Cruzeiro recebe “não” de Umberto Louzer

- Atual treinador da Chapecoense foi sondado para assumir a Raposa
Cruzeiro

A fase do Cruzeiro é bem complicada, tanto dentro como de campo. Na penúltima posição da Série B do Brasileirão, a equipe segue sem treinador. Depois de demitir o técnico Ney Franco, a Raposa vem encontrando problemas para definir um novo comandante. A mais recente recusa veio de Chapecó.

Conforme nota publicada pela Chapecoense, Umberto Louzer seguirá no comando do clube:

A Associação Chapecoense de Futebol vem a público para informar, de maneira oficial, que o técnico Umberto Louzer segue no comando da equipe.

Após interesse demonstrado pelo Cruzeiro Esporte Clube, o treinador comunicou à diretoria verde e branca, no início da tarde desta quarta-feira (14), que está focado no projeto e objetivos da Chapecoense.

“Agradeço o contato do Cruzeiro, mas optei por permanecer na Chapecoense. De fato, houve um interesse para que pudesse assumir a equipe, mas acredito muito no projeto que aqui está sendo desenvolvido. Pesou nesta decisão minha vontade de permanecer e concluir o que começamos. Além disso, preso por cumprir meu contrato por onde passo e aqui não será diferente”, afirmou.

QUEM SERÁ O NOVO COMANDANTE DO CRUZEIRO?

Ameaçado a cair para Série C, o torcedor mineiro tem motivos de sobra para se preocupar com a fase do time. Afinal, além da falta de resultados, a diretoria da equipe segue escutando “não” dos nomes sondados para o cargo de técnico.

Umberto Louzer foi o 3º nome desta lista. Antes dele, a Raposa sondou o técnico Lisca e Felipão. Mas ambos recusaram propostas para assumir o time mineiro. Enquanto o 1º optou por seguir no América-MG, o segundo teria declinado por conta do projeto oferecido. Essa informação foi apurada inicialmente pela Rádio Itatiaia.

Foto Destaque: Divulgação / Chapecoense

Flavio Rodrigues

Sobre Flavio Rodrigues

Flavio Rodrigues já escreveu 12 posts nesse site..

Apesar de não ser formado, sempre admirei a capacidade dos jornalistas em poder informar o público e despertar a reflexão e o senso crítico nas pessoas. Adoro falar e debater sobre esportes e acredito que como formadores de opinião, temos a obrigação de passar fatos aos leitores. Apesar disso, gosto muito de fazer textos opinativos, como análises táticas ou mesmo temas polêmicos, como o retorno do futebol na pandemia. Sou colaborador dos sites PlanetaGol (desde 2008) e Torcedores.com (2018), com foco maior no futebol em geral, mas no segundo tive experiências com matérias abordando outros esportes , entrevistas com atletas, dirigentes e pessoas envolvidas com o esporte (como especialistas em marketing) e cobertura de eventos presencialmente.Anos atrás tive um projeto chamado Buteco de Futebol, em conjunto com dois amigos. O foco era no lado mais torcedor. com cada um falando do seu time e valorizando a rivalidade sadia. Além de um podcast semanal, cada integrante escrevia textos sobre seu time.Há cerca de um mês, fui convidado por um amigo para um projeto chamado Futejotas, onde falo sobre o Corinthians. O formato nesse caso é mais visual, com vídeos que são publicados no canal do YouTube e alguns que gravo diretamente no Instagram.

BetWarrior


Poliesportiva


Flavio Rodrigues
Flavio Rodrigues
Apesar de não ser formado, sempre admirei a capacidade dos jornalistas em poder informar o público e despertar a reflexão e o senso crítico nas pessoas. Adoro falar e debater sobre esportes e acredito que como formadores de opinião, temos a obrigação de passar fatos aos leitores. Apesar disso, gosto muito de fazer textos opinativos, como análises táticas ou mesmo temas polêmicos, como o retorno do futebol na pandemia. Sou colaborador dos sites PlanetaGol (desde 2008) e Torcedores.com (2018), com foco maior no futebol em geral, mas no segundo tive experiências com matérias abordando outros esportes , entrevistas com atletas, dirigentes e pessoas envolvidas com o esporte (como especialistas em marketing) e cobertura de eventos presencialmente.Anos atrás tive um projeto chamado Buteco de Futebol, em conjunto com dois amigos. O foco era no lado mais torcedor. com cada um falando do seu time e valorizando a rivalidade sadia. Além de um podcast semanal, cada integrante escrevia textos sobre seu time.Há cerca de um mês, fui convidado por um amigo para um projeto chamado Futejotas, onde falo sobre o Corinthians. O formato nesse caso é mais visual, com vídeos que são publicados no canal do YouTube e alguns que gravo diretamente no Instagram.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo