De prodígio a decisivo em final de Champions: Kai Havertz completa 22 anos

Antes de contar essa história, precisamos celebrar o aniversário de um dos principais nomes do futuro do futebol europeu. Por isso, nesta sexta-feira (11), a coluna Parabéns ao Craque homenageia Kai Havertz, meia-atacante do Chelsea que completa 22 anos.

Muitos meninos ao redor do mundo sonham em serem jogadores de futebol. Sem exceção, os aspirantes a uma carreira profissional imaginam o momento em que vão estrear pelo time do coração ou pela seleção nacional. Se forem ainda mais ambiciosos, vislumbram o gol que decidirá um título importante, como Libertadores, Copa do Mundo ou Champions League.

No caso do jovem Havertz, o que era apenas imaginação virou realidade no dia 30 de maio desse ano.

O começo na Alemanha

Desde o início de sua trajetória, o alemão já prometia muito. E em sua primeira oportunidade no palco principal, ele correspondeu às expectativas. Mas o que poucos sabem é que Havertz começou a jogar bola com apenas quatro anos. Aliás, sua primeira experiência se deu no clube amador Alemmania Mariadorf, onde seu avô Richard era presidente. Antes de se juntar ao Bayer Leverkusen com apenas 11 anos, o menino fez parte da academia do Alemmania Achen, time de sua cidade natal.

A partir desse momento, o leitor pode ter imaginado que deu tudo certo para o promissor meia. Que ele se destacou por toda base e chegou ao profissional sem problemas. No entanto, Havertz precisou superar problemas de crescimento, o que atrapalhou um pouco seu desenvolvimento. Apesar disso, a jovem promessa seguiu trabalhando e se destacou no sub-17 do Leverkusen após marcar 18 gols em 2016. No ano seguinte, ganhou sua primeira oportunidade na equipe principal e se tornou o atleta mais novo a atuar na Bundesliga.

Kai Havertz e a escola

A história de Havertz com a UEFA Champions League começou de maneira curiosa. Se a estreia no confronto de oitavas de final contra o Atlético de Madrid parecia um sonho realizado, o jogo de volta deve ter sido imensamente frustrante. Isso porque o meia tinha provas importantes na escola e, por esse motivo, não pôde entrar em campo. Sinal de que os alemães levam a educação muito a sério no país.

Vestindo a camisa do Leverkusen, Havertz quebrou inúmeros recordes. Não à toa, chamou a atenção de gigantes europeus que desejavam contar com seu futebol. Sua habilidade com os dois pés, o bom cabeceio e a tranquilidade que passa dentro da cancha o tornam diferente dos outros. Até por isso, fãs e jornalistas começaram a comparar o jogador com Özil, Ballack e Kross.

Na Alemanha, existe um termo para definir aquele que faz tudo dentro das quatro linhas: Alleskönner. Nesse sentido, o agora falso nove do Chelsea se encaixa perfeitamente nessa definição.

Kai Havertz vai a Londres

Em setembro de 2020, os ingleses decidiram desembolsar 62 milhões de libras para levar Kai Havertz a Stamford Bridge. Sua primeira temporada na Premier League correu como se esperava, com alguns problemas de adaptação e pouco tempo de jogo. Porém, depois da chegada do técnico Thomas Tuchel, ele foi ganhando a confiança de seu compatriota e começou a exercer um papel importante no time do ex-Paris Saint-Germain. E é aqui que chegamos ao ponto máximo de nossa história.

Contra o Manchester City, na grande final da última Champions League, o meia atacante de Aachen, cidade no oeste da Alemanha, recebeu linda assistência de Mason Mount, passou pelo goleiro Ederson e só empurrou para o fundo da rede. Assim, quando o relógio marcava 42′, Havertz colocou seu nome entre os grandes do Chelsea ao ser o responsável pelo 2º título de UCL dos Blues.

Muitos capítulos a serem contados

As semelhanças com um roteiro de filme são perceptíveis. O aniversariante desta sexta iniciou cedo no futebol, ingressou em um clube de maior expressão, passou por algumas dificuldades, mas logo se destacou. Além disso, teve um empecilho que o impediu de atuar na competição que mais tarde o consagraria em sua ainda breve carreira.

Dessa forma, com apenas 22 anos, Kai Havertz está começando a deixar sua pegada no longo e glorioso caminho da bola. Sorte nossa de podermos acompanhar os feitos desse jovem que promete brilhar ainda mais, seja no Chelsea ou na seleção alemã.

Foto destaque: Reprodução/Jose Coelho/Pool/Getty Images

Avatar
Rafael Sant'Ana
Escolhi o jornalismo porque sou apaixonado por informação e esportes desde sempre. Tenho o sonho de exercer a profissão no exterior. Dedicação e interesse por estudar são algumas de minhas marcas.

Deixe uma resposta