Cruzeiro é superior contra Corinthians no Mineirão e segue na Copa do Brasil

Cruzeiro derrota Corinthians por 4×2 em Belo Horizonte e se classifica para a semifinal da Copa do Brasil. A Raposa, mesmo com risco de rebaixamento, joga de forma convincente contra o alvinegro paulista, nesta quarta-feira (19), e agora enfrenta o Grêmio na próxima fase da competição. Como o alvinegro ganhou o primeiro confronto por 2×1, os gols marcados fora de casa não mantiveram a equipe paulista no torneio.

O Corinthians começou mal a partida, sem conseguir manter a posse de bola e se limitando a guardar seu campo de defesa. O Cruzeiro criou o primeiro lance de perigo do jogo. O lateral Edimar cruzou na área da esquerda aos 8, e Walter furou ao tentar acertar a bola. Ábila chegou pela direita e seu cruzamento foi afastado pelo zagueiro Pedro Henrique. Apenas cinco minutos depois, a defesa corintiana falhou e a Raposa abriu o placar. Fagner saiu jogando errado, e Robinho passou nas costas do lateral alvinegro para Arrascaeta. O meia cruzeirense recebeu na esquerda e cruzou para Ábila, livre de marcação, balançar as redes do Mineirão. Os visitantes melhoraram depois de tomar o gol, e equilibraram forças com os donos da casa. Oswaldo de Oliveira fez uma alteração tática em campo aos 29 que surtiu efeito rapidamente: o técnico alvinegro Giovanni Augusto passou a jogar na direita, Guilherme recuou para o meio e Romero fez o papel de centroavante. O resultado das mudanças foi um gol aos 34. O camisa 10 alvinegro começou a jogada com Uendel, que cruzou de longe na área para Rodriguinho subir pela direita e cabecear a bola no chão, tirando Rafael da jogada para empatar o marcador. O Cruzeiro sentiu o gol do Corinthians, com os visitantes obtendo maior posse de bola. Aos 43, Camacho se atrapalhou e Arrascaeta roubou a bola, saindo em dois jogadores contra Fagner. A sorte do volante é que o lateral alvinegro conseguiu cortar o passe, que deixaria Walter em apuros. O arbitro resolveu apitar o fim da primeira etapa aos 47.

A equipe paulista voltou ligeiramente melhor do intervalo, criando a primeira chance do segundo tempo com Guilherme aos 10. O meia corintiano desperdiçou o rebote do goleiro Rafael, mandando para fora. O clássico ditado do futebol “quem não faz toma” foi exatamente o que aconteceu. Logo na seguida, o arbitro apitou a penalidade máxima para o Cruzeiro. Arrascaeta forçou o contato com o zagueiro Pedro Henrique e foi derrubado na área. Ábila bateu precisamente no canto e Walter não alcançou a bola. Aos 17, a Raposa ampliou a diferença. No escanteio, Robinho cruza para o zaguerio Bruno Rodrigo chegar sozinho por trás e cabecear firme, deixando Walter sem reação. O Corinthians quase conseguiu encostar novamente no placar aos 25. Romero driblou o goleiro Rafael e cruzou para Guilherme na pequena área, mas a defesa mineira mandou para escanteio. O Cruzeiro marcou seu quarto gol aos 37, em jogada ensaiada. Robinho cobrou falta rapidamente para Arrascaeta sair nas costas de Uendel e chutar forte. A bola passou perto de Walter antes de morrer no fundo das redes. A classificação da equipe mineira parecia garantida com a ampla vantagem no placar. Marlone, no banco devido a dores no tornozelo, Rildo e Lucca chegaram a entrar em campo, buscando a classificação a todo custo. Os visitantes conseguiram responder rapidamente, apenas três minutos depois. Camacho inverte para Fagner na área, que cruza de primeira para Rildo anotar o dele. Faltando somente um gol para conquistar a vaga de forma histórica, o Corinthians se lançou todo ao ataque, mas não obteve êxito. Os mais de 30 mil torcedores cruzeirenses tornaram a festa completa no Mineirão aos 49, quando o juiz encerrou o jogo.

Arrascaeta, você (infelizmente) representa a mentalidade de vários jogadores brasileiros

Mesmo sendo uruguaio, o camisa 10 do Cruzeiro parece ter se adaptado ao raciocínio adotado por muitos jogadores brasileiros. Quantas vezes já reclamamos, em nosso campeonato nacional, de simulações esdrúxulas e/ou jogadores preferindo cavar um pênalti ao invés de aproveitarem a chance clara e marcar o gol? Pois bem, Arrascaeta fez as duas coisas nesta partida. Aos 20 do primeiro tempo, o meia tropeçou sozinho na área e mesmo assim pediu o pênalti. Porém, no segundo tempo, o uruguaio alcançou sua meta. Arrascaeta saiu a frente de seu marcador, Pedro Henrique, na área, e sequer tentou finalizar ao gol. Esperou pacientemente até o zagueiro adversário chegar e, reduzindo sua velocidade, recebeu o contato do jogador corintiano. A questão se foi ou não pênalti não é o ponto, por que de fato houve a falta dentro da área. O ponto é que o jogador não visou balançar as redes, mas sim tentar sofrer a penalidade máxima, correndo o risco de o juiz não marcar.

Semifinal da Copa do Brasil

Com apenas quatro equipes remanescentes no torneio, temos Cruzeiro e Grêmio de um lado disputando a vaga na final e no outro, Internacional e Atlético Mineiro. Os confrontos de ida já acontecem na próxima quarta-feira (26), e a volta será no dia 2 de outubro. As duas partidas da final serão nos dias 23 e 30 de novembro.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo