidades de Dortmund e Gelsenkirchen serem muito próximas, sendo cortadas justamente pelo rio Rühr. O derby não recebe seu devido destaque, visto que, os azuis reais não conseguiram manter um nível de futebol muito significativo por tanto tempo, quanto os bávaros e os auri-negros.

Em contrapartida, Borussia e Bayern vieram numa crescente bastante expressiva, nas últimas décadas, fazendo até final da Liga dos Campeões juntos. Além do mais, são duas das equipes mais poderosas do país, os dois maiores estádios e dois dos melhores elencos, o que acrescenta ainda mais ao confronto.

Bayern vence Dortmund por 2 x 1 e fatura sua quinta Champions League. Confronto marca a primeira final alemã da competição.

Para apimentar o confronto, muitos jogadores já vestiram a camisa de ambos os times. O principal deles é Robert Lewandowski e Mats Hümmels, que foram bi-campeões da Bundesliga com o Dortmund. Pelo lado amarelo e preto, Mario Götze e Sebastian Rode. Götze foi revelado pelo Borussia, mas vendido após a temporada de 2012 (em uma das transferências mais polêmicas da história).

Apesar da história e dos bons jogos que as equipes já fizeram, o ódio também alimenta a partida. O Borussia Dortmund quase faliu em 2005 devido más administrações e dinheiro mau gasto. Para ajudar o rival, o Bayern selou um acordo: fazer um empréstimo em troca de preferência dos jogadores do clube. Sem ter muito o que fazer, o presidente aceitou. Desde então, os jogadores que iam bem no Dortmund, acabavam pintando em Munique, temporadas depois, enfurecendo a torcida.

Retrospecto

Ao todo, as equipes se enfrentaram 120 vezes – juntando Bundesliga, Copa da Alemanha, Champions League e Supercopa. Os bávaros levaram a melhor em 55 partidas, os auri-negros em 31 e foram 34 empates.

Igor Tonetti
Amante do maior espetáculo da Terra, da maravilha, que não é considerada umas das sete mundias, mas, se nela estivesse, seria a principal. Como todo brasileiro, a paixão pelo futebol vem de berço. Sem muito sucesso com os pés, decidi trilhar meu caminho através das mãos, só que, ao invés de luvas, uso apenas papel e caneta. Busco sempre informar, sem medo de mostrar minha opinião e, também sem medo, de mudar quando assim for necessário.

Artigos Relacionados