D'Alessandro de volta ao Internacional é prova que estadual não vale nada

O Internacional anunciou na manhã do último sábado (8), a volta do ídolo D'Alessandro ao clube. O argentino terá contrato de apenas quatro meses, válido até o fim do Gaúcho 2022.

Antes de mais nada, a volta do camisa 10 ao Colorado é mais uma mostra de que estadual já não vale nada, sendo encarado sem seriedade pela imensa maioria dos clubes.

O contrato servirá para que o torcedor possa despedir-se do maior ídolo do Internacional nos últimos 10 anos. A cada jogo será maior o clima de despedida e de homenagens mais que merecidas.

Uma vez que o Grêmio está na Série B, o Colorado viu excluída a única chance de estar pressionado no primeiro torneio do ano. Sem o rival direto em condições de igualdade, resta ao Inter promover atletas da base e fornecer ao novo treinador, tempo de adaptação.

Sabendo da chegada do ídolo, o técnico uruguaio Alexander Medina afirmou que o argentino será importante para a construção do que chamou de “vestiário sólido“.

Existe risco na volta de D'Alessandro ao Inter

Entretanto, o perigo que a volta do jogador de 40 anos pode representar ao Inter é uma possível campanha da torcida para que o atleta fique até o fim do ano. Isso pode acontecer com boas atuações do meia no fraquíssimo Gaúchão.

Finalmente, importa ressaltar que o Internacional está cumprindo o papel que lhe cabe: aproveitando o estadual para homenagear D'Alessandro, uma bandeira do clube.

Outrossim, a forma como um dos maiores clubes do Rio Grande do Sul lida com o certame é sintomática. Os estaduais deveriam ser revistos. É urgente a mudança no calendário do futebol nacional. Os times grandes não podem perder quatro meses do ano para, em tese, sustentar os pequenos.

Enquanto os clubes não tiverem a união necessária para peitar a CBF, o atraso persistirá.

Foto destaque: Divulgação/Ricardo Duarte/Inter

Paulo Henrique Araújo
Apaixonado por futebol desde antes do que possa lembrar. Comentarista esportivo por amor e constante aprendiz do maior esporte do mundo.

Deixe um comentário