Estádio Diego Armando Maradona

Após o falecimento de Maradona, o estádio San Paolo foi rebatizado com o nome do ídolo. Todavia, essa não foi a primeira vez que os napolitanos mudaram o nome de sua casa em memória de um ídolo. Isso já aconteceu, a muito tempo atrás, com a primeira casa dos Azzurri. Um estádio histórico, que só existe na memoria e nos corações dos napolitanos. Portanto, a coluna Calciostoria conta um pouco mais sobre os estádios do Napoli.

Estádio Ascarelli/Partenopeo

Com a fundação do Napoli, em 1926, Giorgio Ascarelli, primeiro presidente do clube, desejou construir um estádio para o novo time. O local escolhido foi uma área conhecida como Rione Luzzatti, perto da estação central de Nápoles. Amedeo D'albora, importante engenheiro italiano, foi o responsável por projetar a casa dos Azzurri, que seria batizada de Estádio do Vesúvio.

Desejado e financiado por Ascarelli, um rico industrial têxtil de origem judaica, o estádio tinha capacidade para cerca de 20 mil pessoas, e suas tribunas eram feitas em madeira. Desse modo, a conclusão da obra ocorreu em 1930, sete anos após o início da construção. Assim, a partida que o inaugurou aconteceu em 16 de fevereiro do mesmo ano. Na ocasião, o Napoli venceu a Triestina por 4 x 1.

Todavia, duas semanas depois, o presidente napolitano faleceu devido a um ataque de peritonite. Em sua memória, a casa do Napoli passou a chamar Giorgio Ascarelli. Em virtude da Copa do Mundo de 1934, o regime fascista requisitou o estádio para o reformar. Dessa maneira, modificaram profundamente a sua aparência, e o restauraram em concreto armado. Além disso, aumentaram a sua capacidade para ocupar 40 mil espectadores.

Segundo informações de alguns sites italianos, Mussolini não teria gostado do nome Ascarelli, devido a sua origem judaica. Logo, por respeito à ele, optaram por chamar o estádio de Partenopeo.

Stadio Partenopeo
Estádio Partenopeo
Foto: Reprodução/Vesuviolive

Da glória da copa à destruição

As partidas da Copa realizadas no estádio, foram o primeiro grande evento de futebol realizado na cidade. Assim, o Partenopeo recebeu apenas duas partidas, uma pelas oitavas de final, na qual a Hungria venceu o Egito por 4 x 2. E outra na disputa do 3° lugar, entre Alemanha Oriental e Áustria. Na ocasião, os germânicos venceram por 3 x 2.

Com o fim do torneio de seleções, o estádio voltou a receber os jogos do Napoli. E em 1937, o clube teve a inédita experiência de oferecer entradas gratuitas à mulheres. Dessa forma, o Partenopeo  passou a ter uma maior presença feminina em suas tribunas.

Infelizmente, durante a segunda guerra mundial, a cidade de Nápoles foi alvo de cerca de 200 bombardeios aliados. Assim, em 1942, o estádio napolitano se tornou  uma das vitimas dos ataques, e foi parcialmente destruído. Dessa forma, sem condições de ser reformado, seu espaço foi usado para armazenar escombros de prédios vizinhos.

Partenopeo bombardeado - Napoli
Partenopeo bombardeado
Foto: Reprodução/Vesuviolive

Sendo assim, as ruínas do estádio acabaram sendo ocupadas por moradores de rua. Além disso, foram alvo de inúmeros saques. Desse modo, foi determinado a demolição do que restou. Logo, a única pista da existência do Partenopeo foi o nome dado ao bairro onde ele era situado, que passou a chamar: Rione Ascarelli.

Nova casa do Napoli

No momento pós-guerra, o Napoli passou a mandar os seus jogos em vários lugares. E um dos preferidos foi o Arturo Colar, que passou a ser o único estádio com boa usabilidade em Nápoles. Entretanto, a precariedade de suas dependências era motivo de preocupação. Uma vez, em um jogo entre Napoli e Bari, após um dos gols, uma parte da arquibancada cedeu, deixando 114 feridos.

Além da situação precária do estádio, a base de fãs napolitana crescia cada vez mais. Assim, se viu necessária a construção de uma nova casa, maior e mais aconchegante. Desse modo, a obra foi projetada pelo arquiteto Carlo Cocchia, que utilizou do conceito de estádio com anel único. Entretanto, após algumas modificações, resolveram mudar o projeto para dois anéis.

San Paolo do Napoli 1959 - Stadium Guide
Estádio San Paolo em 1959
Foto: Reprodução/Stadium Guide

As obras foram concluídas em 1959, e o até então estádio Del Sole, tinha capacidade para 87 mil espectadores, a maioria em pé. Além disso, era totalmente descoberto. A partida de inauguração ocorreu no mesmo ano, entre Napoli e Juventus (2-1). Já em 1963, resolveram alterar o nome do estádio para San Paolo, em homenagem a Paulo de Tarso, que segundo tradições, teria chegado à Itália pela região.

Modernização nos anos 80 e 90

Como o país sediaria o Europeu de 1980, o San Paolo, um dos escolhidos a receber os jogos, passou por um processo de modernização. Assim, melhoraram o sistema de iluminação, construíram um prédio ao lado das tribunas e instalaram um relógio eletrônico. Durante a competição, o estádio recebeu três partidas pela fase de grupos, e uma na disputa do 3° lugar.

10 anos depois, a Copa do Mundo voltou à Itália, e a Nápoles. Desse modo, foi necessário que o estádio passasse novamente por melhorias. Logo, o San Paolo sofreu uma profunda transformação, que passou da adição de elevadores a instalação de assentos em todas as áreas. Além disso, foi construído um estande para acomodar as equipes de televisão.

San Paolo do Napoli 1980 - Stadium Guide
San Paolo na década de 80
Foto: Reprodução/Stadium Guide

Durante a copa, o estádio recebeu duas partidas da fase de grupos, uma das oitavas e uma das quartas. Além disso, também foi palco da semifinal entre Itália e Argentina, a qual ficou marcada por parte da torcida da casa torcer pelo time de Maradona. Na ocasião, o duelo ficou em 1 x 1, e a seleção sul-americana se classificou nos pênaltis.

Após a copa, o estádio ficou sem os cuidados necessários, e acabou se deteriorando. Como resultado, teve algumas áreas de suas instalações interditadas. Assim, novamente, a casa dos Azzurri sofreu mudanças, dessa vez para a requalificar. Dessa maneira, passou a ocupar 60 mil espectadores. Todavia, se tornou mais segura para os torcedores.

Tempos atuais e homenagem a Maradona

Com a volta de um Napoli competitivo, o estádio retornou a receber partidas das principais competições europeias. Sendo assim, em 2019, a parte estética do San Paolo passou por uma grande transformação. Logo, ocorreu a substituição dos assentos, a instalação de dois telões, modernização dos vestiários e dos sistemas de áudio e iluminação. Com as mudanças, a capacidade do estádio passou para 54 mil.

Mesmo com todas as reformas e mudanças, o estádio ainda apresenta problemas. Logo, o Napoli tem a intenção de se mudar para um novo lugar, ou reconstruir totalmente o San Paolo. Alguns planos já falharam, mas recentemente o clube voltou a discutir a situação com a cidade de Nápoles.

Em 2020, após a morte do ídolo máximo do clube, e à pedido de torcedores, o prefeito de Nápoles anunciou que iria iniciar o processo para rebatizar o estádio. Assim, em 4 de dezembro, aprovou a resolução que mudou o nome de San Paolo, para estádio Diego Armando Maradona.

Nada mais justo para o jogador que marcou época na equipe napolitana. Maradona foi responsável por trazer inúmeras glórias ao time. Com a presença do argentino, os Azzurri conquistaram o seu primeiro Scudetto. Ele fez o Napoli ser respeitado na Itália, e em todo o mundo. A conexão existente entre o atleta e os napolitanos é um dos maiores exemplos de idolatria e respeito entre jogador e torcedor.

Foto destaque: Reprodução/Sporf

Avatar
Pedro Lopes
Nasci e cresci em Minas Gerais, e aqui realizo um sonho cursando jornalismo na Universidade Federal de Viçosa. A paixão pela comunicação junto com o esporte me move a buscar um futebol cada dia mais democrático.