Crespo já deu certo no São Paulo? Sorte ou trabalho?

O técnico argentino Hernán Crespo chegou ao clube tricolor em fevereiro deste ano com uma missão inicial: se sagrar campeão pela equipe e acabar com um jejum de títulos que já durava nove anos. Essa chegada se deu devido a uma excelente campanha na equipe do Defensa y Justicia, onde deu um título inédito para o time argentino: a Copa Sul-Americana de 2020. Logo, no São Paulo, em poucos meses, já conquistou o Campeonato Paulista de 2021, tirando o clube paulista da fila de títulos no geral e também do Paulista, que durava 16 anos. Mas, na coluna Rasgando o Verbo, viemos opinar sobre esse sucesso repentino do treinador.

https://twitter.com/colunatricolor_/status/1402029293958569988?s=19

De fato, o trabalho de Crespo é de tirar o chapéu e de empolgar qualquer torcedor tricolor. Até o final do mês de abril, por exemplo, após o São Paulo vencer o Santo André pelo placar de 2 x 0, o argentino igualou a marca de Cuca em 2004 como o melhor início de um treinador pelo clube no século. O que só ainda melhorou, pois o Clube da Fé ainda venceu mais duas partidas seguintes a essa. Entretanto, isso demonstra como o trabalho do ex-atacante está dando resultado, mas será que fica apenas nisso?

Principais fatores para o sucesso repentino de Crespo

Desde sua chegada ao clube do CT da Barra Funda, o técnico começou, aos poucos, a dar o seu cartão de visitas. Os treinamentos acontecem de uma forma muito intensa, sempre realizando o treino de um contra um e trabalhos de campo reduzido. Além disso, tem colocado os meninos de Cotia, algumas vezes o sub-20, outras o sub-17, para treinar junto com o elenco profissional. Isso ajuda no crescimento e amadurecimento de tais atletas, enquanto o treinador observa peças que pode ter que recorrer caso precise em algum momento no decorrer da temporada. Tais mudanças tem agradado dia após dia os jogadores do elenco.

https://twitter.com/colunatricolor_/status/1399950423440642048?s=19

O diferencial de Hernán

Da mesma forma, o principal diferencial para o ano passado é a solidez da defesa do time neste ano. No ano de 2020, o São Paulo sofreu 79 gols em 65 partidas, durante a “era Diniz”. Dessa maneira, o treinador alterou a maneira de jogar da equipe paulista. Mudou o esquema tático, colocando três zagueiros, assim fortalecendo a defesa, e deixando as alas como um ponto forte para o setor de ataque. Assim possibilitou com que Daniel Alves jogasse na sua posição de origem, porém com mais liberdade para chegar ao ataque e meio de campo. O camisa 10 foi muito criticado no ano passado por não estar se encontrando dentro de campo. Principalmente por estar jogando fora de sua posição. Contudo, neste ano isso é diferente.

Outro fator importante é o incrível início de seu compatriota Benítez pelo clube. O jogador, quando está em campo, transforma a equipe positivamente, fazendo parecer que joga no clube há alguns anos. Assim, acabou eleito Craque do Campeonato Estadual e vem sendo destaque na Libertadores da América. E para finalizar, a postura do Soberano em campo mudou. Hoje, a equipe pressiona muito mais os adversários dentro do seu campo de ataque e não descansa até recuperar a bola. Um comportamento que Crespo implementou e que vem dando resultados na temporada, como o título do Paulistão.

Em conclusão, o São Paulo, até o momento, acumula 24 jogos durante o ano, somando 14 vitórias, sete empates e quatro derrotas. Já marcou 49 gols e sofreu 18. Números de um clube que promete muita coisa ainda na temporada e que deve chegar bem longe nas competições em que disputa.

Foto destaque: Divulgação/SPFC

Avatar
Gabriel Teixeira
Eu escolhi o jornalismo porque eu sempre fui muito curioso, gosto de atualidades mas principalmente o essencial para a minha escolha, foi o sonho de trabalhar com o jornalismo esportivo. O que já fiz na área? Fui editor da área de esporte de um jornal online da faculdade. Ganhei o prêmio do melhor editor do jornal, dentre outros como o editores de saúde, cidades, economia e cultura. Participei da transmissão do canal argentino do YouTube Deportes Al Taco, do jogo Brasil x Bolívia pelas eliminatórias da Copa do Mundo como jornalista da seleção brasileira. Fui apresentador de um podcast junto com um amigo, com o assunto de empreendedorismo, para um projeto da faculdade. E também fui editor-chefe de mais um projeto da faculdade onde foi desenvolvido um programa de rádio, de vídeo e o próprio podcast. Participei da montagem de roteiros, das reuniões que discutimos sobre as pautas, quem entrevistar e o modo que seria feito os programas. Objetivos: Quero ser grande no jornalismo esportivo, e ser apresentador no canal desimpedidos. E tomara que eu seja surpreendido com os meus objetivos. Personalidade: Sou um cara muito feliz, de sorriso fácil, que gosta de curtir a vida da melhor maneira e que ama sua família, namorada e amigos. Tenho uma vontade enorme de aprender, evoluir e fazer parte de grandes projetos.

Deixe uma resposta